«

»

jun 07

A supernova e as variáveis cefeidas na galáxia espiral UGC 9391 versus a expansão do Universo

Afinal, o que essa bela galáxia pode nos contar sobre a taxa de expansão do Universo?

http://apod.nasa.gov/apod/image/1606/UGC9391_hubble_2800_plain.jpg

UGC 9391 – Créditos: NASA/ESA e L. Frattaré (STScI)

Vejamos a seguir…

Provavelmente muita coisa!

A galáxia UGC 9391 em destaque na imagem principal não apenas contém as muito úteis estrelas Variáveis Cefeidas (marcadas em círculos vermelhos), mas também uma supernova tipo Ia (no X em azul), chamada de 2003du. A UGC 9391 dista cerca de 130 milhões de anos luz da nossa galáxia.

http://www.spacetelescope.org/images/heic1611b/

Variáveis Cefeidas (círculos vermelhos) e uma supernova Ia 2003du (X azul) na galáxia espiral UGC 9391

Esses dois tipos de objetos têm brilhos padrão e são as réguas que os astrônomos usam para medir distâncias no Cosmos. As estrelas Variáveis Cefeidas tipicamente são observadas relativamente próximas tanto na Via Láctea quando em galáxias próximas, enquanto que as supernovas Ia podem ser vistas muito, muito mais longe.

Consequentemente, essa galáxia espiral é muito importante pois permite aos astrônomos realizarem calibrações entre as partes mais próximas (galáxias vizinhas) e as regiões muito distantes em nosso Universo Observável.

Para complicar, inesperadamente, uma análise recente de dados do telescópio espacial Hubble tanto da galáxia UGC 9391 quanto de várias galáxias similares refinou as contas dos cosmologistas, indicando que tanto as Cefeidas quanto as supernovas estão are expandido junto com o Universo ligeiramente mais rápido que o anteriormente estimado em medidas do Universo primordial.

Tendo em vista os múltiplos resultados bem-sucedidos das medições do Universo primordial e a concordância cosmológica, os astrofísicos estão agora vigorosamente especulando sobre as possíveis razões para esta discrepância.

Explicações candidatas vão desde sugestões sensacionalistas, tais como a inclusão de incomuns componentes cosmológicos tais como a energia fantasma e a radiação negra, até os efeitos mundanos, que incluem eventuais erros estatísticos e fontes mal examinadas com erros sistemáticos.

Numerosas observações futuras estão sendo planejadas para ajudar a resolver esse enigma cosmológico.

Fonte

APOD: The Supernova and Cepheids of Spiral Galaxy UGC 9391 – Créditos da imagem: NASAESA, and A. Riess (STScI/JHUet al.

Artigo Científico

A 2.4% Determination of the Local Value of the Hubble Constant

._._.

1604.01424v2-A-2.4-Determination-of-the-Local-Value-of-the-Hubble-Constant

1 menção

  1. Astrônomos detectam um vazio de estrelas Cefeidas no coração da Via Láctea » O Universo - Eternos Aprendizes

    […] ‘variáveis Cefeidas’ têm sido muito usadas para medir as distâncias de objetos no Universo longínquo. Esse novo trabalho é um exemplo de como a mesma técnica pode revelar a […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

error: Esse blog é protegido!