«

»

fev 15

OH 231.8+04.2: a Nebulosa do ‘Ovo Podre’ revelada pelo Hubble e processada por Judy Schmidt

https://cdn.spacetelescope.org/archives/images/wallpaper5/potw1705a.jpg

OH 231.8+04.2: a Nebulosa do ‘Ovo Podre’ revelada pelo Hubble e processada por Judy Schmidt

Nuvens em expansão revelam espetacularmente o fim da vida útil da estrela central na Nebulosa Calabash.

Uma estrela antes ordinária, similar ao nosso Sol, esgotou o seu combustível nuclear, causando que suas áreas centrais se contraíssem e criassem uma anã branca.

Durante o processo de contração, parte da energia liberada fez com que suas camadas externas se expandam. Nesse caso, o resultado é uma fotogênica nebulosa planetária.

As camadas externas (mostradas em amarelo), expulsas pela estrela morta, formadas por gases a velocidades de 1,5 milhões de km por hora, se expandem em direções opostas dentro do gás interstelar já existente. Elas criam uma frente supersônica de choque onde o hidrogênio ionizado e o nitrogênio brilham em tons azulados.

Nuvens espessas de gás e poeira cósmica escondem a estrela central moribunda dos telescópios óticos.

A Nebulosa Calabash, também popularmente conhecida como a Nebulosa do Ovo Podre e catalogada como OH 231.8+04.2, irá provavelmente se desenvolver em uma nebulosa bipolar planetária plena dentro de cerca de 1.000 anos.

Retratada na imagem em destaque, a nebulosa OH 231.8+04.2 tem aproximadamente 1,4 anos luz de diâmetro e reside a 5.000 anos luz na direção da constelação de Puppis.

Em tempo, a Nebulosa do Ovo Podre ganhou esse nome por conter vastas quantidades de enxofre.

https://apod.nasa.gov/apod/ap991101.html

A Nebulosa Planetária do “Ovo Podre”(“Rotten Egg” Nebula) – Créditos: W. B. Latter (Caltech) et al., ESA, NASA

Fontes

Hubble/ESA Images: The Calabash clash

APOD:

._._.

1 comentário

  1. Patrezzi Luiz Pinto

    Ela me lembra uma lula e um tubarão.

Deixe uma resposta