Arquivo por tag: choque

maio 23

LL Orionis: quando ventos cósmicos entram em colisão

O que criou essa curiosa estrutura no espaço? Essa graciosa estrutura encurvada, de fato, consiste em um arco de choque com diâmetro de cerca de um ano luz. Esse objeto foi criado através da colisão do vento estelar da jovem estrela LL Orionis com o fluxo de gás da Nebulosa de Órion. A deriva no berçário estelar de Órion e …

Continue lendo »

maio 15

Um choque de galáxias intensifica a formação estelar?

http://www.ras.org.uk/images/stories/press/Renaud%20galaxy%20simulation.jpg

Usando o “estado da arte” em simulações computacionais, uma equipe de astrofísicos franceses elucidou, de forma inédita, um mistério que há muito intrigava os astrônomos: porque surtos de formação estelar, os famosos “starbursts”, acontecem quando as galáxias entram em choque? As estrelas usualmente nascem quando o gás e poeira cósmica dissolvido nas nuvens galácticas se …

Continue lendo »

jun 10

Novos estudos sugerem que a formação da Terra e da Lua pode ter ocorrido depois do que pensávamos

Quando se deu o Big Splash? Os astrônomos haviam teorizado que o planeta Terra e a Lua se originaram de uma gigantesca colisão entre dois outros planetas similares em tamanho a Vênus e Marte. Embora a teoria do grande impacto (em inglês: Big Splash) continue firme como a melhor explicação para o surgimento da Lua, …

Continue lendo »

maio 07

Arp244: uma dupla de galáxias em colisão na constelação do Corvo lembra as antenas de um inseto cósmico

A dupla de galáxias Arp44 (NGC 4038 e NGC 4039) colidiram a 60 milhões de anos-luz de distância na constelação de Corvus (Corvo).  Entretanto, em geral, suas estrelas não chegaram a se chocar durante este longo e tedioso evento que tem se alongado por um bilhão de anos.

Continue lendo »

mar 27

Discussões sobre a formação do Sistema Solar parte 3: Teria Netuno engolido uma super-terra e roubado sua lua, Tritão?

Pode Netuno ter engolido uma Super-Terra que vagava pelo Sistema Solar Exterior e roubado sua lua? Sim, o brutal cataclismo poderia explicar o misterioso calor interno irradiado pelo planeta gelado e a estranha órbita de sua maior lua, Tritão.

Continue lendo »

set 13

O lixo espacial é mantido sob controle?

‘Escombros espaciais’ ou ‘lixo-espacial’ (Space Junk) referem-se a quaisquer objetos feitos pelo homem que permanecem em órbita e não servem para nenhum objetivo útil. O lixo-espacial pode fazer um satélite ativo passar por situações péssimas. Em 11 de fevereiro de 2009 um satélite de comunicações Iridium de uma empresa de comunicações privada dos EUA colidiu …

Continue lendo »

ago 12

Mundos em colisão: Spitzer descobre rastros deixados por exoplanetas que se chocaram

Um violento choque de exoplanetas no jovem sistema HD 172555 mandou para o espaço rochas derretidas e lava aquecida. O telescópio espacial Spitzer da NASA descobriu pistas de uma colisão em alta-velocidade entre dois exoplanetas recém-formados em torno de uma jovem estrela. Os astrônomos dizem que dois corpos rochosos, um das dimensões da Lua e …

Continue lendo »

abr 24

Qual a razão do movimento retrógrado de Vênus?

Comparando Vênus com todos os demais planetas do Sistema Solar, nota-se que esse planeta tem uma rotação única. Visto de cima, todos os planetas giram no sentido contrário ao dos ponteiros do relógio. Tal comportamento é natural de ser esperado uma vez que se supõe que todos os planetas se formaram da mesma nebulosa planetária …

Continue lendo »

fev 17

O problema do lixo espacial explicado em imagens

Lixo espacial, escombros espaciais, rejeitos espaciais, detritos em órbita, chame como você quiser… Não é só na Terra que lixo e escombros causam problemas. “Porcas e parafusos” da construção da Estação Espacial Internacional (ISS), vários rejeitos acidentais tais como luvas de traje espacial, câmeras, bem como fragmentos de espaçonaves que explodiram podem tornar-se gravíssimos problemas para o futuro da navegação espacial se ações preventivas para mitigar as ameaças não forem tomadas desde agora. O centro de operações espaciais europeu da ESA colocou uma coleção de imagens interessantes no seu site. Na imagem acima temos uma plotagem dos objetos rastreáveis em órbita da Terra em baixa altitude (chamada de LEO – “Low Earth Orbit”), como se pode ver na nuvem de objetos em volta da Terra, órbita geoestacionária (os satélites GEO, bem distantes, a cerca de 35.786 km sobre a Terra), em formato de grande anel, além dos diversos satélites entre esses dois níveis.

fev 15

Os satélites e o lixo espacial: quais são as estatísticas?

A primeira colisão entre satélites da história da exploração espacial entre o satélite de comunicação russo obsoleto (Cosmos 2251) e o satélite de comunicação norte-americano Iridium 33 leva-nos a pensar sobre o que poderá acontecer no futuro e se esse cenário é só o primeiro de uma série de colisões ou se tal é um evento raro.
Afinal, do que estamos falando aqui?
Quais são os números associados aos objetos espalhados na órbita terrestre?

Vejamos a seguir essas estatísticas…