Arquivo por tag: estrela de nêutrons

jan 19

GW170817/GRB170817A: Fusão de Estrelas de Nêutrons fornece um novo enigma astronômico

A radiação resultante de uma distante fusão de estrelas de nêutrons, detectada em agosto de 2017 (evento GW170817), continuou a aumentar, para a surpresa dos astrofísicos que estudam as consequências da gigantesca colisão que ocorreu a aproximadamente 138 milhões de anos-luz de distância e atirou ondas gravitacionais através do Universo. Novas observações a partir do …

Continue lendo »

jan 15

Qual a massa máxima que as estrelas de nêutrons podem alcançar?

Desde sua descoberta nos anos de 1960, que os cientistas procuram responder a uma questão importante: qual massa máxima que as estrelas de nêutrons podem atingir? Contrastando com os buracos negros, estas estrelas não podem ganhar massa arbitrariamente, uma vez que após um certo limite, não há força física na natureza que possa contrariar a …

Continue lendo »

nov 27

Como medir o tamanho das estrelas de nêutrons?

https://3c1703fe8d.site.internapcdn.net/newman/csz/news/800/2017/3-newmethodtom.jpg

  As estrelas de nêutrons são feitas de matéria ultra densa. O modo como esta matéria se comporta é um dos maiores mistérios da física nuclear moderna. Investigadores desenvolveram um novo método para medir o raio das estrelas de nêutrons, o que os ajuda a entender o que acontece com a matéria dentro da estrela …

Continue lendo »

maio 18

Simeis 147: a Intrincada Remanescente de Supernova por Daniel Lopez (IAC)

Simeis 147: a Intrincada Remanescente de Supernova

É fácil se perder seguindo visualmente os intrincados filamentos nessa imagem detalhada dessa tênue nebulosa remanescente de supernova Simeis 147. Também catalogada como Sh2-240 e visível na constelação de Taurus (Touro), ela cobre quase 3º (6 luas cheias) no céu.

Tal corresponde a uma largura de 150 anos-luz da nuvem de resíduo estelar que dista 3.000 anos-luz da Terra. Essa imagem composta em banda-estreita através da palheta de cores do Hubble inclui a emissão a partir dos átomos hidrogênio, enxofre e oxigênio traçando regiões de ondas de choque de gás brilhante. Essa remanescente de supernova tem uma idade estimada em cerca de 40.000 anos – o que implica que a luz proveniente dessa massiva explosão estelar atingiu a Terra pela primeira vez há 40.000 anos. Todavia essa nebulosa em expansão não é a única seqüela cósmica. A catástrofe cósmica deixou também uma estrela de nêutrons em rotação (pulsar), que foi tudo que restou do núcleo original da estrela.

mar 26

Cientistas descobrem a estrela com a órbita mais íntima de um buraco negro

Astrônomos encontraram evidências de uma estrela que completa duas voltas em menos de uma hora em torno de um provável buraco negro. Esta talvez seja a dança orbital mais íntima já testemunhada para um provável buraco negro e uma estrela companheira, até hoje. Esta descoberta foi realizada através do Observatório Espacial de raios-X Chandra, juntamente …

Continue lendo »

fev 21

NGC 5907 X-1: XMM-Newton da ESA estuda o pulsar mais luminoso e distante conhecido

O XMM-Newton da ESA revelou dados de um pulsar mil vezes mais luminoso do que se pensava ser possível. O pulsar NGC 5907 X-1 é também o mais distante do seu tipo já detectado, pois sua radiação viajou 50 milhões de anos-luz até ser detectada pelo XMM-Newton. Os pulsares são estrelas de nêutrons magnetizadas que giram …

Continue lendo »

jan 29

Geminga e B0355+54: Dois pulsares dão aulas de geometria aos astrônomos!

Similarmente a faróis cósmicos que varrem o Universo com feixes de energia, os pulsares têm fascinado e ao mesmo tempo confundido os cientistas desde que foram descobertos há 50 anos. Em dois estudos, times internacionais de astrônomos sugerem que imagens recentes de dois pulsares (Geminga e B0355+54), obtidas pelo Observatório de raios-X Chandra da NASA, …

Continue lendo »

jan 08

Sharpless 249 e a elusiva Nebulosa da Medusa por Eric Coles

Normalmente tênue e furtiva, a Nebulosa da Medusa (Jellyfish Nebula) foi capturada neste sedutor mosaico telescópico. Essa eclética cena está ancorada abaixo pela brilhante estrela Propus (Eta Geminorum), no pé da constelação dos Gêmeos celestiais [Castor (Alpha Geminorum) e Pollux (Beta Geminorum)] enquanto que a Nebulosa da Medusa (IC 443) é o luminoso arco de emissão com seus tentáculos …

Continue lendo »

dez 03

ESO: Primeiros sinais de estranha propriedade quântica do espaço vazio?

Observações VLT de estrela de nêutrons podem confirmar previsão com 80 anos sobre o vácuo Ao estudar com o Very Large Telescope do ESO a radiação emitida por uma estrela de nêutrons muito densa e fortemente magnetizada, astrônomos descobriram os primeiras indícios observacionais de um estranho efeito quântico, previsto inicialmente nos anos 1930. A polarização …

Continue lendo »

nov 01

Astrônomos descobrem um par incomum de fontes ultra luminosas de raios-X

Astrônomos descobriram um par de objetos cósmicos extraordinários que explodem dramaticamente irradiando em raios-X. Esse achado, atingido com ajuda do Observatório de raios-X Chandra da NASA juntamente com o Observatório XMM-Newton da ESA, pode representar uma nova classe de eventos explosivos encontrados no espaço. As misteriosas fontes de raios-X tornam-se cerca de cem vezes mais …

Continue lendo »

Posts mais antigos «

error: Esse blog é protegido!