Arquivo por mês: setembro de 2014

set 30

Astrônomos detectam sinais de formação planetária em volta da estrela HD 169142

http://cdn.phys.org/newman/gfx/news/hires/2014/signsofthefo.jpg

Sabemos que os planetas em geral se formam a partir de discos de gás e poeira que orbitam protoestrelas. Assim que a “semente” do planeta é formada, composta por um pequeno agregado de poeira, o protoplaneta continua a recolher material e escava uma cavidade ou lacuna no disco ao longo do seu percurso orbital. Esta …

Continue lendo »

set 29

Previsão meteorológica cósmica: nuvens escuras darão lugar a sóis

http://www.eso.org/public/images/eso1427a/

Nesta nova imagem do ESO podemos ver Lupus 4, uma região escura de gás e poeira, em forma de aranha, que esconde as estrelas de fundo tal como o faria uma nuvem escura na atmosfera terrestre numa noite sem luar. Embora sejam atualmente escuras, são nestas densas bolsas de material no interior de nuvens como …

Continue lendo »

set 28

ALMA explica porque que as galáxias como a nossa Via Láctea são tão comuns no Universo

http://www.eso.org/public/images/eso1429a/

Durante décadas os cientistas acreditaram que da fusão de galáxias resultavam geralmente em galáxias elípticas. Agora, pela primeira vez, os pesquisadores, com o auxílio do complexo de radiotelescópios ALMA e um conjunto de outros radiotelescópios, descobriram evidências diretas de que as galáxias em fusão podem também dar origem a galáxias de disco e que este …

Continue lendo »

set 27

Astrônomos através do Hubble encontram companheira de supernova depois de 20 anos de procura 

Usando o Telescópio Espacial Hubble, um time de astrônomos finalmente descobriu a companheira estelar de um tipo raro de supernova. A descoberta confirma a teoria antiga de que a supernova SN 1993J ocorreu em um sistema binário, onde duas estrelas em interação provocaram uma explosão cósmica.  Alex Filippenko, professor de astronomia da Universidade da Califórnia, …

Continue lendo »

set 26

Via Láctea e Nuvens de Magalhães no Salar de Atacama por Alex Tudorica

Galáxias, estrelas e uma piscina reflexiva serena foram combinadas nesta memorável paisagem terrestre e celeste. O belíssimo panorama é composto de um mosaico com 12 imagens capturadas em agosto de 2014 no Salar de Atacama, norte do Chile.

Continue lendo »

set 25

ICRAR: Galáxias gigantes ganham massa ao absorver galáxias menores

http://cdn.phys.org/newman/gfx/news/hires/2014/monstergalax.png

Conforme recente pesquisa do ICRAR (International Centre for Radio Astronomy Research – University of Western Australia), as galáxias gigantescas do Universo já pararam de fabricar as suas próprias estrelas e em vez disso alimentam-se de galáxias vizinhas. Os astrônomos observaram mais de 22.000 galáxias e descobriram que, enquanto galáxias menores são muito eficientes na criação …

Continue lendo »

set 24

ISRO/MOM: a sonda Mangalyaan da agência espacial da Índia entra na órbita de Marte

A sonda MOM (Mars Orbiter Mission) ou Mangalyaan da Índia entrou com sucesso em órbita do planeta Marte no dia 24 de setembro de 2014, depois de disparar o seu motor principal e outros oito motores menores. A operação durou 1.388,67 segundos, o que alterou a velocidade da nave espacial por 1,099 km/s. Com esta …

Continue lendo »

set 05

Pequena Nuvem de Magalhães, aglomerados estelares e o Cometa Siding Spring (C/2013 A1), a caminho de Marte, por Rolando Ligustri

Em 19 de outubro de 2014 um bom lugar para observar o Cometa Siding Spring será lá em Marte. Nesta ocasião, este visitante (C/2013 A1) no Sistema Solar interior, descoberto em janeiro de 2013 por Robert McNaught no Observatório australiano de Siding Spring irá dar um ‘rasante’ em Marte, passando a ‘apenas’ 132.000 km. De fato, tal …

Continue lendo »

set 04

M6: o aglomerado estelar da Borboleta revelado por Marco Lorenzi

http://apod.nasa.gov/apod/image/1409/m6_marco_3643.jpg

Para os observadores do céu noturno o formato do aglomerado estelar aberto de estrelas M6 lembra uma borboleta. M6 (NGC 6405) tem um diâmetro de aproximadamente 20 anos luz e reside a uma distância da Terra de 2.000 anos luz. O aglomerado estelar M6, na imagem acima, pode ser melhor visto em uma noite escura através de binóculos na …

Continue lendo »

set 03

Nosso novo endereço cósmico: a Via Láctea pertence ao superaglomerado Laniakea

http://www.nature.com/nature/current_issue.html

Astrônomos usando o GBT (Green Bank Telescope) da NSF (National Science Foundation) e outros radiotelescópios determinaram que a nossa Via Láctea faz parte de um enorme e recém-identificado superaglomerado de galáxias, batizado como “Laniakea”, que significa “imenso céu” em Havaí. Esta descoberta esclarece sobre os limites da nossa vizinhança galáctica e estabelece ligações anteriormente não …

Continue lendo »

error: Esse blog é protegido!