«

»

fev 24

A portentosa galáxia espiral NGC 3621 capturada pelo ESO e Hubble, processada por Robert Gendler e Roberto Colombari

https://apod.nasa.gov/apod/image/1702/NGC3621-HST-ESO-gendlerL.jpg

NGC 3621 – créditos da imagem©: Processamento por Robert Gendler e Roberto Colombari; Dados fornecidos pelo Hubble Legacy Archive, ESO (European Southern Observatory, et al.)

Muito além do grupo local de galáxias reside a espiral NGC 3621, uma galáxia ‘grand design‘, situada a cerca de 22 milhões de anos luz de distância de nós.

Encontramos a NGC 3621 na constelação meridional de Hydra, a maior de todas as constelações nos céus. Os magníficos braços espirais desse portentoso universo-ilha estão carregados de aglomerados de estrelas luminosas azuis, regiões em tons de rosa de formação estelar e faixas de enegrecidas de poeira cósmica.

Ainda assim, para os astrônomos, a NGC 3621 não tem sido apenas outra belíssima galáxia com uma de suas faces voltada para nós.

Algumas das mais brilhantes estrelas têm sido usadas como velas padrão para estimar as relevantes distâncias extragalácticas e a escala do Universo.

Essa bela imagem em destaque da NGC 3621 é uma composição de dados tanto de telescópios do espaço quando da Terra. A imagem retrata os espaçados braços espirais bem longe das regiões centrais brilhantes por até 100.000 anos luz. Obviamente, também vemos estrelas pontiagudas que estão no primeiro plano e pertencem a nossa Via Láctea. Completando o panorama cósmico vemos galáxias mais distantes reside no plano de fundo dessa colorida paisagem celeste.

https://cdn.eso.org/images/large/potw1148a.jpg

NGC 3621 pelo VLT – uma galáxia com três buracos negros no centro. Créditos: ESO/VLT

A imagem acima, capturada pelo Very Large Telescope (VLT) do ESO, mostra uma outra visão dessa galáxia verdadeiramente notável. Para começar, é uma galáxia puramente discoide. Como outras galáxias espirais, NGC 3621 tem um disco plano permeado por raias escuras de matéria escurecida e com braços espirais proeminentes onde jovens estrelas se formam em aglomerados (os pontos azuis vistos na imagem). Mas, enquanto a maioria das galáxias espirais têm uma protuberância central (um grande grupo de velhas estrelas embaladas em uma região esférica compacta) a NGC 3621 não a possui! Nesta imagem do VLT é claro que há simplesmente um brilho no centro, mas nenhuma protuberância real como a de NGC 6744 (ver eso1118), por exemplo.

NGC 3621 também é curiosa, pois os astrônomos julgam que há um buraco negro supermassivo ativo em seu centro que está se mostrando engolindo matéria e produzindo radiação. Isto é um tanto incomum porque a maioria destes núcleos galácticos ativos existem em galáxias com protuberâncias proeminentes. Neste caso particular, o buraco negro supermassivo da NGC 3621 parece ter uma massa relativamente pequena, calculada em cerca de 20.000 vezes a massa do Sol.

Outra característica notável é que os cientistas também julgam que há dois pequenos buracos negros supermassivos, com massas de alguns milhares de vezes a do Sol, próximos ao núcleo da galáxia. Portanto, o NGC 3621 é um objeto extremamente interessante, cheio de surpresas, o qual, apesar de não ter uma protuberância central, possui um complexo sistema de três buracos negros em sua região central.

A segunda imagem desse artigo foi capturada usando os filtros B, V e I com o instrumento FORS1 no VLT do ESO e mostra detalhes impressionantes deste objeto estranho e também revela uma infinidade de galáxias de fundo. A imagem mostra também um bom número de estrelas brilhantes no primeiro plano, as quais pertencem a nossa própria galáxia.

Fontes

APOD: NGC 3621: Far Beyond the Local Group – créditos da imagem©: Processamento por Robert GendlerRoberto Colombari; Dados fornecidos por Hubble Legacy ArchiveEuropean Southern Observatory, et al.

ESO: A Galaxy Full of Surprises — NGC 3621 is bulgeless but has three central black holes

._._.

1 comentário

  1. Patrezzi Luiz Pinto

    Magnifica. Deve haver vida nesta beleza.

Deixe uma resposta