«

»

maio 07

Arp244: uma dupla de galáxias em colisão na constelação do Corvo lembra as antenas de um inseto cósmico

http://apod.nasa.gov/apod/image/1005/NGC4038_ssro.jpg

Arp244: As antenas do ‘inseto cósmico’ são resultantes da interação entre duas galáxias em colisão. Créditos: Star Shadows Remote Observatory e PROMPT/CTIO (Jack Harvey, Steve Mazlin, Rick Gilbert e Daniel Verschatse)

A dupla de galáxias Arp44 (NGC 4038 e NGC 4039) colidiram a 60 milhões de anos-luz de distância na constelação de Corvus (Corvo).  Entretanto, em geral, suas estrelas não chegaram a se chocar durante este longo e tedioso evento que tem se alongado por um bilhão de anos.

As enormes nuvens de gás molecular e poeira, por outro lado, sofreram interações gravitacionais, fomentando furiosos episódios de formação estelar perto do núcleo destes escombros galácticos.

Estendendo-se por aproximadamente meio milhão de anos-luz, esta curiosa formação também revela outros aglomerados estelares e matéria ejetada para fora do cenário da colisão galáctica através das marés gravitacionais.

Consequentemente. a aparência peculiar em forma de arco destas estruturas esparsa dá ao conjunto o seu nome popular de “As Antenas”, pois lembram as antenas de um inseto cósmico.

http://www.cita.utoronto.ca/~dubinski/antennae/antennae.html

O par de galáxias NGC 4038/4039 é talvez uma das mais famosas duplas de galáxias em interação por causa das suas caudas simétricas que lembram as antenas de um inseto. Nas sequências de imagens acima estão estudos com simulações computacionais modelando a quantidade de matéria escura presente nesta dupla de galáxias ao longo de 200 milhões de anos. O modelo superior (low mass) estipula que a quantidade de matéria escura é 4 vezes a da matéria convencional e o inferior (high mass) infere que a quantidade de matéria escura é 30 vezes maior. O modelo de alta massa fracassa e não produz as ‘antenas’. As simulações indicam que as caudas somente são produzidas se os halos de matéria escuraforem até 10 vezes mais massivos que a matéria convencional.

Na imagem abaixo, tomada pelo telescópio orbital Hubble temos um close-up das galáxias NGC 4038 e 4039 em processo de fusão:

http://apod.nasa.gov/apod/image/0610/antennae_hst_big.jpg

Hubble mostra detalhes das galáxias NGC 4038 e 4039 em processo de fusão. Créditos: NASA, ESA, Hubble Heritage Team (STScI/AURA)-ESA/Hubble Collaboration & B. Whitmore (Space Telescope Science Institute) et al.

Fontes

APOD:

ArXiv.org: From Globular Clusters to Tidal Dwarfs: Structure Formation in the Tidal Tails of Merging Galaxies

http://www.cita.utoronto.ca/~dubinski/antennae/antennae.html

Observations of NGC 4038/9 (“The Antennae” = Arp 244)

._._.

5 menções

  1. Um choque de galáxias intensifica a formação estelar? » O Universo - Eternos Aprendizes

    […] Os cientistas simularam condições através de 300 mil anos-luz. Para o cenário similar nas galáxias em choque Antennae, os cientistas usaram o supercomputador SuperMUC para cobrir 600 mil anos-luz, utilizando 8 […]

  2. ESO: ALMA aplica métodos de Sherlock Holmes para avaliar galáxias em colisão no Universo longínquo » O Universo - Eternos Aprendizes

    […] da galáxia H-ATLAS J142935.3-002836 mostrou que este objeto complexo e distante se parece com as famosas galáxias Arp 244 (Antennae), uma colisão bem conhecida no grupo local de […]

  3. ALMA revela um super proto-aglomerado-estelar no sistema de galáxias em colisão Arp 244 – as “Antenas” » O Universo - Eternos Aprendizes

    […] de um famoso par de galáxias em colisão (NGC 4038 e NGC 4039), conhecidas coletivamente como Arp 244 [1] ou “Antennae” (“Antenas”). As forças de maré geradas pela fusão em andamento […]

  4. Blog de Astronomia do astroPT » Pesquisa do SWIFT revela o gatilho que acende os buracos negros nos núcleos das galáxias ativas: a colisão de galáxias

    […] Koss. A equipe observou que cerca de 25% das 260 galáxias que o instrumento BAT identificou são pares de galáxias sofrendo o processo de fusão. “Talvez 60% destas galáxias irão completar suas unificações no próximo bilhão de anos. […]

  5. Pesquisa do SWIFT revela o gatilho que acende os buracos negros nos núcleos das galáxias ativas: a colisão de galáxias « Eternos Aprendizes

    […] Koss. A equipe observou que cerca de 25% das 260 galáxias que o instrumento BAT identificou são pares de galáxias sofrendo o processo de fusão. “Talvez 60% destas galáxias irão completar suas unificações no próximo bilhão de anos. […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

error: Esse blog é protegido!