«

»

abr 09

HiRISE captura imagens de novas avalanches em Marte

Avalanche em Marte flagrada pela câmera HiRise da MRO.

Avalanche em Marte flagrada pela câmera HiRise da MRO em 27 de janeiro de 2010

Em 19 de feveriro de 2008, ao buscar variações nos padrões em certa região em Marte, a câmara HiRISE a bordo da sonda MRO (Mars Reconnaissance Orbiter), flagrou uma avalanche em desenvolvimento. Desde então, a equipe operacional da HiRISE tem estado vigilante, a caça de mais avalanches em Marte.

Felizmente, a procura teve sucesso! Em 27 de janeiro de 2010, a HiRISE capturou uma rara imagem (ver acima) de outra avalanche em ação, em um íngreme desfiladeiro na região próxima ao pólo norte de marciano. Foram observadas pelo menos três nuvens isoladas de partículas caindo pelo desfiladeiro. A equipe informou que estas nuvens devem ter atingido dezenas de metros em altura.

As avalanches marcianas são produto da geada do CO² (dióxido de carbono congelado – ‘gelo seco’) que fica retido nas escarpas durante a escuridão do inverno. Quando a luz solar lá chega, no desenrolar da primavera, o CO² congelado sublima e sua expansão provoca os deslizamentos. O desfiladeiro tem cerca de 700 metros de altura e é composto por várias camadas de água gelada com conteúdos diversos de poeira, mais ou menos semelhante às calotes polares na Terra.

Avalanches de 12 de janeiro de 2010 capturadas pela HiRise

Avalanches de 12 de janeiro de 2010 capturadas pela HiRise

Na segunda foto, acima, vemos outra avalanche flagrada em 12 de janeiro de 2010. A equipe da Universidade do Arizona afirma a observação destas avalanches individuais, permitirá construir um mosaico da seqüência do processo, desde o começo (no início da queda do material pelo desfiladeiro) até ao final (as nuvens de poeira que se espalham vagarosamente).

As observações de 2010 sugerem que estes eventos ocorrem sobremaneira nos meados da primavera, que seria o equivalente ao final de abril/início de maio no hemisfério norte, na Terra, isto é, outubro/novembro do hemisfério sul.

O que tudo indica, trata-se de um processo primaveril habitual no pólo norte marciano que pode ser esperado todos os anos, algo como: a estação das avalanches! As novas informações do programa HiRISE, juntamente com resultados de modelos do comportamento dos materiais envolvidos, irão incrementar nosso conhecimento sobre estes intrigantes fenômenos.

Veja também em “Avalanche em Marte 3D: Reconstrução a partir de uma Única Imagem 2D – Novo Método” novas imagens da avalanche de 2008 sob novos ângulos, reconstruídas em modelagem 3D.

Fontes

HiRISE:

._._.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

error: Esse blog é protegido!