«

»

maio 21

A superfície e a química de Europa conforme dados da sonda Galileo

http://apod.nasa.gov/apod/image/1605/PIA20028EuropaSurfaceR.jpg

Superfície da lua Europa – créditos: NASA, JPL-Caltech, SETI Institute

Em uma visão em cores enriquecidas, essa imagem cobre uma área de 350 por 750 quilômetros através da superfície da surpreendente lua de Júpiter Europa.

Esse mosaico combina imagens em alta resolução com dados em baixa resolução de cor do banco de dados de observações feitas em 1998 pela espaçonave robótica Galileo.

Planícies suaves de gelo, longas fraturas e blocos desordenados em um caótico terreno escondem um profundo oceano de salgada água líquida subsuperficial.

Embora esse mundo oceânico alienígena coberto de gelo resida fora da ‘Zona Habitável’ do Sistema Solar, novos estudos mostram que a química de Europa tem potencialmente uma produção de oxigênio e hidrogênio, um indicador chave da energia disponível para a vida, que pode produzir quantidades comparáveis em escala como o planeta Terra.

Hidrogênio poderia ser fornecido por reações químicas na água salgada em contato com o rochoso solo do oceano. O oxigênio e outros componentes que reagem com o hidrogênio seriam provenientes da superfície da lua Europa.

Por lá, as moléculas de gelo de água da superfície seriam quebradas pelo intenso fluxo de altas energias emanado pelo planeta Júpiter e introduzidas no oceano de Europa, vindas de cima.

Na crosta oceânica da Terra, as fraturas penetram uma profundidade de 5 a 6 quilômetros. Por outro lado, em Europa, os investigadores esperam que a água possa chegar a uma profundidade de até 25 quilômetros no interior rochoso, dirigindo essas reações químicas fundamentais em toda uma região mais profunda do leito marinho da lua Europa.

O artigo recém publicado na Geophysical Research Letters chama a atenção para as formas do interior rochoso da Europa que podem ser muito mais complexas e possivelmente mais similares a Terra do que as pessoas normalmente pensam. Steve Vance, cientista planetário no JPL e principal autor do estudo, explicou:

Estamos estudando um oceano alienígena usando métodos desenvolvidos para entender o movimento da energia e nutrientes próprios sistemas da Terra. O ciclo de oxigênio e hidrogênio no oceano de Europa será um importante catalizador para a química dos oceanos da Europa e qualquer forma de vida que eventualmente lá exista, assim como é na Terra.

Fontes

NASA: Europa’s Ocean May Have An Earthlike Chemical Balance

APOD: The Surface of Europa – Créditos: NASAJPL-CaltechSETI Institute

._._.

grl54399-Geophysical-controls-of-chemical-disequilibria-in-Europa

Deixe uma resposta

error: Esse blog é protegido!