«

»

abr 24

Hubble celebra seu 20º aniversário revelando fantásticas imagens de épicas montanhas espaciais na nebulosa Carina

http://apod.nasa.gov/apod/image/1004/carina08_hst_big.jpg

Esta turbulência cósmica reside dentro de um berçário estelar chamado Nebulosa Carina, que dista 7.500 anos-luz na constelação de Carina visível nos céus do hemisfério sul. A Wide Field Camera 3 do Hubble observou estes pilares em 1 e 2 de fevereiro de 2010. Crédito: NASA / ESA / M. Livio & Hubble 20th Anniversary Team (STScI)

Hoje, 24 de abril de 2010, celebramos o 20º aniversário do lançamento do telescópio orbital Hubble. Assim, os cientistas do Hubble liberaram novas imagens dos pilares de uma nebulosa bem conhecida por nós.

A fotografia deslumbrante que o Hubble capturou mostra apenas uma pequena parte da nebulosa Carina, um dos maiores berçários estelares próximos de nós.

http://sci.esa.int/hubble/46916-comparison-views-of-mystic-mountain/

O par de imagens deste berçário estelar, com 3 anos-luz de comprimento, demonstra as diferenças entre as observações no visível e no infravermelho a partir dos filtros do Hubble. Esta visão pancromática que o Hubble capta do Universo mostra as notáveis diferenças na nebulosa Carina, 7.500 anos-luz de distância. Crédito: NASA/ESA/M. Livio & Hubble 20th Anniversary Team (STScI)

Há dentro da cabeça deste ‘monstro cósmico’ uma brilhante e jovem estrela que o está destruindo lentamente. O dito ‘monstro’, à direita e acima, é na realidade uma coluna inanimada de gás e poeira com mais de 1 ano-luz de extensão. Uma massiva estrela energética, que se esconde invisível para nós por trás da nuvem opaca de poeira, mostra seu farto poder através da ejeção de feixes energéticos de partículas. Outras batalhas épicas similares têm sido travadas em toda a Nebulosa Carina, um gigantesco berçário estelar. No final do combate, as estrelas vencerão, terminando por destruir seus pilares da criação em cerca de 100.000 anos, criando um novo aglomerado estelar aberto. Os pontos cor-de-rosa na foto estão associados a estrelas recém-nascidas as quais já se livraram de seus casulos, onde foram geradas.

http://en.wikipedia.org/wiki/File:PhilcUK-1274438506.jpg

A imagem acima foi divulgada na semana passada em comemoração ao 20º ano de funcionamento do Telescópio Espacial Hubble. O termo tecnicamente correto para estes jatos cósmicos é objeto Herbig-Haro. A forma com que efetivamente uma estrela cria um jato Herbig-Haro ainda permanece como objeto de pesquisa em andamento.

Estima-se que provavelmente exista um disco de acreção movimentando-se em turbilhão em torno de uma jovem estrela no centro. Vemos na imagem um segundo e impressionante objeto Herbig-Haro disposto na diagonal, quase no centro da imagem.

http://apod.nasa.gov/apod/ap070218.html

M16: os “Pilares da Criação”. Hubble capturou esta imagem em 1995, que mostra glóbulos gasosos em evaporação (GGEs) emergindo a partir de pilares de nuvens moleculares de gás hidrogênio e poeira interestelar. Crédito: J. Hester, P. Scowen (ASU), HST, NASA

A cena revelada pelo time do Hubble é uma reminiscência inspirada na clássica imagem “Os Pilares da Criação”, a famosa foto (ver acima) que o Hubble capturou em 1995 e deslumbrou o mundo. Cabe ressaltar que esta imagem ainda é ainda mais marcante em sua aparência.

http://hubblesite.org/newscenter/archive/releases/2010/13/image/f/

Uma série de close-ups mostra as complexas estruturas de gás dentro da Nebulosa Carina. A nuvem está sendo erodida pela radiação ultravioleta emitida pelas estrelas jovens e brilhantes recém nascidas. Crédito: NASA/ESA/M. Livio & Hubble 20th Anniversary Team (STScI)

O Telescópio Espacial Hubble foi lançado em 24 de abril de 1990, a bordo do ônibus espacial Discovery durante a missão STS-31. As descobertas de Hubble e suas imagens estonteantes tem sido revolucionárias em um grande número de áreas de pesquisas astronômicas, que vão desde a ciência planetária até a cosmologia.

http://heritage.stsci.edu/2007/16/supplemental.html

Visão panorâmica da nebulosa Carina pelo Hubble. Clique na imagem e navegue para acessar as fotos em close-up dos objetos marcados.

“O Hubble é, sem dúvida, um dos mais reconhecidos e bem sucedidos projetos científicos na história”, disse Ed Weiler, administrador associado da Diretoria de Missões Científicas na sede da NASA em Washington. “No ano passado, 2009, o ônibus espacial executou a última missão de manutenção do Hubble e deixou o observatório na capacidade de pico de uso, dando-lhe um novo começo para realizações científicas a impactar nossa sociedade.”

Até o momento, o Hubble observou mais de 30.000 alvos celestiais e acumulou mais de meio milhão de fotos no banco de dados mantido pelas agências espaciais NASA (EUA) e ESA (Europa). A mais recente missão de serviço no Hubble em maio 2009 transformou-o em 100 vezes mais potente que há duas décadas, quando iniciou sua vitoriosa operação.

Fontes e referências

Space.com: Hubble Telescope Spies Majestic Space Mountains

Hubblesite: The Carina Nebula: Star Birth in the Extreme

APOD:

._._.

2 comentários

  1. Que interessante Roca, enquanto passava o cursor para baixo, maravilhada com as imagens, fui invadida pelo mesmo pensamento. Que imagens….imagens….bem….não existem palavras. ” Uma imagem vale por mil palavras”. Parabéns aos criadores dos eternosaprendizes. Descobri a vossa ligação, enquanto pesquisava sobre o Vasimr 🙂 Energia-Albufeira/Algarve

  2. james ribeiro rocha

    Estou maravilhado com as fantásticas fotos do nosso universo conhecido. Vocês estão de parabéns com estas publicações.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

error: Esse blog é protegido!