«

»

maio 20

Perdido em Marte? O romance “O Marciano” de Andy Weir revisitado – câmera da HiRISE mostra local de pouso da ‘Ares 3’

http://apod.nasa.gov/apod/image/1505/PIA19363.jpg

Acidalia Planitia em Marte – Créditos: HiRISE, MRO, LPL (U. Arizona), NASA

Este close-up criado pela câmera HiRISE da sonda robótica Mars Reconnaissance Orbiter revela crateras erodidas e depósitos fustigados pelos ventos marcianos em Acidalia Planitia.

Um tom espetacular de azul colore esta imagem nos padrões da HiRISE. Aos olhos humanos, no entanto, esta área seria vista em tons de cinza ou até ligeiramente avermelhados.

http://www.uahirise.org/ESP_041277_2115

Uma versão mais recente de Acidalia Planitia pela HiRISE, solicitada por Andy Weir, para comparação. Mudou alguma coisa?

Na verdade, olhos humanos jamais contemplaram este cenário, a não ser que você tenha sido um dos astronautas da NASA no romance de ficção científica The Martian (O Marciano), de Andy Weir.

O livro narra as aventuras de Mark Watney, um astronauta perdido no fictício local de pouso da missão Ares 3, cujas coordenadas correspondem às deste site fotografado pela câmera HiRISE da MRO.

Em termos de escala, o habitat de 6 metros de diâmetro de Watney mediria um décimo do diâmetro da cratera maior. Além do mais, as coordenadas do local de pouso da Ares 3 estão a apenas 800 km ao norte do (na vida real) Memorial Carl Sagan, o verdadeiro local de pouso da Pathfinder em 1997.

https://www.facebook.com/462962073803090/photos/pcb.746387915460503/746387568793871/?type=1&theater

Imagem do futuro filme “The Martian” de Ridley Scott com Matt Damon

Como a história começa?

O astronauta Mark Watney, um botânico e engenheiro mecânico, é deixado para trás em Marte quando a tripulação da missão Ares 3 é forçada a evacuar seu local de pouso em Acidalia Planitia devido a uma tempestade de areia com ventos fortes. Watney é empalado por uma antena durante a evacuação, destruindo o computador bio-monitor de seu traje de EVA (Atividade-Extra-Veicular). Seus colegas de tripulação acreditam que ele seja morto. Sua lesão se mostra relativamente pequena, mas ele permanece perdido, sem maneiras de entrar em contato com a Terra, Watney deve confiar em suas habilidades científicas e técnicas para sobreviver, crescer batatas no habitat marciano da tripulação (Hab) e queimar hidrazina queima para produzir água. Ele começa um registro de suas experiências para que eventualmente algum arqueólogo futuro que possa descobri-lo muito tempo depois de sua morte. A NASA descobre que Watney está vivo quando as imagens de satélite do local de pouso mostram evidências de suas atividades e começam a trabalhar em maneiras de resgatá-lo, mas retém a notícia de sua sobrevivência do resto dos tripulantes da Ares 3, em seu caminho de volta à Terra a bordo da nave espacial Hermes, de modo a não distraí-los…

O famoso diretor Ridley Scott está filmando o romance. O astronauta perdido Mark Watney será vivido pelo ator Matt Damon. O filme se chama “Perdido em Marte”.

http://www.empireonline.com/news/story.asp?NID=44397

Imagem do futuro filme “The Martian” de Ridley Scott com Matt Damon

http://uanews.org/story/ua-mars-scientists-capture-image-of-sci-fi-landing-site

Mapa de Marte mostra a região citada no romance “The Martian”, onde o astronauta do livro Mark Watney dirigiu o seu rover desde o local de pouso da nave Ares 3 em Acidalia Planitia em direção do local de pouso da Pahtfinder, ao sul da Chryse Planitia, por 800 km.

Fontes

APOD: Ares 3 Landing Site: The Martian Revisited – Créditos: HiRISEMROLPL (U. Arizona)NASA

Universidade do Arizona: UA Mars Scientists Capture Image of Sci-Fi Landing Site

HiRise: The Ares 3 Landing Site: Where Science Fact Meets Fiction

._._.

http://uanews.org/story/ua-mars-scientists-capture-image-of-sci-fi-landing-site

2 comentários

  1. Sabino

    Porque a Nasa não utiliza Robot Drones na exploração de Marte?

    1. ROCA

      Eu já havia respondido seu comentário, mas vou repetí-lo aqui:

      Embora a ideia seja boa, a atmosfera de Marte é muito rarefeita. A atmosfera marciana tem apenas 0,6% da densidade da atmosfera terrestre ao nível do mar, ou seja, não é possível o uso de drones com hélices como temos aqui na Terra.

      https://en.wikipedia.org/wiki/Atmosphere_of_Mars

      No entanto a NASA está pensando em uso de drones a partir de 2020, mas há desafios tecnológicos a serem superados, não só no tamanho das hélices e do motor mas também da energia para ser auto-sustentável. Leia aqui na Space.com:

      http://www.space.com/28360-nasa-mars-helicopter-drone.html

      \o/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

error: Esse blog é protegido!