«

»

maio 03

NGC 3190: imagem de uma galáxia espiral em perfil processada por Robert Gendler

Esta imagem foi capturada pelo observatório espacial Hubble e reprocessada por Robert Gendler. Créditos: Dados originais - Hubble Legacy Archive, ESA, NASA; Processamento - Robert Gendler.

Esta imagem foi capturada pelo observatório espacial Hubble e reprocessada por Robert Gendler. Créditos: Dados originais – Hubble Legacy Archive, ESA, NASA; Processamento – Robert Gendler.

Há galáxias belíssimas que são visualizadas de forma peculiar, quase de perfil.

A galáxia espiral NGC 3190 é o maior membro do Grupo de galáxias Hickson 44. Hickson 44 é um dos grupos de galáxias mais próximos do nosso Grupo Local de galáxias. Em destaque acima, gigantescos redemoinhos de poeira cósmica, finamente construídos, rodeiam o centro brilhante e fervente desta maravilhosa galáxia espiral.

Os cientistas estimam que provavelmente os efeitos gravitacionais de maré com outros membros deste grupo de galáxias provavelmente causaram a aparência assimétrica dos braços espirais da NGC 3190 em volta do núcleo.

Além disso, o disco galáctico nos parece também retorcido. A NGC 3190 tem um diâmetro calculado em 75.000 anos-luz e é visível via pequenos telescópios na constelação de Leão (Leo).

A galáxia NGC 3190 foi descoberta em 12 de março de 1784 por William Herschel.

A NGC 3190 é uma galáxia violenta pois tem um núcleo ativo (chamado de AGN – Active Galactic Nucleus) e como tal, seu coração hospeda um supermassivo buraco negro, como a famosa galáxia M87.

O telescópio VLT do ESO capturou esta imagem da galáxia espiral NGC 3190 em 2003. Crédito:ESO/Henri Boffin

O telescópio VLT do ESO capturou esta imagem da galáxia espiral NGC 3190 em 2003. Crédito: ESO/Henri Boffin

As supernovas Ia coincidentes

Em março de 2002 uma supernova (SN 2002bo) foi encontrada dentro do  “V deitado” das linhas de poeira, na parte à sudeste da NGC 3190. Esta supernova foi descoberta independentemente pelos astrônomos Paulo Cacella (Brasil) e Yoji Hirose (Japão). Felizmente a supernova SN 2002bo foi encontrada duas semanas antes do seu pico de brilho, o que permitiu aos astrônomos rastrearem sua evolução. Assim, os astrônomos concluíram que se tratava de uma Supernova tipo Ia incomum. A imagem do ESO acima foi capturada em 2003 pelo VLT, cerca de um anos após o máximo desta supernova, 50 vezes mais brilhante que na imagem acima.

Um grupo de astrônomos italianos, ao observar a SN 2002bo deparou-se com outra supernova Ia, a SN 2002cv, no outro lado da NGC 3190, um raro evento cósmico. A presença de duas supernovas deste tipo ao mesmo tempo em uma galáxia é um cenário muito raro. Os astrônomos esperam encontrar apenas uma supernova por galáxia a cada 100 anos. A supernova SN 2002cv estava escondida e foi visualizada em infravermelho pois estava situada atrás das nuvens de poeira da NGC 3190. De fato, à SN 2002cv foi atribuído o recorde de ter sido a supernova Ia mais obscura já observada, até março de 2002.

Fontes

APOD: Spiral Galaxy NGC 3190 Almost Sideways – Créditos©: DadosHubble Legacy Archive, ESA, NASA. ProcessamentoRobert Gendler

Universe Today: Twin Supernovae in NGC 3190

._._.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

error: Esse blog é protegido!