«

»

jan 30

M101: a Galáxia do Cata-Vento em imagem composta através dos quatro observatórios espaciais Chandra, GALEX, Hubble e Spitzer

http://apod.nasa.gov/apod/image/1601/M101_nasaMultiW.jpg

M101 em múltiplos comprimentos de onda, desde o infravermelho de baixa energia, passando pelo espectro visível até os raios-X de alta energia.

A magnifica galáxia M101 é uma das últimas entradas do famoso catálogo de Charles Messier.

Esta famosa galáxia é enorme, se espalhando por cerca de 170.000 anos luz, quase o dobro da nossa Galáxia Via Láctea.

Além disso, a M101 foi também uma das originais ‘nebulosas espirais’ observadas pelo telescópio de Lord Rosse no século XIX, o Leviatã de Parsonstown.

https://en.wikipedia.org/wiki/Leviathan_of_Parsonstown

O Leviatã de Parsonstown (Telescópio Rosse de 6 pés) foi o maior telescópio do mundo (1,8 metros) desde 1845 até a construção do Telescópio Hooker em 1917.

Em contraste, essa visão em múltiplos comprimentos de onda desse portentoso universo-ilha é uma composição de múltiplas imagens registradas por telescópios espaciais no século XXI.

As cores foram codificadas para demonstrar a radiação de amplo espectro, deste os raio-X até o comprimento de onda do infravermelho, ou seja, das altas até as baixas energias. Os dados foram separados nas cores a seguir:

  1. Púrpura – Observatório Chandra de raios-X;
  2. Azul – Observatório GALEX (Galaxy Evolution Explorer)
  3. Amarelo – Telescópio Espacial Hubble
  4. Vermelho – Telescópio Espacial Spitzer de infravermelho.

Enquanto os raios-X traçam as localizações dos gases a milhões de graus de temperatura em volta das estrelas que explodiram, das estrelas de nêutrons e dos sistemas binários que hospedam buracos negros, os dados de baixa energia do infravermelho seguem as estrelas e poeira cósmica que definem os grandes braços espirais da M101.

A M101 é também conhecida como a Galáxia do Cata-Vento e reside nas bordas da constelação boreal da Ursa Maior, a cerca de 25 milhões de anos luz de nós.

Fonte

APOD: 21st Century M101 – créditos da imagem©: NASAESACXCJPL, Caltech STScI

._._.

2 menções

  1. NGC 1309: uma Galáxia Espiral “Grand Design” » O Universo - Eternos Aprendizes

    […] [1] Uma galáxia espiral “Grand Design Spiral Galaxy” é uma categoria de galáxias espirais com proeminentes e bem definidos braços espirais, em contraste com as galáxias com múltiplos espirais em flocos (flocculent), com sub estruturas espirais repletas de sub-ramos característicos. Os braços espirais de uma galáxia “grand design” se estendem claramente em volta da galáxia por vários radianos e podem ser observados claramente em uma grande fração do diâmetro da galáxia. Segundo os dados de 2002, as galáxias “grande design” constituem cerca de 10% das galáxias espirais conhecidas. Esse seleto grupo inclui a M81, M51, M74, M100 e a M101. […]

  2. NGC 4321: a majestosa galáxia espiral M100 capturada pelo Hubble e processada por Judy Schmidt » O Universo - Eternos Aprendizes

    […] [1] Uma galáxia espiral “grand design spiral galaxy” é uma categoria de galáxia espiral com proeminentes e bem definidos braços espirais, em contraste com as galáxias com múltiplos espirais em flocos (flocculent), com sub estruturas espirais repletas de sub-ramos característicos. Os braços espirais de uma galáxia “grand design” se estendem claramente em volta da galáxia por vários radianos e podem ser observados claramente em uma grande fração do diâmetro da galáxia. Segundo os dados de 2002, as galáxias “grande design” constituem cerca de 10% das galáxias espirais conhecidas. Esse seleto grupo inclui a M81, M51, M74, M100 e a M101. […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

error: Esse blog é protegido!