«

»

out 15

M16 e a Nebulosa da Águia por Jimmy Walker

http://apod.nasa.gov/apod/image/1510/M16HubbleV4-X3walker.jpg

A Nebulosa da Águia – – crédito da imagem©: Jimmy Walker

A Nebulosa da Águia (M16) é um aglomerado estelar jovem com ‘apenas’ 2 milhões de anos de idade, envolvido nuvens natais de poeira e gás brilhante.

Essa bela imagem magnificamente detalhada dessa região inclui as esculturas cósmicas que se tornaram famosas na icônica foto tomada pelo Hubble em 1995, capturando um close-up de parte do complexo de formação de estrelas. Descritas como “trombas de elefante” ou “Pilares da Criação”, essas densas colunas poeirentas que crescem próximas ao centro da imagem possuem comprimentos da ordem de anos luz e estão se contraindo gravitacionalmente para formar estrelas.

Radiação energética das estrelas do aglomerado causam a erosão do material perto das pontas, eventualmente provocando a exposição de estrelas recém-formadas.

Estendendo-se desde o cume de emissão brilhante à esquerda do centro temos em destaque outra famosa coluna de poeira de formação estelar conhecida como a Fada da Nebulosa da Águia.

http://www.eso.org/public/images/eso1518d/

Este mapa mostra a constelação da Cauda da Serpente, a parte da cauda da constelação da Serpente. Estão assinaladas as estrelas que podem ser vistas a olho nu numa noite escura e límpida. A posição da região de formação estelar brilhante Messier 16, também conhecida por Nebulosa da Águia, está marcada com um círculo vermelho e é aí que se encontram os famosos Pilares da Criação. Embora o aglomerado estelar associado a este objeto possa ser facilmente observado através de um pequeno telescópio, os detalhes das nuvens de gás são tênues e difíceis de observar mesmo com um telescópio maior. Créditos: ESO, IAU e Sky & Telescope

Nebulosa da Água reside a cerca de 7.000 anos luz de distância da Terra. Trata-se de um alvo fácil tanto para binóculos como para telescópios de pequeno porte em uma região dos céus rica em nebulosas na direção da constelação de Serpens Cauda (a cauda da serpente), confira no mapa acima, dentro do círculo vermelho.

http://apod.nasa.gov/apod/ap070218.html

M16: os “Pilares da Criação”. Hubble capturou esta imagem em 1995, que mostra glóbulos gasosos em evaporação (GGEs) emergindo a partir de pilares de nuvens moleculares de gás hidrogênio e poeira interestelar. Crédito: J. Hester, P. Scowen (ASU), HST, NASA

Fonte

APOD: M16 and the Eagle Nebula – crédito da imagem©: Jimmy Walker

._._.

1 menção

  1. M16: no Ninho da Águia por Chris Hendren » O Universo - Eternos Aprendizes

    […] centro da Nebulosa da Águia tem sido o foco de vários esforços de observação tanto por telescópios terrestres como por observatórios […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

error: Esse blog é protegido!