«

»

nov 11

A teia cósmica da Nebulosa da Tarântula por Josep Drudis

https://astrodrudis.com/portfolio/ngc-2070-the-tarantula-nebula-caldwell-103/

Essa imagem foi processada no filtro HOS (Hidrogênio-alpha, Oxigênio III e Enxofre II) de banda estreita, misturada com dados de banda larga RGB de forma a reproduzir suas cores naturais e posteriormente processada com a adição da segunda imagem exposta abaixo, de forma a estressar e realçar os dados da emissão do Oxigênio – crédito da imagem©: Josep Drudis

A Nebulosa da Tarântula é a maior e mais complexa região de formação estelar em toda a vizinhança da nossa galáxia.

Localizada na Grande Nuvem de Magalhães (LMC – Large Magellanic Cloud), uma galáxia satélite da nossa Via Láctea, a aparência que lembra uma aranha é responsável pelo nome popular dessa região: “A Nebulosa da Tarântula.

Contudo, essa aranha cósmica é gigantesca, com cerca de 1.000 anos luz de diâmetro. Por comparação, se colocarmos a Nebulosa da Tarântula na distância de 1.500 anos luz (similar a posição onde está a famosa Nebulosa de Órion, a fábrica de estrelas mais próxima da Terra), essa portentosa nebulosa iria ocupar cerce de 30 graus no céu (60 Luas Cheias).

Detalhes notáveis da Tarântula estão visíveis na imagem em destaque que mostra cores associadas cientificamente, predominantemente ligadas ao hidrogênio e ao oxigênio. Os braços da nebulosa da Tarântula envolvem NGC 2070, um notável aglomerado estelar que hospeda algumas das mais brilhantes e mais massivas estrelas conhecidas, visível no centro da imagem.

Uma vez que as estrelas massivas têm vidas curtas e morrem jovens, não é tão surpreendente que a cósmica Tarântula esteja próxima da mais próxima supernova recentemente observada, a SN 1987A.

As imagens deste objeto foram capturadas tanto em filtros de banda estreita quanto em largo espectro (RGB).

https://astrodrudis.com/portfolio/ngc-2070-the-tarantula-nebula-2/

Essa segunda imagem contem os filtros de banda estreita e foi mapeada de forma a estressar mais os detalhes da região de emissão de OIII. Essa imagem foi mapeada em H (vermelho) O (verde) O (verde-azul) H (azul). A composição foi processada para fornecer uma cor natural “desviada para o verde” – crédito da imagem©: Josep Drudis

Fontes

Astrodudis.com: NGC 2070. CALDWELL 103. THE TARANTULA NEBULA

APOD: The Cosmic Web of the Tarantula Nebula – crédito da imagem©: Josep Drudis

._._.

Deixe uma resposta