«

»

fev 08

ESA: A sonda Mars Express revela evidências do passado oceânico de Marte

Investigação de radar pela Mars Express constatou fortes evidências da presença de um oceano no passado de Marte. O radar MARSIS da sonda detectou sedimentos de um fundo oceânico em região previamente identificada, cercada por áreas costeiras antigas. O suposto oceano teria coberto grande área do hemisfério norte marciano bilhões de anos atrás. Créditos: ESA, C. Carreau

Informações coletadas pela sonda orbital Mars Expressa da ESA revelam fortes evidências de que uma parte da superfície de Marte já esteve coberta por um oceano. Através do equipamento de radar, a sonda detectou a assinatura da presença de sedimentos associados a um fundo oceânico, dentro das fronteiras de uma zona costeira que já tinha sido identificada anteriormente.

Ilustração mostra a sonda orbital Mars Express da Agência Espacial Européia (ESA). Créditos: ESA, C. Carreau

O radar MARSIS da Mars Express tem operado na coleta de informações desde 2005. A equipe liderada por Jérémie Mouginot, do Instituto de Planetologia e Astrofísica de Grenoble (IPAG) e da Universidade da Califórnia, Irvine, compilou mais de dois anos de dados fornecidos pela sonda e concluiu que as planícies do norte de Marte estão cobertas de material de baixa densidade.

Mouginot esclareceu que:

A interpretação que fazemos é de que se trata de depósitos sedimentários, talvez ricos em gelo. Isto é uma nova e forte evidência de que naquela região já existiu um oceano.

Mapa fornecido pela equipe de Mouginot, gerado a partir de dados da  MARSIS mostra a distribuição  da constante dielétrica no hemisfério norte. Repare na delimitação das zonas costeiras. Crédito: J. Mouginot et al.

Os cientistas já suspeitavam da existência de oceanos em Marte no passado remoto e já tinham mapeado os contornos de uma suposta costa marítima, em imagens captadas pelas sondas orbitais que operam em Marte. No entanto, o assunto mantém-se controverso.

Mapa topográfico do hemisfério norte marciano. Projeção de Lambert baseada em dados de Mars Global Surveyor / Mars Orbiter Laser. Compare este mapa com o que foi gerado no estudo de Mouginot e equipe. Altimeter. Créditos: NASA/JPL/GSFC

Os cientistas sugeriram duas alternativas para os supostos oceanos: um que existiu há 4 bilhões de anos, quando o clima marciano era mais quente e outro que existiu há 3 bilhões de anos quando o gelo por baixo da superfície derreteu, seguindo-se de um forte impacto, que criou canais de escoamento que conduziram a água para áreas mais baixas.

Wlodek Kofman, líder da equipe do radar no IPAG, disse:

O MARSIS penetra bem fundo no solo, revelando os primeiros 60–80 metros da sob a superfície do planeta. Nesta profundidade, há evidência de sedimentos e gelo.

Os sedimentos revelados pelo MARSIS são áreas de baixa refletividade de radar. Tais sedimentos são tipicamente de materiais granulosos de baixa densidade, sujeitos à erosão da água e transportados até ao seu destino final.

Este oceano desaparecido teria sido, no entanto, temporário. Em um espaço de tempo de “apenas” 1 milhão de anos ou menos, estimou Mouginot, a água teria congelado novamente, possivelmente preservada debaixo do solo, ou teria se transformado em vapor de água, subindo lentamente até à atmosfera (onde, literalmente, se perderia para o espaço pela erosão solar, conforme já exposto em: Como o vento solar faz com que Marte perca continuamente sua atmosfera para o espaço?).  Quanto a presença de vida, no entanto, Mouginot se mantém cauteloso:

Não acreditamos, contudo, que este oceano tenha existido o tempo suficiente para a formação de vida.

Os cientistas sugerem que para encontrar evidências de vida, os exobiólogos terão de olhar para um período ainda mais antigo, na história de Marte, quando a água líquida persistiu por períodos mais longos na superfície do planeta vermelho.

No entanto, este estudo reúne as melhores evidências de que já existiram grandes quantidades de água líquida em Marte e é mais uma prova da importância da água no estado líquido na história geológica de Marte.

Olivier Witasse, o cientista de projeto da ESA para a Mars Express alegou:

Resultados anteriores da Mars Express sobre a água em Marte vieram do estudo de imagens e dados mineralógicos, bem como de medições atmosféricas. Agora temos a visão do radar sob a superfície. Isto acrescenta novas informações ao puzzle, mas a questão permanece: para onde foi toda a água?

A sonda orbital Mars Express irá prosseguir na sua pesquisa geológica em Marte.  Vamos aguardar ansiosos por novos resultados!

Para maiores detalhes e imagem recomendamos ler o excelente artigo de Emily Lakdawalla no Planetary Society blog: Has Mars Express MARSIS data proved that Mars once had a northern ocean?

Fontes

ESA: ESA’s Mars Express radar gives strong evidence for former Mars ocean

Has Mars Express MARSIS data proved that Mars once had a northern ocean?

Artigo Científico

Dielectric map of the Martian northern hemisphere and the nature of plain filling materials” assinado por Jérémie Mouginot et al. e publicado na Geophysical Research Letters, vol. 39, L02202, doi:10.1029/2011GL050286,2012.

._._.

 

3 comentários

1 menção

  1. Denis

    O cientistas estão perdendo um detalhe interessante a respeito dos oceanos de Marte. É um detalhe bobo até, mas que faz uma enorme diferença no que teria acontecido com o oceano do planeta (caso realmente ele tivesse um no início)
    Pergunta: Se Marte realmente teve um oceano, para onde foi toda água?Ela se perdeu no espaço?
    Resposta: Se realmente teve, pelo menos de 95 a 98% da água original ainda está soterrada sob dezenas ou centenas de Km de poeira!
    Como cheguei a essa conclusão? Fácil, basta verificar alguns quesitos básicos sobre a água com relação a temperatura e pressão:
    A água torna-se instável e evapora qdo a pressão atmosférica cai SOMENTE abaixo de 300 milibares, ou seja com 301 milibares ela inda é estável!
    Como Marte está mais longe do sol, provavelmente qdo a pressão atmosférica do planeta girava em torno dos 400 milibares (portanto, a água ainda estava estável, em estado líquido) a temperatura já estava abaixo do zero e com isso a água congelou!Quando o planeta alcançou uma pressão desestabilizante para a água, esta já estava totalmente congelada (milhões de anos antes do ponto crítico ser alcançado). A superfície do enorme oceano congelado começou a lentamente a evaporação (ou sublimação como queiram) correspondendo à perca de água para o espaço, porém com um ambiente seco milhões de anos antes da pressão cair abaixo dos 300 milibares, é mais provável que o oceano tenha sido soterrado por camadas de dezenas de m/Km de profundidade de poeira antes do ponto crítico ser alcançado, preservando, assim, seu oceano em sua totalidade!
    Viu? Não precisa de equações mirabolantes, basta apenas observar fenômenos simples!Fenômenos, esses que, apesar de simples pode salvar um oceano inteiro! 😉

    1. ROCA

      Pergunta: Se Marte realmente teve um oceano, para onde foi toda água? Ela se perdeu no espaço?

      SIM, a maior parte da água de Marte se perdeu no espaço sob a forma de Hidrogênio (o H do H2O), por causa da falta de um campo magnético forte o suficiente para defletir o vento solar (que causa a erosão atmosférica), aliado a falta de uma robusta atmosfera/camada de ozônio (como a Terra) para defender Marte dos raios ultravioletas do Sol, que destroem as moléculas de água, liberando o Hidrogênio. Parte do oxigênio em si ficou em Marte, por ser mais pesado, mas o Hidrogênio liberado perdeu-se para o espaço arrastado inexoravelmente pelo vento solar que arrebatou não só o Hidrogênio mas também grande parte da atmosfera marciana, ao longo de bilhões de anos.
      Mais explicações sobre o passado aquoso de Marte:
      http://eternosaprendizes.com/2012/02/08/esa-a-sonda-mars-express-revela-evidencias-do-passado-oceanico-de-marte/
      http://eternosaprendizes.com/2010/06/16/mais-de-um-terco-de-marte-foi-coberto-por-oceanos/

      A maior parte da água que restou em Marte ficou nos polos, as medições indicam:
      http://eternosaprendizes.com/2009/01/21/mro-indica-a-presenca-de-agua-pura-nas-calotas-polares-de-marte/
      http://eternosaprendizes.com/2010/03/07/mro-revela-vastas-geleiras-escondidas-em-marte/
      Desconheço dados sobre ‘oceanos subsuperficiais’ em Marte, mas não ficaria surpreso se no futuro encontrem evidência da existência de água presa no subsolo, como você mesmo apontou em seu comentário.
      \o/

  2. migueljrarts.blogspot.com

    A sonda Mars Express e a equipe liderada por Jérémie Mouginot, do IPAG e da Universidade da Califórnia, Irvine, tem realizado ótimos trabalhos. Evidências nítidas e concretas de existencia de água em marte. A dúvida é, como diz no artigo – “existiu o oceano há 4 bilhões de anos, ou há 3 bilhões de anos quando o gelo por baixo da superfície derreteu”?? Sabemos que por falta de campo magnético e estar exposto, Marte perdeu água. O que não confirmamos ainda foi vida microbriana num PH tão alto – o amigo Ricardo e internautas podem ajudar sobre questões de PH na água? Os Extremófilos por exemplo poderiam sobreviver por algum tempo? Abraços.

  1. Cientistas comprovam que Marte é um planeta que perdeu um oceano de água » O Universo - Eternos Aprendizes

    […] ESA: A sonda Mars Express revela evidências do passado oceânico de Marte […]

Deixe uma resposta