Arquivo por categoria: Nebulosas

jul 27

Órion: A história de três cidades estelares

A partir de nova observações obtidas com o Telescópio de Rastreamento do VLT do ESO, astrônomos descobriram três populações distintas de estrelas bebês no Aglomerado da Nebulosa de Órion. Esta descoberta inesperada ajuda a compreender melhor como é que se formam este tipo de aglomerados, sugerindo que a formação estelar pode acontecer em surtos, onde …

Continue lendo »

jun 14

VST captura três em um: a Nebulosa da Águia, a Nebulosa Ômega e a nuvem Sharpless 2-54

Dois dos residentes mais famosos do céu dividem os holofotes com um vizinho menos conhecido, nesta enorme imagem de 3 bilhões de pixels obtida pelo Telescópio de Rastreio do VLT do ESO (VST). À direita vemos a tênue nuvem de gás brilhante conhecida por Sharpless 2-54, no centro temos a Nebulosa da Águia e à …

Continue lendo »

jun 08

ALMA descobre ingrediente da vida em torno de estrelas recém-nascidas do tipo solar

O ALMA observou estrelas como o Sol em uma fase muito inicial da sua formação e descobriu traços de isocianato de metila — um bloco constituinte de vida. Esta é a primeira vez que se detecta esta molécula pré-biótica em protoestrelas do tipo solar, isto é, estrelas do tipo da protoestrela que deu origem ao …

Continue lendo »

jun 04

O Cinturão de Órion, a Nebulosa da Chama e a Cabeça do Cavalo por Rogelio Bernal Andreo

O que envolve o Famoso cinturão de estrelas de Órion? Essa exposição profunda nos mostra uma pletora de diferentes objetos, desde nebulosas escuras até aglomerados estelares, todos embutidos em uma mancha de mechas gasosas no grande Complexo da Nuvem Molecular de Órion. As brilhantes três estrelas (do asterismo das ‘Três Marias’) aparecem diagonalmente a partir da esquerda da imagem em destaque. É …

Continue lendo »

maio 18

Simeis 147: a Intrincada Remanescente de Supernova por Daniel Lopez (IAC)

Simeis 147: a Intrincada Remanescente de Supernova

É fácil se perder seguindo visualmente os intrincados filamentos nessa imagem detalhada dessa tênue nebulosa remanescente de supernova Simeis 147. Também catalogada como Sh2-240 e visível na constelação de Taurus (Touro), ela cobre quase 3º (6 luas cheias) no céu.

Tal corresponde a uma largura de 150 anos-luz da nuvem de resíduo estelar que dista 3.000 anos-luz da Terra. Essa imagem composta em banda-estreita através da palheta de cores do Hubble inclui a emissão a partir dos átomos hidrogênio, enxofre e oxigênio traçando regiões de ondas de choque de gás brilhante. Essa remanescente de supernova tem uma idade estimada em cerca de 40.000 anos – o que implica que a luz proveniente dessa massiva explosão estelar atingiu a Terra pela primeira vez há 40.000 anos. Todavia essa nebulosa em expansão não é a única seqüela cósmica. A catástrofe cósmica deixou também uma estrela de nêutrons em rotação (pulsar), que foi tudo que restou do núcleo original da estrela.

maio 14

IC 410: a formação estelar na Nebulosa do Girino capturada pelo WISE e processada por Francesco Antonucci

O que está acontecendo na Nebulosa do Girino? A resposta principal é: “formação estelar”. A poeirenta nebulosa de emissão do Girino, catalogada formalmente como IC 410, reside a cerca de 12.000 anos luz na constelação do Cocheiro (Auriga), observável nos céus do hemisfério norte.

Continue lendo »

maio 10

M1: um incrível retrato composto da Nebulosa do Caranguejo pelo Spitzer, XMM-Newton, VLA e Chandra

Um grupo de astrônomos produziu uma imagem altamente detalhada da Nebulosa do Caranguejo (M1), combinando dados de diversos telescópios abrangendo quase toda a amplitude do espectro eletromagnético, desde as ondas de rádio vistas pelo VLA (Karl G. Jansky Very Large Array) até ao poderoso brilho de raios-X capturado pelo Observatório Espacial Chandra. Foram incluídos, dentro …

Continue lendo »

abr 21

A nebulosa planetária da Aranha Vermelha capturada pelo Hubble e enriquecida por Jesús Vargas e Maritxu Poyal

Observe na imagem em destaque a teia emaranhada que uma nebulosa planetária pode tecer. De fato, a Nebulosa Planetária da Aranha Vermelha exibe uma complexa estrutura resultante do processo que ocorre quando uma estrela convencional (como o Sol) ejeta suas camadas externas e depois se transforma em uma anã branca.

Continue lendo »

abr 09

A nebulosa escura LDN 1622 e o Loop de Barnard por Leonardo Julio

A silhueta de uma intrigante nebulosa escura habita essa cena cósmica. A Nebulosa Escura de Lynds (LDN 1622) aparece abaixo do centro da imagem no primeiro plano, à frente de um tênue fundo de gás de hidrogênio brilhante, apenas visível através de longas exposições telescópicas dessa região. A nebulosa escura LDN 1622 reside próxima do plano da nossa …

Continue lendo »

abr 07

O complexo de radiotelescópios ALMA observa “fogos de artifícios estelares”

As explosões estelares são normalmente associadas a supernovas, as espetaculares mortes das estrelas. No entanto, novas observações do ALMA forneceram informações sobre explosões na outra ponta do ciclo de vida estelar, o nascimento das estrelas. Astrônomos capturaram estas imagens quando exploravam os restos, parecidos com ‘fogos de artifício’, do nascimento de um grupo de estrelas …

Continue lendo »

Posts mais antigos «

error: Esse blog é protegido!