«

»

maio 21

O Sol azul com erupções no máximo solar

O Sol azul com erupções no máximo solar. Crédito: Alan Friedman (Averted Imagination)

O Sol azul com erupções no máximo solar. Crédito: Alan Friedman (Averted Imagination)

Oops, nosso Sol não é um mirtilo (blueberry) gigante…

Entretanto, nós podemos fazer nosso Sol ficar parecido com essa pequena fruta capturando sua imagem em uma cor específica do violeta extremo chamada CaK que é emitida pelo Cálcio ionizado na atmosfera do Sol. No Sol o CaK é uma substância de abundância bastante reduzida.

Para obter o efeito acima inverteu-se a imagem e aplicou-se cor falsa. Esta representação solar é na verdade cientificamente esclarecedora, pois um nível da cromosfera solar parece bem proeminente, exibindo uma superfície de textura rachada, Aqui vemos frias manchas solares aparecem brilhantes, em destaque, rodeadas por quentes regiões ativas de aparência distintamente escura (uma vez que a imagem está revertida, o que era claro ficou escuro e vice-versa).

um grupo de manchas solares etiquetados região ativa AR1748 produziu os primeiros quatro explosões solares de classe X de 2013, em menos de 48 horas. Na seqüência do tempo no sentido horário a partir do canto superior esquerdo, flashes dos quatro foram capturados em imagens ultravioleta extremo do Solar Dynamics Observatory. Classificados de acordo com o seu brilho máximo em raios-X, flares de classe X são a classe mais poderosa e são frequentemente acompanhadas por ejeções de massa coronal (CMEs), nuvens enormes de plasma de alta energia lançada ao espaço. Crédito: NASA/Solar Dynamics Observatory maio de 2013

Um grupo de manchas solares da região ativa AR1748 produziu as primeiras quatro explosões solares de classe X de 2013, em menos de 48 horas. Na seqüência do tempo no sentido horário a partir do canto superior esquerdo, flashes das quatro explosões foram capturadas em imagens ultravioleta extremo do SDO (Solar Dynamics Observatory). Classificadas de acordo com o seu brilho máximo em raios-X, os flares (explosões energéticas) da classe X são os do nível mais violento e frequentemente são acompanhadas por ejeções de massa coronal (CMEs), nuvens enormes de plasma de alta energia lançada pelo Sol no espaço. Crédito: NASA/Solar Dynamics Observatory – 13,14 e 15 de maio de 2013

O Sol está atualmente próximo do máximo nível de atividade em seu ciclo de cerca de 11 anos, e emitiu erupções poderosas classe X em 13, 14 e 15 de maio de 2013.

Durante os tempos de alta atividade, como os de agora, jatos de partículas energéticas do Sol podem atingir a magnetosfera terrestre e desencadear auroras magníficas.

Vaccinium corymbosum

Vaccinium corymbosum

Fontes

APOD:

._._.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

error: Esse blog é protegido!