Arquivo por tag: maré

fev 09

GAIA revela que as Nuvens de Magalhães são galáxias ligadas por uma ponte de estrelas e gás

As Nuvens de Magalhães, as duas maiores galáxias-satélite da Via Láctea, parecem estar ligadas por uma ponte que se estende por 43.000 anos-luz, conforme nova pesquisa de um time internacional de astrônomos, liderada por investigadores da Universidade de Cambridge. A descoberta foi divulgada na revista MNRAS (Monthly Notices of the Royal Astronomical Society) e se …

Continue lendo »

dez 16

HAT-P-7b: ventos de rubis e safiras assolam os céus de um exoplaneta gigante

Conforme nova pesquisa liderada pela Universidade de Warwick, foram detectados sinais de ventos poderosos em um exoplaneta 16 vezes maior que a Terra, a mais de 1.000 anos-luz de distância, em uma detecção inédita de sistemas climáticos em um gigante gasoso além do nosso Sistema Solar. Dr. D. J. David Armstrong, membro do Grupo de …

Continue lendo »

dez 12

ASASSN-15lh: evento superluminoso foi explicado por buraco negro em rotação “engolindo” estrela

Os telescópios do ESO ajudam a reinterpretar uma explosão brilhante Foi observado, há cerca de um ano atrás, um ponto de luz extraordinariamente brilhante numa galáxia distante, ao qual se deu o nome ASASSN-15lh, supondo tratar-se da supernova mais brilhante observada até hoje. No entanto, novas observações obtidas em vários observatórios, incluindo o ESO, lançam …

Continue lendo »

nov 28

Arp 240: Hubble captura uma ponte entre duas galáxias espirais em processo de fusão

Por que há uma ponte de matéria entre essas duas galáxias espirais? Essa ‘ponte cósmica’ fornece fortes evidências que esses dois imensos sistemas estelares passaram próximos entre si e experimentaram violentas forças de maré induzidas pela gravidade mútua. A dupla de galáxias espirais está catalogada como Arp 240 e individualmente como NGC 5257 e NGC 5258. Simulações computacionais e as …

Continue lendo »

nov 04

A Formação de Anéis Planetários e Pistas sobre o Último Grande Bombardeamento

Um time de cientistas apresentou um novo modelo visando explicar a origem dos anéis de Saturno baseando-se em resultados de simulações computacionais. Os resultados das simulações são também aplicáveis aos anéis de outros planetas gigantes e explicam as diferenças entre as estruturas e composições dos anéis de Saturno e Urano.

Continue lendo »

nov 22

Phobos: a lua condenada de Marte

Qual será o destino de Phobos? Essa é uma lua condenada… Marte, o planeta vermelho, chamado assim em homenagem ao deus romano da guerra, possui duas pequenas luas, Phobos (Fobos) e Deimos. Os nomes dessas luas foram derivados do deuses irmãos mitológicos gregos Medo e Pânico. Os cientistas estimam que essas luas marcianas são provavelmente asteroides capturados, originados do …

Continue lendo »

out 03

A lua vulcânica Io revelada em cores reais pela sonda Galileu

Io, considerada a lua mais estranha do Sistema Solar, aparece aqui visível em amarelo brilhante. Este retrato de Io, uma tentativa de mostrar como é Io em ‘cores reais’ perceptíveis aos olhos humanos, foi capturada em julho de 1999 pela sonda Galileo que orbitou o planeta gigante Júpiter de 1995 a 2003. As cores naturais …

Continue lendo »

dez 16

Poderá a maré galáctica ter alguma influência sobre a vida na Terra?

Seria a maré galáctica bastante forte para influir nos cometas de a Nuvem de Oort e assim ter ajudado a formar o nosso planeta?

Continue lendo »

ago 26

WASP 18b: o raro planeta suicida que espirala em queda para dentro de sua estrela mãe

Um novo exoplaneta muito raro está caindo em espiral e será absorvido pela sua estrela no futuro próximo. A descoberta, realizada por uma equipe internacional que inclui astrônomos da Universidade de St. Andrews, é tão extravagante que as probabilidades de achar tal cenário desta etapa final de vida de um exoplaneta como este seriam de 1.000 contra 1. O “enorme novo planeta” foi descoberto pelo projeto WASP do Reino Unido, do qual a Universidade de St. Andrews é patrocinadora.

jun 12

Vida extraterrestre: a presença da tectônica de placas é condição necessária para a vida

Para suportar a vida extraterrestre um exoplaneta deve simplesmente estar a uma faixa de distâncias onde o calor de sua estrela mãe permite a existência de água abundante no estado líquido, certo? Errado. Nova pesquisa nos sugere que para que o exoplaneta tenha condições de suportar a vida este tem que possuir o processo de …

Continue lendo »

Posts mais antigos «