«

»

mar 12

Saturno em oposição em 22 de março

Oposições de Saturno de 2001 a 2029

Oposições de Saturno de 2001 a 2029

Nos próximos dias, Saturno vai entrar em oposição, colocando-se em uma posição exatamente oposta ao Sol no céu terrestre. A oposição acontecerá na segunda-feira, dia 22 de março, as 00h16min.

Vários efeitos interessantes se apresentam com a oposição de Saturno. Principalmente, teremos Saturno nascendo ao pôr-do-sol e se pondo ao nascer-do-sol, por isso o planeta Senhor do Anéis será visível toda a noite para qualquer localidade do globo. Assim, no pôr-do-sol, Saturno está a nascer ao leste e no sol nascente está se pondo a oeste. À meia-noite (local), Saturno estará no alto no céu ao Sul [no hemisfério Norte], ou no alto no céu ao norte [no hemisfério Sul].

Observações de Saturno e seus anéis

A maioria dos astrônomos afirma que a um dos pontos altos de suas vidas ocorre na primeira vez em que observam Saturno por um telescópio. De fato, até observarmos os anéis de Saturno com os nossos próprios olhos, parece difícil de acreditar que algo tão estranho e lindo possa existir.

Que poder óptico é necessário para observar os anéis? Embora haja quem afirme ter conseguido observá-los com menos, recomenda-se uma ampliação de no mínimo 25 vezes. Nesta ampliação os anéis serão pequenos porém inconfundíveis. Se observados através de um potente telescópio com 150 vezes de ampliação, os detalhes dos anéis tornam-se fascinantes.

Por estranho que possa parecer, a oposição consiste no pior momento para se observar os anéis, porque a luz solar incidente diretamente na sua frente não permite a ocorrência de sombras. Os melhores momentos para se observar os anéis ocorrem um mês antes e um mês depois da oposição, quando o Sol forma um ângulo com os anéis. E esta disposição fornece uma sombra dos anéis no globo de Saturno, reforçando o efeito tri-dimensional.

Existem outras coisas para observar além dos anéis. Em primeiro lugar, os detalhes dentro dos anéis. Uma banda escura, denominada Divisão de Cassini, batizada com esse nome em homenagem ao seu descobridor Giovanni Domenico Cassini (1625-1712), divide o escuro anel exterior do anel interior mais brilhante. Eventualmente pode ser possível observar um tênue anel interior, conhecido como o Anel Crepe.

As luas de Saturno

Enquanto Júpiter tem quatro luas brilhantes, Saturno uma maior variedade de luas. A mais brilhante é Titã, a única lua do Sistema Solar com condições suficientes para ter uma densa atmosfera. As imagens de Titã obtidas pela sonda Cassini mostram-nos uma paisagem até certo ponto familiar com montes e lagos, embora estes lagos sejam formados metano líquido e não de água. Titã é facilmente visível em pequenos telescópios e aparece como um pequeno ponto de luz.

Com uma maior atenção e uma maior abertura de telescópios mais poderosos, podemos ver mais luas de Saturno. Grande parte das maiores luas movem-se no mesmo plano dos anéis, inclinadas relativamente a um observador na Terra. Um programa simulador como o Stellarium, pode mostrar as posições exatas das luas numa dada noite.

Japeto

A lua Japeto é particularmente interessante. A sua órbita situa-se num plano que não os dos anéis e de outras luas brilhantes, e está regularmente longe do planeta. É aí necessária a ajuda de um destes planetários informáticos para diferenciá-la das estrelas de fundo. Mas a sua característica mais estranha é a forma como muda de brilho, de um lado da sua órbita para o outro. Quando se encontra na elongação este, como estará no dia 30 de março, Japeto terá magnitude 11,9. Na elongação oeste, no dia 7 de maio, terá magnitude 10,1, quase dois pontos mais brilhante.

A variação no brilho de Japeto era um mistério até que a Cassini enviou de volta imagens detalhadas da lua, que mostraram que o seu hemisfério principal (que se apresentará na nossa direção no dia 30 de março) é escurecido por material recolhido à medida que orbita Saturno, enquanto o seu hemisfério oposto é pristinamente esbranquiçado.

A mudança no brilho da Japeto é facilmente observável se o seguirmos ao longo de uma órbita completa, por 79 dias.

Fonte

Space.com: Lord of the Rings in Opposition

._._.

Deixe uma resposta