«

»

maio 09

NGC 6543: o Halo filamentoso da Nebulosa Olho de Gato

NGC 6543: a Nebulosa Olho e Gato e sua estrutura filamentosa. Clique na imagem para a sua versão em alta-resolução. Crédito©: R. Corradi (Isaac Newton Group), Nordic Optical Telescope

NGC 6543: a Nebulosa Olho e Gato e sua estrutura filamentosa. Clique na imagem para a sua versão em alta-resolução. Crédito©: R. Corradi (Isaac Newton Group), Nordic Optical Telescope

A Nebulosa do Olho do Gato (NGC 6543) é uma das mais famosas nebulosas planetárias nos céus. Suas simetrias notáveis residem no seu núcleo, como vemos nesta alucinante imagem em cores ajustadas, processadas para nos revelar o gigantesco e ultra tênue halo gasoso que rodeia nossa conhecida nebulosa planetária Este halo possui mais de três anos-luz de extensão.

A foto acima foi elaborada a partir dos dados do Nordic Optical Telescope que fica nas Ilhas Canárias. Assim, esta composição fotográfica visa destacar a extensa emissão pela nebulosa, diferente das outras imagens da Nebulosa do Olho do Gato que tanto apreciamos.

Mosaico mostra a vizinhança celeste da NGC 6543. Créditos:  SA, NASA, HEIC, Hubble Heritage Team STScI/AURA), Nordic Optical Telescope, Romano Corradi (Isaac Newton Group of Telescopes, Spain) and Digitized Sky Survey 2

Mosaico mostra a vizinhança celeste da NGC 6543. Créditos: SA, NASA, HEIC, Hubble Heritage Team STScI/AURA), Nordic Optical Telescope, Romano Corradi (Isaac Newton Group of Telescopes, Spain) e Digitized Sky Survey 2

Por que as nebulosas planetárias são tão importantes?

As nebulosas planetárias têm sido rigorosamente observadas pelos astrônomos, pois representam a fase final na vida de estrelas similares ao Sol. No entanto, apenas recentemente foi notado que há nebulosas planetárias que possuem halos vistos aqui.

Estes halos devem ter se originado a partir de matéria estelar ejetada durante os espasmos da estrela moribunda em suas fases evolutivas finais. Na imagem podemos visualizar duas fases distintas do fim de uma estrela:

  1. A fase de nebulosa planetária (interno) que dura cerca de 10.000 anos;
  2. ejeção filamentosa externa que ocorreu entre 50.000 e 90.000 anos.

Romano Corradi foi o astrônomo responsável pela captura da imagem usando o Nordic Optical Telescope em La Palma, nas Ilhas Canárias. A composição foi construída a partir de duas exposições de faixa estreita de 1800 segundos cada que mostram:

  1. Os átomos de oxigênio na tonalidade azul
  2. Os átomos de nitrogênio na tonalidade avermelhada

Para ver mais imagens da belíssima nebulosa, recomendamos ler o artigo:

NGC 6543 – a Nebulosa Olho de Gato é capturada pela visão de raios-X do telescópio Chandra

Veja também o vídeo com um zoom na nebulosa Olho de Gato, abaixo, ou no site da ESA/Hubble, aqui.

Fontes e referências

ESA/Hubble:

NGC 6543 – a Nebulosa Olho de Gato é capturada pela visão de raios-X do telescópio Chandra

APOD: Halo of the Cat’s Eye – Crédito© : R. Corradi (Isaac Newton Group), Nordic Optical Telescope

AstroPT: Olho do Gato

._._.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

error: Esse blog é protegido!