Arquivo por categoria: Nebulosas

jul 24

M2-9: a Nebulosa da Borboleta capturada pelo Hubble e processada por Judy Schmidt

Por que as estrelas são mais apreciadas como ‘arte cósmica’ depois de mortas? De fato, as estrelas produzem formas artísticas notáveis e únicas à medida que se tornam moribundas. No caso de estrelas de massas similares ao nosso Sol tais como a M2-9 mostrada na imagem em destaque, o processo as transforma de estrelas normais em anãs brancas ejetando …

Continue lendo »

jul 15

NGC 2736: a Nebulosa do Lápis por Howard Hedlund e Dave Jurasevich

Movendo-se de cima para baixo no quadro perto do centro desta composição colida acentuadamente detalhada, vemos filamentos finos e brilhantes trançados os quais são na verdade longas ondulações em uma folha cósmica de gás brilhante, vista praticamente de perfil. A onda de choque navega atravé do espaço interestelar em mais de 500.000 quilômetros por hora. …

Continue lendo »

jul 12

Imagens infravermelhas do VLT revelam quantidade inesperada de objetos de pequena massa na nebulosa de Órion

Porque queremos aprender sobre como as estrelas se formam, nós estudados o indicador chamado IMF (Initial Mass Function – Função de Massa Inicial Estelar) [3] que nos conta, para uma dada população de estrelas, a distribuição inicial de suas massas. Uma recente referencia (Encyclopedia of Astrobiology, Springer, 2011) define essa função: A Função da Massa …

Continue lendo »

jul 06

As nuvens cósmicas coloridas de Rho Ophiuchi por Tom Masterson

As diversas cores espetaculares das nuvens de Rho Ophiuchi destacam os diversos processos que por lá ocorrem.

Continue lendo »

jul 04

IC 4628: a Nebulosa do Camarão por Michael Sidonio

Ao sul da estrela Antares, na cauda da constelação de Escorpião, um lugar rico em nebulosas, encontra-se nebulosa de emissão IC 4628. Vizinhas a essa nebulosa habitam estrelas jovens de grande massa, as quais energizam a nuvem cósmica com a invisível radiação ultravioleta, arrancando os elétrons de seus átomos. Os elétrons eventualmente se recombinam com outros átomos para …

Continue lendo »

jun 24

Girassóis em Sagittarius por Andrew Campbell

Três brilhantes nebulosas são usualmente observadas através de tours telescópicos na constelação de Sagittarius e os populosos campos estelares do centro da Via Láctea. De fato, o turista astronômico do século XVIII Charles Messier catalogou duas delas: a M8 (à esquerda do centro da imagem) e a colorida M20 (na parte inferior do quadro). A terceira nebulosa (NGC 6559) …

Continue lendo »

jun 14

As nebulosas do Pelicano e da América do Norte por Ezequiel Etcheverry

Aqui vemos ‘formatos familiares’ em localizações ‘não familiares’. Na esquerda se vê a nebulosa de emissão catalogada como NGC 7000, famosa parcialmente pois lembra o mapa do continente da América do Norte. A região de emissão à direita da Nebulosa América do Norte é IC 5070, também conhecida por suas sugestivas formas como a Nebulosa do Pelicano.

Continue lendo »

jun 10

NGC 6888: a Nebulosa Crescente por Michael Miller e Jimmy Walker

A Nebulosa Crescente (NGC 6888) é uma bolha cósmica de 25 anos luz de diâmetro, insuflada por ventos emanados pela sua massiva e energética estrela central. Este preciso retrato telescópico usa dados em banda estreita que isola a luz irradiada pelos átomos de hidrogênio e oxigênio presentes na nebulosa soprada pelo vento estelar. Os átomos de …

Continue lendo »

jun 08

A Cabeça do Cavalo em infravermelho pelo Hubble

Esta é uma visão inédita que mostra uma parte da constelação de Órion bastante conhecida de todos nós: a Nebulosa Cabeça do Cavalo (Barnard 33). Esta imagem fez parte das celebrações do 23º aniversário do Hubble. Elevando-se como um gigantesco cavalo marinho rodeado por turbulentas ondas de gás e poeira cósmica a nebulosa Barnard 33 …

Continue lendo »

jun 05

O Cometa PanSTARRS e a Nebulosa da Hélice por Fritz Helmut Hemmerich

O Cometa e a Nebulosa em um só quadro É bem raro que dois objetos tão distintos e pitorescos sejam capturados junto na mesma imagem. Tal ocasião está ocorrendo, no entanto, e foi fotografada há dois dias (03 de junho de 2016) em combinadas exposições paralelas a partir das Ilhas Canarias da Espanha pelo astrofotógrafo Fritz Helmut Hemmerich.

Continue lendo »

Posts mais antigos «