Arquivo por tag: Universo observável

nov 07

Colaboração “Frontier Fiels” revela dados das galáxias primordiais usando lentes gravitacionais

Na caçada permanente pelas galáxias primordiais do Universo, o Telescópio Espacial Spitzer da NASA concluiu suas observações para o programa “Frontier Fields”. Este projeto ambicioso combinou o poder de todos os três grandes observatórios espaciais da NASA (Spitzer, Hubble e Chandra) para voltar no espaço e no tempo o máximo que a tecnologia atual permite.

Continue lendo »

out 20

GOODS: Hubble confirma que o Universo Observável possui 10 vezes mais galáxias do que antes pensávamos

Os astrônomos chegaram a surpreendente conclusão que existem pelo menos 10 vezes mais galáxias no Universo Observável do que antes se estimava. De repente o Universo parece muito mais populoso, graças a um novo recenseamento do céu profundo realizado por pesquisas do Telescópio Espacial Hubble juntamente com outros observatórios. Quais são as implicações dessa descoberta? Os …

Continue lendo »

jun 07

A supernova e as variáveis cefeidas na galáxia espiral UGC 9391 versus a expansão do Universo

Afinal, o que essa bela galáxia pode nos contar sobre a taxa de expansão do Universo? Vejamos a seguir…

Continue lendo »

set 03

Nosso novo endereço cósmico: a Via Láctea pertence ao superaglomerado Laniakea

http://www.nature.com/nature/current_issue.html

Astrônomos usando o GBT (Green Bank Telescope) da NSF (National Science Foundation) e outros radiotelescópios determinaram que a nossa Via Láctea faz parte de um enorme e recém-identificado superaglomerado de galáxias, batizado como “Laniakea”, que significa “imenso céu” em Havaí. Esta descoberta esclarece sobre os limites da nossa vizinhança galáctica e estabelece ligações anteriormente não …

Continue lendo »

mar 26

Técnica baseada nas lentes gravitacionais confirma a idade do Universo

Usando galáxias inteiras e aglomerados de galáxias como lentes para a observação de outras galáxias, os pesquisadores têm uma nova maneira e precisa para medir o tamanho e a idade do Universo e como ele se expande rapidamente, junto com as demais técnicas independentes. Estas medidas determinam um valor para a constante de Hubble, que …

Continue lendo »

jan 07

Visão de campo ultra profundo do Hubble revela as primeiras galáxias do Universo

O telescópio espacial Hubble quebrou o limite de distância na busca das galáxias primordiais e descobriu uma população primitiva de galáxias jovens, ultra azuis e compactas, nunca antes observadas. Olhando para o passado longínquo… o ‘túnel do tempo’ Quanto mais fundo o Hubble olha dentro do Cosmos, mais para trás no tempo ele vê, uma …

Continue lendo »

out 03

Planck revela segredos do nascimento do Universo

A espaçonave PLANCK da ESA (European Space Agency) foi lançada no espaço em 14 de maio de 2009. Seu destino é observar o brilho do gás cósmico cerca de 380.000 anos após o Big Bang (13,73±0,12 bilhões de anos atrás), a radiação de microondas cósmica de fundo (CMB – Cosmic Microwave Background radiation). As propriedades …

Continue lendo »

out 02

Quando Universos colidem, como saber sobre isso?

Se nosso Universo se chocou uma vez contra outro, como poderíamos ser capazes de ver as evidências disso nos confins do cosmos? Perguntam-se os astrofísicos. Até onde podemos dizer, o Universo tem aproximadamente 93 bilhões de anos luz de tamanho e menos de 13,73±0,12[1] bilhões de anos de idade. Isto é algo que tem feito …

Continue lendo »

abr 27

SWIFT detecta o objeto mais distante no Universo visível

Conforme informado no Sky and Telescope blog, o telescópio espacial SWIFT capturou o tênue GRB 090423 (gamma-ray burst – explosão de raios gama) na última quinta-feira que quebrou o recorde de distância do objeto mais distante do Universo observável.

dez 23

Estudo independente confirma: o destino do Universo é controlado pela Energia Escura

http://chandra.harvard.edu/photo/2008/darkenergy/

Há 10 anos atrás o estudo das supernovas tipo Ia distantes originou a descoberta da energia escura que é considerada a responsável pela expansão acelerada do Universo. Agora, os cientistas confirmam a existência dessa misteriosa e repulsiva força, usando uma linha independente de experimentos e medições. As novas descobertas fornecem novas e consistentes provas para a teoria geral da relatividade estabelecida por Einstein e suportam a idéia que a energia escura é uma propriedade intrínseca e imutável do vácuo cósmico. Pela primeira vez, os astrônomos observaram claramente os efeitos da energia escura nos objetos colapsados mais massivos do Universo (os aglomerados de galáxias), usando o Observatório Chandra de raios-X da NASA. Rastreando como a energia tem impulsionado o crescimento dos aglomerados de galáxias e combinando isto com os estudos anteriores, os cientistas conseguiram as melhores evidências até o momento do que é a energia escura e qual é o real destino do Universo.