«

»

out 12

Estrelas pontiagudas, nuvens de poeira e uma galáxia flutuando por Eric Coles e Mel Helm

http://apod.nasa.gov/apod/image/1510/NGC7497_Coles_3950.jpg

NGC 7497 e MBM 54 por Eric Coles e Mel Helm

Estaria essa galáxia espiral ‘presa’ em uma teia de poeira? Evidentemente que não. A galáxia em questão se encontra muito além, bem atrás da nuvem.

Por outro lado, estrelas pontiagudas e formas assustadoras abundam nesta profunda paisagem cósmica. Este campo de visão, oportunamente composto pelos astrofotógrafos Eric Coles e Mel Helm, cobre uma área com cerca uma Lua Cheia nos céus, na direção da constelação de Pegasus.

Estrelas brilhantes mostram suas pontas causadas pela difração, um efeito muito comum observado pelos suportes internos nos sistemas reflexivos dos telescópios e, obviamente, tratam-se de estrelas pertencentes a nossa galáxia Via Láctea.

As tênues e invasivas nuvens interestelares navegam sobre o plano galáctico e refletem fracamente as luzes combinadas das estrelas da Via Láctea.

Conhecidas como ‘cirrus de alta latitude’ ou nebulosas de fluxo integrado, estas estruturas estão associadas com nuvens moleculares. Neste caso, a nuvem difusa catalogada como MBM 54, que reside a menos de mil anos luz de distância da Terra, enche a cena cósmica.

Com efeito, o objeto que ilusoriamente parece estar imerso na nuvem de poeira MBM 54 é na verdade a notável galáxia espiral NGC 7497 que reside a 60 milhões de anos de distância de nós. Vista de forma quase perfilada perto do centro do campo de visão, os próprios braços espirais e raias de poeira da galáxia NGC 7497 ecoam as cores das estrelas e da poeira de nossa Via Láctea.

Fonte

APOD: Galaxy, Stars, and Dust – crédito da imagem ©: Eric Coles and Mel Helm

._._.

Deixe uma resposta