«

»

jul 26

Astrônomos descobrem sobre a vertiginosa rotação do Halo da nossa galáxia Via Láctea

http://www.nasa.gov/sites/default/files/thumbnails/image/mw_halo_lg.jpg

Essa impressão artística mostra a nossa Via Láctea no centro e as suas pequenas companheiras rodeadas por um halo gigante com mais de um milhão de graus Celsius (visto aqui em azul) que é apenas visível pelos telescópios espaciais de raios-X. Astrônomos da Universidade de Michigan descobriram que este halo gigante e quente gira na mesma direção que a Via Láctea e a uma velocidade comparável. Créditos: NASA/CXC/M. Weiss/Ohio State/A. Gupta et al.

Astrônomos da LSA (Faculdade de Literatura, Ciência e Artes) da Universidade de Michigan, EUA, descobriram pela primeira vez que o gás quente no halo da Via Láctea gira na mesma direção e com velocidades comparáveis as do disco da Galáxia, que contém as nossas estrelas, planetas, gases e poeira cósmica. Este novo conhecimento lança novas pistas sobre como os átomos individuais se reuniram para formar estrelas, planetas e galáxias como a nossa, além do futuro que está reservado para estas galáxias.

Edmund Hodges-Kluck, cientista assistente da pesquisa, esclareceu:

Isto é contrário as expectativas. Os cientistas simplesmente assumiam anteriormente que o disco da Via Láctea girava enquanto o gás quente permanecia estacionário, mas isso está errado. Este reservatório de gás quente também gira, apenas não tão rápido quanto o disco da galáxia.

A nova pesquisa patrocinada pela NASA usou dados dos arquivos do observatório de raios-X XMM-Newton da ESA e foi publicada recentemente no The Astrophysical Journal. O estudo foca no halo quente e gasoso da Via Láctea, que é muitas vezes maior do que o disco da nossa galáxia e é composto por plasma (gás ionizado).

Considerando que o movimento produz uma mudança no comprimento de onda da luz (efeito Doppler), os cientistas mediram estes desvios nos céus usando as linhas espectrais do oxigênio fortemente aquecido. O que descobriram foi surpreendente: os desvios nas frequências medidos mostram que o halo da nossa galáxia gira na mesma direção que o disco da Via Láctea e a uma velocidade da mesma ordem de grandeza: 644.000 km/h para o halo versus 869.000 km/h do disco da galáxia.

Edmund Hodges-Kluck explicou:

A rotação do halo quente é uma pista incrível sobre a formação da Via Láctea. Ela nos conta que esta atmosfera quente é a fonte original de uma grande quantidade de matéria no disco.

Os cientistas há muito se indagavam sobre as razões de quase todas as galáxias, incluindo a Via Láctea, parecerem apresentar falta de matéria, matéria esta que seria de outra forma previsível de encontrar. Os astrônomos estimam que 80% da matéria no Universo é composta pela elusiva “matéria escura” a qual, até agora, só pode ser detectada graças à sua força gravitacional. Mas até mesmo a maioria dos restantes 20% da matéria “normal” parece estar ausente dos discos galácticos. Mais recentemente, alguma da matéria “em falta” foi descoberta no halo da galáxia. Os pesquisadores dizem que o conhecimento da direção e da velocidade de rotação do halo pode ajudar a aprender tanto como o material aí chegou em primeiro lugar, como a velocidade que podemos esperar para a matéria assentar na galáxia.

Joel Bregman professor de astronomia da mesma faculdade disse:

Agora que nós sabemos sobre essa rotação, os teóricos poderão começar a usar estes dados para aprender como a nossa Via Láctea se formou e o seu eventual destino final.

Joel Bregman concluiu:

Nós podemos usar esta descoberta para aprender muito mais. A rotação deste halo quente será um grande tópico para estudos dos espectrógrafos de raios-X a serem lançados no futuro.

Fonte

NASA: Astronomers Discover Dizzying Spin of the Milky Way Galaxy’s “Halo”

Artigo Científico

The Astrophysical Journal: THE ROTATION OF THE HOT GAS AROUND THE MILKY WAY

Arxiv.org: The Rotation of the Hot Gas Around the Milky Way

._._.

1603.07734v1-The-Rotation-of-the-Hot-Gas-Around-the-Milky-Way

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

error: Esse blog é protegido!