«

»

dez 29

A sonda DAWN inicia a etapa de aproximação do planeta anão Ceres

http://www.jpl.nasa.gov/spaceimages/details.php?id=pia17650

Ilustração mostra a sonda Dawn da NASA chegando ao planeta anão Ceres. Créditos: NASA/JPL-Caltech

A sonda DAWN da NASA entrou na fase de aproximação na direção de Ceres, um planeta anão nunca antes visitado por uma nave interplanetária. A DAWN foi lançada em 2007 e está programada para entrar em órbita de Ceres em 06 de março de 2015.

A DAWN emergiu recentemente de uma conjunção solar, quando a sonda viaja no lado oposto do Sol, limitando a comunicação com antenas na Terra. Agora que a DAWN pode novamente comunicar de forma confiável com a Terra, os controladores da missão programaram as manobras necessárias para a próxima fase do encontro, a que chamaram de fase de aproximação a Ceres. A DAWN está atualmente a 640.000 km de Ceres, viajando a uma velocidade de cerca de 725 km/h em relação a Ceres.

A chegada da DAWN a Ceres marcará a primeira vez que uma sonda orbita dois alvos do Sistema Solar em uma única missão. Anteriormente, DAWN visitou o protoplaneta Vesta durante 14 meses, entre 2011 e 2012, capturando imagens detalhadas e dados sobre esse planemo.

Christopher Russell, pesquisador principal da missão DAWN, da Universidade da Califórnia em Los Angeles, EUA, declarou:

Ceres é quase um completo mistério para nós. Ceres, ao contrário de Vesta, não tem relação com meteoritos para ajudar a revelar os seus segredos. Tudo o que podemos prever com confiança é que certamente ele irá nos vai surpreender.

Pensa-se que os dois corpos planetários são diferentes em alguns aspetos importantes. Ceres pode ter-se formado mais tarde que Vesta e com um interior mais frio. As evidências atuais sugerem que Vesta manteve apenas uma pequena quantidade de água porque formou-se antes, quando o material radioativo era mais abundante, o que teria produzido mais calor. Ceres, em contraste, tem um espesso manto de gelo e pode até ter um oceano sob a sua crosta gelada.

Ceres, com um diâmetro médio de 950 km, é também o maior corpo no cinturão principal de asteroides, entre Marte e Júpiter. Em comparação, Vesta tem um diâmetro médio de 525 km e é o segundo maior corpo do cinturão principal.

A nave espacial usa propulsão iônica (veja o vídeo acima) para atravessar o espaço de modo muito mais eficiente do que a propulsão química. Em um motor de propulsão iônica, uma carga elétrica é aplicada ao gás xenônio e grelhas de metal carregado aceleram as partículas de xenônio para fora do propulsor. Estas partículas empurram o propulsor para trás quando saem, criando uma força de reação que impulsiona a nave espacial. A DAWN completou cinco anos de impulso acumulado, muito mais do que qualquer outra nave espacial até hoje.

Marc Rayman, engenheiro-chefe e diretor da missão DAWN, no JPL da NASA em Pasadena, no estado americano da Califórnia, afirmou:

Orbitar Vesta e Ceres seria verdadeiramente impossível com propulsão convencional. Graças à propulsão iônica, estamos prestes a fazer história como a primeira sonda a orbitar dois mundos alienígenas inexplorados.

Os próximos meses prometem melhorar continuamente as imagens de Ceres, antes da chegada da DAWN. No final de janeiro, as imagens e outros dados da sonda serão os melhores já obtidos desde sempre do planeta anão.

Fontes

NASA: Dawn Spacecraft Begins Approach to Dwarf Planet Ceres

Phys.org: Dawn spacecraft begins approach to dwarf planet Ceres

._._.

Deixe uma resposta