«

»

maio 21

HR 8799: Cinturão de Cometas em volta de sistema multiplanetário dá indícios da presença de exoplanetas escondidos ou errantes

https://www.ras.org.uk/images/stories/press/Exoplanets/ALMAplanets2_nrao.jpg

Imagem obtida pelo ALMA da estrela HR 8799 (centro) e dos seus arredores. A inserção mostra a estrela e os quatro exoplanetas observados diretamente. O disco, juntamente com as suas irregularidades recentemente descobertas, pode ser visto em tons de azul. A linha branca indica uma distância de 100 UA (unidades astronômicas), em que 1 UA é a distância média entre a Terra e o Sol. Créditos: Booth et al., ALMA (NRAO/ESO/NAOJ); A. Zurlo, et al

Usando o observatório ALMA (Atacama Large Millimeter/submillimeter Array) no Chile, os astrônomos fizeram a primeira imagem de alta-resolução de um cinturão de cometas (uma região análoga ao Cinturão de Kuiper no nosso próprio Sistema Solar, onde Plutão e muitos outros objetos menores se encontram) ao redor da estrela HR 8799, a única estrela onde vários exoplanetas foram fotografados diretamente.

O formato desse disco de poeira, particularmente sua orla interna, é surpreendentemente inconsistente com as órbitas dos exoplanetas, sugerindo que ou mudaram de posição com o passar do tempo ou que existe pelo menos mais um exoplaneta ainda por descobrir.

Mark Booth, membro da Pontificia Universidad Católica do Chile e autor principal do estudo, explicou:

Estes dados nos permitem ver, pela primeira vez, a margem interna deste disco. Ao estudarmos as interações entre os exoplanetas e o disco, esta nova observação mostra que ou os exoplanetas que vemos já tiveram órbitas diferentes no passado, ou que existe pelo menos um outro exoplaneta no sistema que é demasiadamente pequeno para ser detectado.

O disco, que preenche uma região entre 150 a 420 vezes a distância Sol a Terra, é produzido pelas colisões de corpos cometários nos confins deste sistema estelar. O ALMA foi capaz de obter imagens da emissão de pedaços de detritos milimétricos no disco. De acordo com os cientistas, o pequeno tamanho destes grãos de poeira sugere que os exoplanetas no sistema são maiores que Júpiter. As observações anteriores com outros telescópios não detectaram esta discrepância no disco.

Não está claro para os astrônomos se esta diferença é devida à baixa resolução das observações anteriores ou se devida aos diferentes comprimentos de onda que são sensíveis aos diferentes tamanhos dos grãos, que seriam distribuídos de forma ligeiramente diferente.

HR 8799 é uma estrela jovem com aproximadamente 1,5 vezes a massa do Sol localizada a 129 anos-luz da Terra na direção da constelação de Pegasus.

Antonio Hales, coautor do estudo, membro do NRAO (National Radio Astronomy Observatory) em Charlottesville, Virginia, EUA, concluiu:

Esta é a primeira vez que um sistema multiplanetário com poeira em órbita é fotografado, permitindo a comparação direta com a formação e dinâmica do nosso próprio Sistema Solar.

Os resultados foram publicados na MNRAS (Monthly Notices of the Royal Astronomical Society), no artigo intitulado “Resolving the Planetesimal Belt of HR 8799 with ALMA”, assinado por Booth et al., em maio de 2016.

Fonte

ALMA: Cometary Belt around Distant Multi-Planet System Hints at Hidden or Wandering Planets

._._.

1603.04853v1-Resolving-the-Planetesimal-Belt-of-HR-8799-with-ALMA

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

error: Esse blog é protegido!