«

»

jan 12

Como se comporta a anomalia climática no Hemisfério Norte em dezembro de 2009 e janeiro de 2010?

Em 08 de janeiro de 2010 falamos aqui do frio extremo que assola os continentes do hemisfério norte, na Europa, Ásia e América do Norte. Embora isso possa nos levar a pensar que estamos passando por um período mais frio que o normal, isto não é verdade, sob o ponto de vista global. Vejamos a seguir.

Os pontos azuis mostram temperaturas mais frias que a média enquanto os vermelhos mostram temperaturas acima da média da região. Enquanto a maior parte da área terrestre do hemisfério norte tem sofrido com as baixas temperaturas, o oceano Ártico e suas vizinhanças (Groelândia, estreito de Bering, Alasca e norte do Canadá) estão excepcionalmente quentes em relação à média 2000-2008. Crédito da imagem: NASA Earth Observatory image by Kevin Ward, baseado em dados fornecidos pelo NASA Earth Observations (NEO) Project. Caption by Holli Riebeek.

Os pontos azuis mostram temperaturas mais frias que a média enquanto os vermelhos mostram temperaturas acima da média da região. Enquanto a maior parte da área terrestre do hemisfério norte tem sofrido com as baixas temperaturas, o oceano Ártico e suas vizinhanças (Groelândia, estreito de Bering, Alasca e norte do Canadá) estão excepcionalmente quentes em relação à média 2000-2008. Crédito da imagem: NASA Earth Observatory image by Kevin Ward, baseado em dados fornecidos pelo NASA Earth Observations (NEO) Project. Caption by Holli Riebeek.

.

Regiões mais frias X Regiões mais quentes

Embora na América do Norte, Europa e Ásia as temperaturas tenham sido abaixo do normal, outra áreas no hemisfério norte se apresentaram bem mais quentes. A imagem acima ilustra quão frio (ou quente) foi dezembro de 2009, se comparado com a média das temperaturas no mesmo mês entre 2000 e 2008.

Assim, os pontos azuis mostram temperaturas mais frias que a média enquanto os vermelhos mostram temperaturas acima da média da região. Enquanto a maior parte da área terrestre do hemisfério norte tem sofrido com as baixas temperaturas, o oceano Ártico e suas vizinhanças (Groelândia, estreito de Bering, Alasca e norte do Canadá) estão excepcionalmente quentes em relação à média 2000-2008. Este padrão climático está ligado diretamente ao índice de Oscilação Ártica.

A Oscilação Ártica (OA) é um indicador climático que influencia o clima do inverno no Hemisfério Norte. O OA é definido pela diferença de pressão entre o ar em latitudes médias (45º ao norte, na latitude de Montreal, Canadá ou Bordeaux, França) e o ar sobre o oceano Ártico. Uma massa de ar de baixa pressão domina o Ártico enquanto que sistemas de alta pressão sobressaem nas latitudes médias. As forças dos sistemas de alta e baixa pressão oscilam. Quando os sistemas estão mais fracos que o normal, a diferença de pressão entre o Ártico e as latitudes médias decresce, permitindo ao ar congelado do Ártico deslizar para o sul enquanto que o ar aquecido se dirige ao norte. Uma Oscilação Ártica é dita negativa quando os sistemas estão mais fracos que o normal. Por outro lado quando os sistemas de alta e baixa pressão estão fortalecidos, o índice OA fica positivo.

Além disso, ao longo dezembro de 2009, o índice de Oscilação Norte Atlântico também permaneceu fortemente negativo, segundo o National Weather Service. Este diagrama mostra o impacto da Oscilação Ártica negativa nas temperaturas continentais do hemisfério norte monitoradas pelo instrumento Moderate Resolution Imaging Spectroradiometer (MODIS) do satélite Terra.

Nesta visão gráfica do hemisfério norte notamos que o ar gelado do Ártico congelou os continentes nas latitudes médias, enquanto que as terras ao redor do Oceano Ártico, tais como a Groelândia e o Alasca estão muito mais quentes que o normal.

No vídeo abaixo chamado “Climate Denial Crock of the Week“, Peter Sinclair esclarece o tema:

Fontes e Referências

A Terra vista do Espaço: a Inglaterra (quase) 100% coberta de neve!

NASA Earth Observatory: Winter Temperatures and the Arctic Oscillation

Climate Prediction Center. (2010, January 8). Arctic Oscillation. National Weather Service, National Oceanic and Atmospheric Administration.

National Snow and Ice Data Center. The Arctic Oscillation.

Wallace, J.M. (2000, July 17). On the Arctic and Antarctic Oscillations. University of Washington.

National Snow and Ice Data Center. (2010, January 5). Extreme negative phase of the Arctic Oscillation yields a warm Arctic.

Universe Today: Climate Vs. Weather Video

3 comentários

1 menção

  1. Mirian Martin

    Hoje li no jornal sobre este assunto. Segundo ele, as massas “fria” e “quente” estão mais estacionadas do que deveriam e, de certa forma, está atribuindo isso ao El Niño, que viria com mais força este ano.
    Menininho safado… 🙂

  2. Dário Cardina

    Olá, posso usar/copiar o post?

    Araço,

    Dário S. Cardina Codinha

    1. ROCA

      Sim, pode copiar o post inteiro desde que cite o nosso site, segundo os critérios abaixo da ‘creative commons’: http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/2.5/br/

      Para citar meu artigo entre na página do mesmo e clique à direita em “Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Vedada a Criação de Obras Derivadas 2.5 Brasil License” copie o código html que aparece no link acima.

  1. A Terra vista do Espaço: a Inglaterra (quase) 100% coberta de neve! « Eternos Aprendizes

    […] Embora a Europa, Ásia e América do Norte (EUA) estejam passando por um frio rigoroso, este não é o quadro geral do hemisfério norte. Enquanto as latitudes médias estão mais frias, as latitudes altas (próximas do pólo Norte, Groelândia, Alasca, Norte do Canadá e o estreito de Bering) estão bem mais quentes. Veja a situação geral neste artigo: Como se comporta a anomalia climática no Hemisfério Norte em dezembro de 2009 e janeiro de 2010? […]

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

error: Esse blog é protegido!