Arquivo por tag: aglomerado estelar

nov 29

Westerhout 5: dentro da ‘Alma’ da formação estelar por José Jiménez Priego (Astromet)

Onde é que as estrelas se formam? Na maioria das vezes as estrelas se formam em regiões energéticas onde gás e poeira cósmica escura são atraídos em um processo de caótica mutilação. Essa astrofotografia de José Jiménez Priego (Astromet) revela estrelas massivas brilhantes, perto do centro de W5, a Nebulosa da Alma (também catalogada como: Westerhout 5, …

Continue lendo »

nov 17

IC 1805: as nebulosas do Coração e Alma por David Lindemann

Estariam ‘o coração e a alma’ de nossa galáxia situados em Cassiopeia? Obviamente que não, mas é lá que residem duas brilhantes nebulosas de emissão apelidadas de ‘Coração e Alma’ (Heart and Soul).

Continue lendo »

nov 09

NGC 3603: um notável aglomerado próximo com surto explosivo de formação estelar

Situado a ‘apenas’ 20.000 anos luz do nosso Sol, o aglomerado estelar NGC 3603 reside no braço espiral próximo de Carina, em nossa Galáxia Via Láctea. NGC 3603 é bem conhecido dos astrônomos como uma das maiores regiões de formação estelar em nossa galáxia. O aglomerado estelar aberto central contém milhares de estrelas mais massivas que o nosso Sol, …

Continue lendo »

nov 08

NGC 281: retratos da nebulosa PacMan por Martin Pugh e Ken Crawford (Rancho Del Sol Observatory)

Olhe através da estrutura cósmica catalogada como NGC 281 e você possivelmente deixará de reparar nas estrelas do aglomerado estelar aberto IC 1590. No entanto, formado dentro da nuvem NGC 281, o jovem aglomerado de estrelas massivas IC 1590 é o verdadeiro responsável pelo persuasivo brilho nebular. As atraentes formas flutuando nesse retrato da nebulosa NGC 281 são colunas …

Continue lendo »

out 23

M45: o poeirento aglomerado estelar das Plêiades por Hermann von Eiff

Você já viu o aglomerado estelar das Plêiades? Mesmo que já tenha observado, provavelmente você não notou o quanto esse aglomerado estelar é poeirento, como está retratado nessa foto. As Plêiades talvez sejam o mais famoso aglomerado estelar aberto observável nos céus. Suas estrelas podem ser facilmente vistas sem o auxílio de binóculos mesmo em uma cidade …

Continue lendo »

set 24

As Nebulosas da Alma e do Coração e o Aglomerado Duplo por Adrien Klamerius

Esse rico campo estelar se espalha por quase 10 graus nos céus na direção das constelações boreais de Cassiopeia e Perseus. A esquerda vemos a nuvem cósmica IC 1805/IC 1848, popularmente conhecida como as Nebulosas da “Alma e Coração” (Heart and Soul nebulae). Fáceis de visualizar, à direita, estão os aglomerados estelares NGC 869 e NGC …

Continue lendo »

set 17

Terzan 5: astrônomos do ESO descobrem relíquia fóssil rara da Via Láctea primordial

Com auxílio do Very Large Telescope do ESO e outros telescópios, uma equipe internacional de astrônomos descobriu um resto fossilizado da Via Láctea primordial, que contém estrelas com idades muito diferentes. Este sistema estelar é parecido com um aglomerado globular, mas ao mesmo tempo diferente dos outros aglomerados já conhecidos, pois contém estrelas muito similares …

Continue lendo »

ago 11

ESO: Um laboratório estelar em Sagitário

O pequeno punhado de estrelas azuis brilhantes situado em cima e à esquerda nesta imagem enorme do ESO, com 615 milhões de pixels, é o laboratório cósmico perfeito para estudar a vida e a morte das estrelas. Conhecido por Messier 18, este aglomerado estelar contém estrelas que se formaram ao mesmo tempo a partir da …

Continue lendo »

jul 13

O notável aglomerado estelar aberto M7 na constelação do Escorpião por Roberto Colombari

M7 é um dos mais proeminentes aglomerados de estrelas abertos nos céus. M7 é dominado por estrelas azuis brilhantes e pode ser visto a olho nu em uma noite escura bem na cauda da constelação do Escorpião (Scorpius).

Continue lendo »

jun 24

Girassóis em Sagittarius por Andrew Campbell

Três brilhantes nebulosas são usualmente observadas através de tours telescópicos na constelação de Sagittarius e os populosos campos estelares do centro da Via Láctea. De fato, o turista astronômico do século XVIII Charles Messier catalogou duas delas: a M8 (à esquerda do centro da imagem) e a colorida M20 (na parte inferior do quadro). A terceira nebulosa (NGC 6559) …

Continue lendo »

Posts mais antigos «