«

»

out 16

Opportunity irá explorar possível escoadouro em Marte em sua missão estendida

http://www.nasa.gov/sites/default/files/thumbnails/image/pia20849-main_sol4480_p2430_l257atc.jpg

Esta cena capturada pelo veículo robótico da NASA em Marte Opportunity mostra “Wharton Ridge”, que forma parte da parede sul de “Marathon Valley”, na orla da Cratera Endeavour. O nome desta formação é uma honra ao astrobiólogo Robert A. Wharton (1951-2012). A cena mostra cores quase verdadeiras. Créditos: NASA/JPL-Caltech/Cornell/Universidade Estatal do Arizona

O veículo exploratório robótico (rover) Opportunity da NASA vai descer uma vala esculpida há muito tempo atrás por um líquido que poderá ter sido água, de acordo com os últimos planos da missão de 12 anos. Nenhum rover em Marte já realizou isto antes.

Opportunity é o rover há mais tempo ativo em Marte e irá pela primeira vez visitar o interior da cratera onde tem trabalhado durante os últimos cinco anos. Estas atividades fazem parte de uma missão prolongada de dois anos que começou no dia 1 de outubro de 2016, a mais recente de uma série de extensões que iniciaram no final da missão principal do Opportunity em abril de 2004.

A espaçonave que carregou o veículo robótico Opportunity foi lançada no dia 7 de julho de 2003. O rover pousou em Marte no dia 24 de janeiro de 2004, visando realizar uma missão originalmente planejada para durar 90 dias marcianos, o equivalente a 92,4 dias terrestres.

John Callas, gerente da missão Opportunity do JPL da NASA em Pasadena, Califórnia, EUA, destacou:

Agora nós excedemos a duração da missão principal por 50 vezes! Marcos como este nos lembram de conquistas históricas tornadas possíveis pelas pessoas dedicadas responsáveis pela construção e operação deste ativo nacional na exploração de Marte.

http://www.nasa.gov/sites/default/files/thumbnails/image/pia20850_sol4480_p2430_l257f.jpg

Esta cena captada pelo rover Opportunity mostra “Wharton Ridge”, que forma parte da parede sul de “Marathon Valley”, na orla da Cratera Endeavour. O nome desta formação honra o astrobiólogo Robert A. Wharton (1951-2012). A cena mostra cores melhoradas para tornar mais facilmente visíveis diferenças nos materiais à superfície. Créditos: NASA/JPL-Caltech/Cornell/Universidade Estatal do Arizona

O rover Opportunity começou a sua mais recente missão estendida na porção denominada “Bitterroot Valley”, situada na borda ocidental da cratera Endeavour, uma bacia com 22 km de diâmetro que foi escavada por um impacto de meteoro há bilhões de anos. O Opportunity alcançou a borda desta cratera em 2011 depois de mais de sete anos investigando uma série de crateras menores. Nessas crateras, o rover encontrou evidências de água ácida antiga que encharcou camadas subterrâneas e algumas vezes cobriu a superfície.

A vala escolhida como o próximo destino principal da missão corta de oeste para este a orla da cratera a menos de um quilômetro ao sul da posição atual do rover. A vala possui o comprimento equivalente a quase dois campos de futebol.

Steve Squyres, pesquisador líder do Opportunity, membro da Universidade Cornell em Ithaca, Nova Iorque, explicou:

Estamos confiantes de que esta é uma vala esculpida por fluidos e que a água esteve envolvida na sua formação. As ravinas esculpidas em Marte já são vistas a partir de órbita desde os anos 1970, mas nenhuma tinha antes sido examinada de perto. Um dos três objetivos principais da missão prolongada é investigar esta formação. Nós esperamos saber se o fluido era um fluxo de escombros, com grandes quantidades de entulho lubrificado por água ou um fluxo principalmente formado de água com menos detritos.

http://www.nasa.gov/sites/default/files/thumbnails/image/pia20851_sol4501b_p2449_1_l257atc.jpg

Esta cena fotografada no dia 21 de setembro de 2016 pela câmara Pancam do rover Opportunity mostra “Spirit Mound”, com o chão da Cratera Endeavour por trás. O pequeno monte encontra-se perto do limite este de “Bitterroot Valley” na orla oeste da cratera, e a imagem está virada para este. Créditos: NASA/JPL-Caltech/Cornell/Universidade Estatal do Arizona

O time pretende conduzir o Opportunity até à base da vala, dentro da cratera. O segundo objetivo da missão estendida é comparar rochas dentro da Cratera Endeavour com o tipo dominante de rocha que o Opportunity examinou nas planícies antes de alcançar a Endeavour.

Steve Squyres afirmou:

Podemos talvez descobrir se as rochas ricas em sulfato que vemos fora da cratera não são as mesmas lá dentro. Acreditamos que estas rochas ricas em sulfato se formaram a partir de um processo relacionado com água e sabemos que a água desce declives. O ambiente molhado no interior de cratera poderá ter sido eventualmente diferente do exterior na planície cronologicamente ou quimicamente.

http://www.nasa.gov/sites/default/files/thumbnails/image/pia20852_sol4501b_p2449_1_l257f.jpg

Esta cena fotografada no dia 21 de setembro de 2016 pela câmara Pancam do rover Opportunity mostra “Spirit Mound”, com o chão da Cratera Endeavour por trás. O pequeno monte encontra-se perto do limite este de “Bitterroot Valley” na orla oeste da cratera, e a imagem está virada para este. Créditos: NASA/JPL-Caltech/Cornell/Universidade Estatal do Arizona

O time de operação da missão irá enfrentar consideráveis desafios para manter o Opportunity ativo por mais dois anos. Embora a maioria dos mecanismos à bordo ainda estejam em boa saúde, os motores e outros componentes já superaram largamente seu tempo de vida útil. O gêmeo do Opportunity, Spirit, perdeu a função de duas das suas seis rodas antes de sucumbir ao frio do seu quarto inverno marciano em 2010. O Opportunity irá enfrentar o seu oitavo inverno marciano em 2017. O uso da memória “flash” não-volátil do Opportunity, que permite a gravação de dados durante a noite, foi interrompido no ano passado, de modo que os resultados de cada dia de observações e medições têm que ser transmitidos no mesmo dia ou são inevitavelmente perdidos.

Na última missão estendida de dois anos que terminou no mês passado, o Opportunity explorou a área “Marathon Valley” da borda ocidental da Endeavour, documentando o contexto geológico dos minerais relacionados com água que haviam sido aí mapeados a partir de órbita. No último mês, o rover atravessou “Lewis and Clark Gap,” um ponto baixo na parede que separa Marathon Balley de Bitterroot Valley. Um panorama a cores recentemente obtido pelo rover mostra “Wharton Ridge“, que se estende à leste a partir da lacuna.

Há alguns dias, o Opportunity investigou exposições rochosas perto de “Spirit Mound“, uma característica proeminente perto da extremidade oriental de “Bitterroot Valley”. O terceiro principal objetivo científico da extensão da missão é encontrar e examinar rochas de uma camada geológica presente antes do impacto que escavou a Cratera Endeavour. O time científico ainda não determinou se a área alvo fornece rochas assim tão antigas.

http://www.nasa.gov/sites/default/files/thumbnails/image/pia20854_gully_map.jpg

Este mapa mostra parte da orla ocidental da Cratera Endeavour que inclui a área “Marathon Valley” investigada intensamente pelo rover Opportunity em 2015 e 2016, e uma vala esculpida por líquido que é o destino da missão (para sul). Créditos: NASA/JPL-Caltech/Universidade Estatal do Arizona

Fontes

Phys.org: Opportunity rover to explore Mars gully

NASA: NASA’s Opportunity Rover to Explore Mars Gully

._._.

Deixe uma resposta