Arquivo por tag: big splash

A Lua pode ainda ter resquícios de atividade vulcânica?

Quente ou não? Características lunares incomuns  como a Maskelyne IMP sugerem a Lua ainda tem alguns "truques vulcânicos". Créditos: NASA / GSFC / Arizona State Universit

Um novo estudo apresenta evidências que há magma que foi expelido na superfície lunar há menos de 100 milhões de anos, quase 1 bilhão de anos depois do que os cientistas anteriormente pensavam. Se confirmada, a descoberta aponta que elementos radioativos podem ainda estar mantendo o interior lunar aquecido até hoje.

Continue lendo »

Por que o lado oculto da Lua difere tanto do lado visível?

Os astrônomos julgam aparência peculiar do lado visível da Lua (comumente apelidado de “a face lunar” ou “o homem na lua”) surgiu quando asteroides atingiram o lado da Lua voltado para a Terra, criando grandes “mares” (marias) planos de basalto que vemos como áreas escuras. Paradoxalmente, praticamente não existem “mares” no lado oculto da Lua. …

Continue lendo »

Estudo independente confirma a idade da criação da Lua

Um time multinacional de cientistas planetários calculou que a Lua se formou cerca de 100 milhões de anos após a formação do Sol, conforme artigo da revista Nature, publicado em 03 de abril de 2014. Esta conclusão está calcada em medições do interior da Terra, combinadas com simulações computacionais do comportamento do disco primordial protoplanetário, do qual …

Continue lendo »

Hubble descobre que Plutão tem 4 luas!

Plutão e suas 4 luas. Duas imagens com anotações do sistema Plutão obtidas pela câmera WFC3 do Observatório Espacial Hubble, com a recém-descoberta lua P4 dentro do círculo. A imagem à esquerda foi obtida a 28 de Junho de 2011 e a da direita em 3 de Julho de 2011. Créditos: NASA, ESA e M. Showalter (Instituto SETI)

Uma equipe de astrônomos com apoio do Telescópio Espacial Hubble encontrou a quarta lua em órbita do criogênico planeta anão Plutão. Este minúsculo satélite recém descoberto, temporariamente denominado pelo código P4, foi descoberto em trabalho do Hubble que estava procurando pela presença de supostos anéis (como aqueles que vemos nos planetas gigantes gasosos) em torno …

Continue lendo »

KOI-730: astrônomos descobrem em dados do Kepler um par de exoplanetas que residem na mesma órbita da sua estrela

Impressão artística da estrela KOI 730 e seus exoplanetas "co-orbitantes"

Escondido dentro da enxurrada de informações capturadas pelo observatório espacial de busca por exoplanetas Kepler descobriu-se um sistema exoplanetário com características inéditas! As evidências sugerem que dois dos seus exoplanetas compartilham a mesma órbita em torno da sua estrela. Se a descoberta for ratificada, esta apóia a teoria de que a Terra já partilhou sua …

Continue lendo »

Novos estudos sugerem que a formação da Terra e da Lua pode ter ocorrido depois do que pensávamos

rp_giant_impact_2.jpg

Quando se deu o Big Splash? Os astrônomos haviam teorizado que o planeta Terra e a Lua se originaram de uma gigantesca colisão entre dois outros planetas similares em tamanho a Vênus e Marte. Embora a teoria do grande impacto (em inglês: Big Splash) continue firme como a melhor explicação para o surgimento da Lua, …

Continue lendo »

Discussões sobre a formação do Sistema Solar parte 1: por que Vênus não tem nenhuma lua?

Venus Magellan north pole

Introdução – o debate em 2009 da Divisão de Ciências Planetárias: O Sistema Solar primordial foi uma verdadeira galeria de tiro. Nossa lua se formou quando um objeto, denominado Theia, do tamanho de Marte chocou-se com a Terra e ejetou para o espaço uma gigantesca nuvem escombros que por acresção criou o nosso único satélite …

Continue lendo »

Sondas espaciais STEREO procuram restos de um misterioso protoplaneta chamado Theia

Implantação dos painéis das sondas STEREO. Crédito: Johns Hopkins, University Applied Physics Laboratory. Crédito: Dr. C. J. Eyles, University de Birmingham

Como a Lua se formou? A principal hipótese “Giant Impact Theory” propõe que no início da formação do Sistema Solar, um protoplaneta com a dimensão de Marte impactou com a Terra. Os restos da colisão, uma mistura do material de ambos os corpos, foram arremessados para fora da órbita da Terra e se aglutinaram dando origem a Lua. Em breve esta teoria poderá ser testada, resolvendo talvez a questão de como a Lua se formou. Duas sondas gêmeas, da NASA, estão prestes a entrar em regiões do espaço conhecidos como Pontos de Lagrange onde os restos deste misterioso protoplaneta podem estar escondidos. As sondas denominadas Solar Terrestrial Relations Observatory, ou simplesmente STEREO, passarão pelos pontos L4 e L5 onde a gravidade do Sol e da Terra se une formando vazios gravitacionais onde asteróides e poeira espacial tende a recolher-se.

Pedra lunar revela que a Lua teve um núcleo magnético pastoso

O astronauta Harrison Schmidt coletando amostras na missão Apollo 17. Crédito: NASA

A análise em uma das mais puras rochas coletadas na missão Apollo 17 ajudou a resolver um antigo enigma lunar. Os pesquisadores do Massachusetts Institute of Technology (MIT) trabalharam na mais detalhada análise já feita da mais antiga pedra da coleção da Apollo. Traços magnéticos registrados na rocha forneceram uma forte evidência que há 4,2 bilhões de anos a Lua tinha um núcleo líquido com um dínamo, como o manto da existente na Terra hoje, o qual produz um poderoso campo magnético.

Amostras de rochas lunares trazidas pela missão Apollo 17 ajudam cientistas a apurar a idade da Lua

Zircônio

Uma pequena quantidade do mineral zircônio, mais antiga que qualquer uma já encontrada na Terra, foi extraída a partir de uma amostra de rocha trazida pelos astronautas da missão Apollo 17. O mineral encontrado ajudará na apuração da data em que a Lua recém formada se solidificou.

Posts mais antigos «