«

»

jul 22

2015 RR245: descoberto um planeta anão além de Netuno

http://www.cfht.hawaii.edu/en/news/NewDwarfPlanet/RR245orbit_labeled.png

Renderização da órbita de 2015 RR245 (linha dourada). Os objetos de brilho idêntico ou superior estão legendados. O Centro de Planetas Menores descreve RR245 como o 18.º maior objeto do Cinturão de Kuiper. Créditos: Alex Parker do time OSSOS

Um time internacional de astrônomos descobriu um novo planeta anão de passagem pelo disco de pequenos mundos gelados além da órbita de Netuno, o Cinturão de Kuiper. O novo objeto mede aproximadamente 700 km em diâmetro e tem uma das órbitas mais alongadas para um planeta anão. Designado como 2015 RR245 pelo Centro de Planetas Menores da UAI (União Astronômica Internacional), esse objeto foi descoberto através do Telescópio do Canadá-França-Havaí em Mauna Kea, Havaí, como parte do recenseamento OSSOS (Outer Solar System Origins Survey).

Dra. Michele Bannister da Universidade de Victoria, na Columbia Britânica, pós-doutoranda pertencente ao levantamento OSSOS, comentou:

Os mundos gelados além de da órbita de Netuno denotam como os planetas gigantes se formaram e se moveram para longe do Sol. Eles nos permitem elucidar a história pregressa do nosso Sistema Solar. Todavia, quase todos estes mundos gelados são dolorosamente pequenos e tênues. É realmente emocionante encontrar um corpo grande e brilhante o suficiente para podermos estuda-lo em detalhe.

Dr. JJ Kavelaars, membro do Conselho Nacional de Pesquisa do Canadá, detectou 2015 RR245 pela primeira vez em fevereiro de 2016 estudando imagens do levantamento OSSOS obtidas em setembro de 2015.

http://www.cfht.hawaii.edu/en/news/NewDwarfPlanet/RR245_discovery-loop.gif

Imagens da descoberta de RR245. As imagens mostram o lento movimento de RR245 ao longo de três horas. Crédito: equipe OSSOS

Dra. Michele Bannister comentou:

Lá estava na tela do computador, este pequeno ponto de luz que se movia tão lentamente que tinha que estar, pelo menos, no dobro da distância que Netuno está do Sol.

O time ficou ainda mais animado quando eles perceberam que a órbita do objeto o leva para mais de 120 vezes a distância entre a Terra e o Sol. O tamanho de 2015 RR245 não é ainda conhecido com exatidão, pois as suas propriedades de superfície precisam ser medidas com maior precisão.

Dra. Michele Bannister disse:

Ou é muito pequeno e brilhante ou é grande e sem brilho.

Os cientistas julgam que a vasta maioria dos planetas anões como 2015 RR245 foi destruída ou foi expulsa do Sistema Solar no caos que se surgiu quando os planetas gigantes se moveram para longe do Sol até às suas posições atuais. Assim, 2015 RR245 é um dos poucos planetas anões que sobreviveu até a atualidade, juntamente com Plutão e Éris, o maior dos planetas anões conhecidos. 2015 RR245 orbita agora o Sol entre a população remanescente de centenas de milhares de objetos trans-netunianos (TNOs) muito menores, cuja órbita da maioria permanece ainda invisível.

Mundos que orbitam tão longe do Sol têm geologia exótica com paisagens feitas de diversos materiais gelados, reveladas em detalhes pela recente passagem da sonda New Horizons por Plutão em 2015.

Depois de centenas de anos orbitando a mais de 12 bilhões de quilômetros (80 UA) do Sol, 2015 RR245 viaja atualmente na direção do seu periélio (posição orbital mais próxima do Sol) situado a 5 bilhões de quilômetros do Sol (34 UA), onde chegará por volta de 2096. 2015 RR245 está em uma órbita altamente elíptica há pelo menos 100 milhões de anos.

Uma vez que 2015 RR245 só tem sido observado há quase um ano, entre os 700 anos que leva para completar uma volta em torno do Sol, não sabemos a sua origem e como é que a sua órbita vai evoluir no futuro distante. A sua órbita precisa será refinada ao longo dos próximos anos e só nessa altura receberá um nome oficial. Como descobridores, a equipe OSSOS poderá submeter o seu nome preferido de 2015 RR245 para as considerações da UAI.

O professor Brett Gladman da Universidade de Columbia Britânica em Vancouver explicou:

O OSSOS foi desenhado para mapear a estrutura orbital do Sistema Solar exterior a fim de decifrar a sua história. Embora não tenha sido concebido para detectar de forma eficiente planetas anões, estamos muito satisfeitos por ter encontrado um em uma órbita tão interessante.

2015 RR245 é a maior descoberta e o único planeta anão encontrado pelo levantamento OSSOS, que até agora detectou mais de 500 de novos objetos trans-netunianos.

Brett Gladman disse:

O OSSOS só é possível graças às excecionais capacidades de observação do Telescópio do Canadá-França-Havaí. O CFHT está localizado em um dos melhores locais de observação ótica da Terra. O CFHT está equipado do com uma grande câmara de campo-largo e pode adaptar-se rapidamente a cada noite às novas descobertas que fazemos. Esta instalação é verdadeiramente uma das líderes na sua área no mundo.

Os levantamentos anteriores mapearam quase todos os planetas anões mais brilhantes. 2015 RR245 pode muito bem ser um dos últimos grandes mundos além de Netuno até que telescópios maiores, como o LSST (Large Synoptic Survey Telescope), entrem em operação em meados da década de 2020.

OSSOS envolve a colaboração internacional de dezenas de cientistas, Institutos e Universidades por todo o mundo.

Fonte

CFHT: New Distant Dwarf Planet Beyond Neptune

._._.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

error: Esse blog é protegido!