«

»

maio 07

Robert Gendler apresenta a impressionante galáxia vizinha NGC 2841

http://apod.nasa.gov/apod/image/1404/ngc2841_hstsubarugendler_3500.jpg

NGC 2841 em imagem que mistura dados fornecidos pelo Hubble e pelo Subaru, processados por Robert Gendler.

NGC 2841 é uma das mais massivas das galáxias vizinhas. Esta gloriosa galáxia espiral não barrada reside na direção da constelação boreal da Ursa Maior e dista de nós ‘apenas’ (em termos galácticos) 46 milhões de quilômetros.

Esta visão contundente deste maravilhoso universo-ilha nos mostra um impressionante núcleo amarelado imerso em um gigantesco disco galáctico.

Esta imagem composta acima consolida exposições capturadas pelo Telescópio Espacial Hubble (2,4 metros) e pelo Subaru (8,2 metros), um dos 10 maiores telescópios terrestres do mundo, no complexo de observatórios de  Mauna Kea, Havaí. Subaru está situado em um dos locais mais altos da ilha grande, na altitude de 4.139 metros. Robert Gendler foi o responsável pelo processamento das imagens.

http://en.wikipedia.org/wiki/File:The_Keck_Subaru_and_Infrared_obervatories.JPG

Visão de uma parte do complexo “Mauna Kea Observatory”, Havaí. Da esquerda para a direita: o telescópio Subaru, os dois telescópios do observatório Keck e o telescópio de infravermelho da NASA (IRTF).

Uma galáxia que se destaca

Faixas de poeira cósmica, regiões em rosa com berçários estelares e jovens aglomerados de estrelas azuis brilhantes se hospedam dentro de braços espirais descontínuos e retorcidos.

Em contraste, grandes e arrebatadores braços espirais abrigam largas regiões de formação estelar. NGC 2841 tem um diâmetro de mais de 150.000 anos luz, 50% maior que a nossa própria galáxia, a Via Láctea.

http://hubblesite.org/newscenter/archive/releases/2011/06/image/b/

Imagem original capturada pelas câmeras WFC3 e UVIS do Hubble da NGC 2841 com anotações das cores usadas, direções e escalas. Tempo de exposição: 2 horas. Filtros: F336W (U), F547M (y), F657N (H-alpha + [N II]) e F814W (I)

Imagem em Raios-X pelo Chandra sugere que os ventos resultantes de enormes explosões estelares criaram plumas de gás aquecido que se estendem em um halo em volta da NGC 2841.

http://chandra.harvard.edu/photo/2006/n2841/

Os rápidos fluxos de gás emanados das estrelas gigantes e explosões de supernovas no disco da galáxia criam enormes conchas ou bolhas de gás aquecido que se expandem rapidamente e se elevam acima do disco como nuvens de fumaça de uma chaminé. A imagem da NGC 2841 em raios-X pelo Chandra fornece uma evidência direta para este processo, que bombeia energia para o fino halo gasoso que circunda a galáxia. Chaminés galácticas também espalham gás quente enriquecido por metais para longe do disco da galáxia dentro do halo. Crédito: Observatório de Raios-X Chandra

Fontes

APOD: Massive Nearby Spiral Galaxy NGC 2841 – Créditos da imagem: HubbleSubaru; Composição ©:Robert Gendler

Hubblesite: Hubble Shows New Image of Spiral Galaxy NGC 2841

Robert Gendler: NGC 2841, Spiral Galaxy in Ursa Major

._._.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

error: Esse blog é protegido!