«

»

jan 01

M20: a nebulosa Trífida em infravermelho examinada pelo SPITZER

https://apod.nasa.gov/apod/image/1612/trifid_spitzerR.jpg

Nebulosa Trífida em infravermelho – Créditos da Imagem: J. Rho (SSC/Caltech), JPL-Caltech, NASA

Nebulosa Trífida (NGC 6514), catalogada como Messier 20, é relativamente fácil de ser encontrada com telescópios de menor porte. Trífida é uma nebulosa rica que reside na direção da constelação de Sagittarius.

As imagens no espectro visível mostram a nebulosa dividida em três partes por trilhas de poeira escuras. Na verdade, o nome Trífida significa “dividida em três lóbulos”.

Esta penetrante imagem no espectro do infravermelho revela filamentos de nuvens de poeira brilhantes e estrelas recém-nascidas.

Esta espetacular visão em cores falsas é uma cortesia do observatório espacial SPITZER. Na imagem acima a nebulosa Trífida aparece em uma área de 30 anos luz de diâmetro, a uma distância de cerca de 5.500 anos luz da Terra.

http://www.spitzer.caltech.edu/images/1364-ssc2005-02a-New-Views-of-a-Familiar-Beauty

Visões da nebulosa Trífida no visível (NOAO) e infravermelho (Spitzer – IRAC + MIPS)

Os astrônomos têm usado imagens em infravermelho do SPITZER para contar estrelas recém-formadas e embriônicas proto estrelas que estariam escondidas dentro dos seus casulos de poeira natais e nuvens de gás que pertencem a este inebriante berçário estelar. A imagem abaixo mostra estes objetos destacados nas setas.

http://photojournal.jpl.nasa.gov/catalog/PIA07226

PIA07226 – Estrelas embriônicas na nebulosa Trífida capturadas pelo Spitzer. Créditos: NASA/JPL-Caltech/NOAO/STScI

Na imagem acima do Spitzer, tomada pela câmera infravermelha à disposição do telescópio, processada em cores falsas, os embriões estelares estão indicados com setas. Os mesmos embriões não podem ser vistos nas imagens capturadas nas frequências da luz visível. Spitzer descobriu aglomerados de embriões em dois dos núcleos (à direita) e apenas os embriões individuais nos outros dois (à esquerda). Esta é uma das primeiras vezes que vários embriões foram observados em núcleos individuais nesta fase inicial de desenvolvimento estelar .

Fontes

NASA Photojournal: PIA07226: Stellar ‘Incubators’ Seen Cooking up Stars

SPITZER: New Views of a Familiar Beauty

APOD:

._._.

Deixe uma resposta