«

»

maio 22

22 de maio de 2007 – Assinatura da política espacial europeia

Não Há Dia Sem História

22 de maio de 2007

Assinatura da política espacial europeia

http://pt.wikipedia.org/wiki/Ficheiro:Esahqdp.jpg

Edifício sede da ESA em Paris, França

No dia 22 de maio de 2007, há nove anos, líderes políticos europeus e representantes da Agência Espacial Europeia (European Space Agency, ESA) [1], reunidos em Bruxelas, assinaram um documento que estabeleceu a política espacial do continente (European Space Policy). Era um documento que traçava objetivos gerais. Nada específico. Curioso que a Europa, com toda a sua complexidade e diversidade cultural, não havia, ainda, formalizado os objetivos da atividade espacial.

O que ficou estabelecido em Bruxelas, em maio de 2007, em suma, é o seguinte:

Sumário

As atividades espaciais têm sido desenvolvidas com sucesso na Europa há mais de trinta anos no âmbito da Agência Espacial Europeia (ESA). Hoje, numa época em que novas competências são emergentes, com grande potencial no espaço, a Europa não pode se dar ao luxo de desperdiçar o potencial de benefícios econômicos e estratégicos do espaço para os seus cidadãos.

Missão estratégica

A Europa precisa ter uma verdadeira política espacial que lhe permita exercer uma liderança global no setor, o que representa um mercado mundial de 90 bilhões de euros, com um crescimento anual de 7%. Este setor é forte gerador de crescimento e emprego.

Atualmente, os cidadãos e setores importantes da economia tornam-se cada vez mais dependentes de sistemas espaciais. As áreas que se beneficiarão de uma política espacial eficaz serão principalmente o meio ambiente, desenvolvimento, mudanças climáticas, segurança e defesa, a inovação e o desenvolvimento e democratização do conhecimento.

A UE (União Europeia), a ESA e os seus Estados-Membros devem centrar seus esforços em três áreas principais:

* Estabelecer um programa espacial europeu e da coordenação do espaço a nível nacional e europeu;

* Aumentar a sinergia entre os programas espaciais civis e tecnologias de defesa;

* Desenvolver uma estratégia conjunta para as relações internacionais no espaço.

Aplicações

Para assegurar o máximo de investimento político, econômico e social, são necessárias desenvolver e explorar aplicações espaciais, os objetivo das políticas da UE e as necessidades das empresas e dos cidadãos.

Navegação por satélite (DE) (EN) (FR)

O sistema global de navegação por satélite Galileo, uma iniciativa conjunta da UE e da Agência Espacial Europeia, é estrategicamente fundamental para a Europa. Esta iniciativa, que irá garantir o acesso não discriminatório e equitativo e garantir a continuidade e a segurança do serviço, deve ser operada sem demora.

Observação da Terra

A prioridade é dada ao acesso à informação livre e independente sobre o meio ambiente, mudança climática e segurança. O GMES (PT) [agora se chama Copernicus] aumenta a capacidade europeia de monitorização, avaliação e tomada de decisão em diversas áreas. Para GMES se tornar plenamente operacional e para garantir o acesso sustentável aos serviços, a UE e os Estados-Membros devem prever a possibilidade de financiamento e gestão e infra-estrutura necessária.

Comunicações por Satélite

As comunicações por satélite (EN) (radiodifusão e das telecomunicações) foram responsáveis por 40% das receitas correntes do sector espacial europeu e são caracterizados por um forte crescimento nos próximos anos. A UE apoiará a introdução de serviços inovadores e os avanços tecnológicos para garantir a convergência e interoperabilidade entre os setores de redes terrestres e de satélite.

Segurança e Defesa

Os recursos espaciais contribuem significativamente para aumentar a segurança dos cidadãos europeus. Portanto, a Europa deve melhorar a coordenação entre os programas espaciais civis e de defesa, mantendo a responsabilidade primária para o usuário final no que diz respeito ao financiamento.

Bases da política

A base da política espacial europeia são: ciência e tecnologia, a Estação Espacial Internacional (ISS) com a exploração do sistema solar, e acesso ao espaço.

Ciência e tecnologia

A UE, a ESA e os seus Estados-Membros têm de manter a liderança no domínio da ciência espacial. Isso implica que a Europa deve dar prioridade à inovação, identificando tecnologias críticas e garantindo o seu financiamento, para aumentar a competitividade da indústria através de transferências de tecnologia.

A Europa procura assegurar um investimento continuado e sublinha a importância de atrair jovens para a ciência e engenharia, garantindo um melhor equilíbrio entre a independência tecnológica, a cooperação estratégica e confiança nas forças de mercado.

Estação Espacial Internacional (ISS) e exploração do sistema solar

O uso da Estação Espacial Internacional contribui para a criação de novos conhecimentos, resultando em aplicações inovadoras para o benefício de todos os seres humanos (novos materiais, novas terapias médicas, em preparação para futuras missões planetárias, etc.). Portanto, a Europa deve preparar-se para um programa de exploração visível, acessível e robusto, capaz de responder aos desafios lançados por EUA, China e Rússia, neste setor.

Acesso ao espaço

O acesso ao espaço com veículos próprios é fator que melhora a relação custo-benefício e deve continuar a ser um objetivo estratégico para a Europa, que considerará preferencialmente seus próprios recursos na definição dos programas europeus.

A indústria espacial europeia competitiva

A Europa precisa de uma indústria competitiva no setor espacial. Uma política industrial eficaz, que define objetivos claros e mobiliza os fundos públicos necessários deve dar prioridade a três áreas: o quadro regulamentar, o investimento público no espaço e no R & D.

Governança

Depois de identificar as necessidades dos utilizadores, a UE trabalhará para agregar a vontade política e assim apoiar estes objetivos. O papel da ESA é crucial, especialmente em relação aos conhecimentos técnicos e de gestão do programa, incluindo R & D.

O programa espacial europeu vai se tornar uma base programática comum, abrangente e flexível, para realizar todas as atividades relacionadas ao espaço. Este programa ajudará a alcançar a máxima complementaridade e transparência entre todos os programas espaciais.

A UE representa a liderança de aplicações de software para as suas políticas (nomeadamente, Galileo e GMES), enquanto que a ESA vai representar a Europa no âmbito dos programas no domínio da ciência, dos lançadores, da tecnologia e dos vôos espaciais tripulados.

Contexto

Em novembro de 2003, a cooperação entre a Comissão Europeia e a Agência Espacial Europeia foi reforçado pela adoção do Acordo-Quadro CE-ESA (EN). Este acordo foi celebrado na seqüência do Livro Verde e o Livro Branco da política espacial europeia e inspirado em uma das maiores consultas públicas no domínio da ciência e tecnologia.

Em maio de 2005, a Comissão declarou em uma comunicação [COM (2005) 208] os elementos preliminares da política espacial europeia. Um mês depois, os Estados-Membros responderam a esta comunicação, com a apresentação de diretrizes no âmbito do Conselho “Espaço” (que reúne no Conselho da Competitividade da União Europeia e do Conselho de Ministros da ESA) e reafirmando a necessidade de política espacial europeia global. Em resposta, a Comissão publicou a Comunicação, que foi discutida no Conselho “Espaço” e, ao mesmo tempo, adotou uma resolução sobre a política espacial europeia, a 22 de maio de 2007.

Nota

[1] As raízes da ESA são da primeira metade do século 20, há cerca de trinta e cinco anos ela tem a constituição atual e a agência tem o segundo maior orçamento aeroespacial do planeta, atrás apenas da NASA.

Fontes e Referências

http://europa.eu/legislation_summaries/enterprise/industry/l33242_en.htm

European Space Policy

http://copernicus.eu/

Milton W.

._._.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

error: Esse blog é protegido!