«

»

fev 12

A fusão simulada dos dois buracos negros detectados pelo LIGO

Aperte o botão para observar a fusão de dois buracos negros

Inspirado na primeira detecção direta de ondas gravitacionais pelo LIGO, testa simulação em vídeo mostra em câmera lenta exibindo algo que levaria um terço de um segundo para acontecer em tempo real.

Didaticamente, os buracos negros estão posicionados em frente de estrelas, nuvens de gás e poeira cósmica. Suas lentes gravitacionais extremas desviam a luz que vem por trás dos objetos formando Anéis de Einstein, à medida que os buracos negros espiralam na dança gravitacional e finalmente se fundem em um só. As invisíveis ondas gravitacionais geradas pela rápida coalescência dos massivos objetos causam a imagem visível nodular tanto dentro quanto fora dos anéis de Einstein, mesmo depois da fusão ser concretizada.

Denominadas por GW150914, as ondas gravitacionais detectadas pelo LIGO são reflexos de uma fusão entre dois buracos negros com, respectivamente, 36 e 29 vezes a massa do nosso Sol e o evento aconteceu a uma distância de cerca de 1,3 bilhões de anos luz. O buraco negro resultante ficou com 62 vezes a massa do Sol e a diferença (antes x depois) correspondente a 3 massas solares foram convertidas em energia das ondas gravitacionais. Essa energia correspondeu por uma fração de segundo a 50 vezes a soma da luminosidade de todas as estrelas do Universo Observável.

https://youtu.be/gw-i_VKd6Wo

Fonte – APOD: Two Black Holes Merge – crédito do vídeo da simulação: Simulating eXtreme Spacetimes Project

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

error: Esse blog é protegido!