Arquivo por categoria: Astrofotografia

maio 23

Uma visão na direção da grande galáxia espiral M101 por Laszlo Bagi

A enorme e bela galáxia espiral M101 é uma das últimas entradas no famoso catálogo do astrônomo Charles Messier, mas, definitivamente, ela não tem pequena importância. M101 reside a cerca de 170.000 anos-luz. Trata-se de uma galáxia de grande porte, com quase duas vezes o diâmetro da Via Láctea.

Continue lendo »

maio 21

2007 OR10: Hubble vislumbra lua orbitando o 3º maior planeta anão do Sistema Solar

O poder combinado de três observatórios espaciais, com a participação do Telescópio Espacial Hubble da NASA juntamente com os Observatórios Espaciais Kepler e Herschel, ajudou aos astrônomos a descobrir uma lua em órbita do terceiro maior planeta anão conhecido, catalogado como OR10 em 2007. O par de objetos reside nos confins do nosso Sistema Solar, …

Continue lendo »

maio 18

Simeis 147: a Intrincada Remanescente de Supernova por Daniel Lopez (IAC)

Simeis 147: a Intrincada Remanescente de Supernova

É fácil se perder seguindo visualmente os intrincados filamentos nessa imagem detalhada dessa tênue nebulosa remanescente de supernova Simeis 147. Também catalogada como Sh2-240 e visível na constelação de Taurus (Touro), ela cobre quase 3º (6 luas cheias) no céu.

Tal corresponde a uma largura de 150 anos-luz da nuvem de resíduo estelar que dista 3.000 anos-luz da Terra. Essa imagem composta em banda-estreita através da palheta de cores do Hubble inclui a emissão a partir dos átomos hidrogênio, enxofre e oxigênio traçando regiões de ondas de choque de gás brilhante. Essa remanescente de supernova tem uma idade estimada em cerca de 40.000 anos – o que implica que a luz proveniente dessa massiva explosão estelar atingiu a Terra pela primeira vez há 40.000 anos. Todavia essa nebulosa em expansão não é a única seqüela cósmica. A catástrofe cósmica deixou também uma estrela de nêutrons em rotação (pulsar), que foi tudo que restou do núcleo original da estrela.

maio 17

M13: O Grande Aglomerado Globular em Hércules por Adam Block

Em 1716, o astrônomo inglês Edmond Halley declarou timidamente sobre M13: “Isso é nada mais que uma pequena ‘mancha’, mas se mostra para nós a olho nu [sem ajuda de instrumentos óticos], quando o céu está sereno e a Lua ausente.” Atualmente, M13 é reconhecidamente notado, sem nenhuma modéstia, como o Grande Aglomerado Globular em Hércules, um dos …

Continue lendo »

maio 15

ALMA: Alimentando a estrela bebê HH212 com um hambúrguer poeirento

Esta imagem curiosa pode parecer uma coleção de bolhas coloridas, mas na realidade trata-se de uma imagem de alta resolução de uma estrela recém nascida envolvida em poeira. Situada a apenas 1.300 anos-luz de distância, na constelação de Órion, a estrela HH212 é muito jovem. A vida média de uma estrela de pequena massa como …

Continue lendo »

maio 14

IC 410: a formação estelar na Nebulosa do Girino capturada pelo WISE e processada por Francesco Antonucci

O que está acontecendo na Nebulosa do Girino? A resposta principal é: “formação estelar”. A poeirenta nebulosa de emissão do Girino, catalogada formalmente como IC 410, reside a cerca de 12.000 anos luz na constelação do Cocheiro (Auriga), observável nos céus do hemisfério norte.

Continue lendo »

maio 12

Arp 273: Hubble captura UGC 1810, uma galáxia altamente interativa com sua companheira UGC 1813

O que está acontecendo nessa galáxia espiral? Embora vários detalhes permaneçam incertos, os astrônomos certamente julgam que se relacionam com a batalha em andamento entre a galáxia maior e sua vizinha menor. A galáxia em destaque na imagem (UGC 1810) juntamente com sua parceira em colisão (UGC 1813 – que não aparece na imagem acima) é uma dupla conhecida …

Continue lendo »

maio 10

M1: um incrível retrato composto da Nebulosa do Caranguejo pelo Spitzer, XMM-Newton, VLA e Chandra

Um grupo de astrônomos produziu uma imagem altamente detalhada da Nebulosa do Caranguejo (M1), combinando dados de diversos telescópios abrangendo quase toda a amplitude do espectro eletromagnético, desde as ondas de rádio vistas pelo VLA (Karl G. Jansky Very Large Array) até ao poderoso brilho de raios-X capturado pelo Observatório Espacial Chandra. Foram incluídos, dentro …

Continue lendo »

maio 03

O telescópio VISTA enxerga através do véu de poeira da Pequena Nuvem de Magalhães

A Pequena Nuvem de Magalhães é uma galáxia proeminente que pode ser vista a olho nu no céu austral. No entanto, os telescópios que operam no visível não conseguem obter uma visão clara desta galáxia, devido às nuvens de poeira interestelar que a obscurecem. As capacidades infravermelhas do VISTA permitiram aos astrônomos observar a miríade …

Continue lendo »

abr 25

Astrônomos observam imagens múltiplas de uma Supernova Tipo Ia através de lente gravitacional capturadas pelo Hubble

Um time de astrônomos utilizou de forma inédita o Telescópio Espacial Hubble da NASA/ESA para analisar imagens múltiplas de uma supernova do tipo Ia através de uma lente gravitacional. As quatro imagens da estrela em explosão serão usadas para medir a expansão do Universo. Isto pode ser feito sem quaisquer pressupostos teóricos acerca do modelo …

Continue lendo »

Posts mais antigos «

error: Esse blog é protegido!