«

»

jul 10

Yuri Beletsky dá um close na bela região de formação estelar Messier 43

http://apod.nasa.gov/apod/image/1507/m43_mmirsBeletskyChilingarian.jpg

Messier 43 – Créditos da Imagem ©: Yuri Beletsky (Carnegie Las Campanas Obs.) e Igor Chilingarian (Harvard-Smithsonian CfA)

Frequentemente fotografado, mas raramente mencionado, Messier 43 é uma enorme região de formação estelar com todos os ‘direitos e atributos desta função cósmica’.

M43 faz parte do complexo de formação de formação estelar de gás e poeira que inclui a mais famosa e maior nebulosa Messier 42, conhecida popularmente como a Grande Nebulosa de Órion.

De fato, a Grande Nebulosa de Órion reside fora desta cena, mais precisamente logo abaixo da borda inferior do quadro.

Este close-up da Messier 43 foi criado quando os astrônomos testaram as habilidades do dispositivo que trabalha no infravermelho próximo pertencente a um dos telescópios gêmeos de 6,5 metros de Magalhães no observatório de Las Campanas nos Andes chilenos.

Esta imagem composta utiliza uma técnica que desloca a radiação do infravermelho, invisível para nós, para as cores azuis, verde e vermelha, para que possamos ‘visualizar’ os seus efeitos na imagem. Isso permite aos cientistas estudar e entender o que está acontecendo em Messier 43.

Perscrutando dentro das cavernas de poeira interestelar que obscurecem a luz visível, essa visão em infravermelho próximo pode ser usada para analisar as mais frias estrelas anãs marrons nesta região complexa, juntamente com o seu célebre vizinho (M42 – a nebulosa de Órion).

Vale a pena ver o vídeo a seguir que compara uma visão do Hubble da M43 com essa nova visão a partir do telescópio de Magalhães.

Messier 43 reside a 1.500 anos luz da Terra, na fronteira da nuvem molecular gigante de Órion. Nessa distância, este campo de visão se compreende uma área medindo cerca de 5 anos luz.

Fonte

APOD: Messier 43 – Créditos da Imagem ©: Yuri Beletsky (Carnegie Las Campanas Obs.) e Igor Chilingarian (Harvard-Smithsonian CfA)

._._.

1 menção

  1. A poeira cósmica e a Nebulosa de Órion por Raul Villaverde Fraile » O Universo - Eternos Aprendizes

    […] intrincados filamentos da poeira em torno de M42 e M43 aparecem em tons de marrom na imagem em destaque, enquanto o gás brilhante central é destacado em […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

error: Esse blog é protegido!