«

»

fev 23

Astrônomos revelam que a Via Láctea está repleta de aglomerados estelares alienígenas

Imagem do típico aglomerado globular Messier 80 capturada pelo Hubble. Trata-se de um enxame estelar composto de centenas de milhares de estrelas que está localizado na direção da constelação de Escorpião. A Via Láctea tem cerca de 160 aglomerados globulares dos quais 25% têm origem alienígena. Crédito: NASA / The Hubble Heritage Team / STScI / AURA

Imagem do típico aglomerado globular Messier 80 capturada pelo Hubble. Trata-se de um aglomerado estelar composto de centenas de milhares de estrelas que está localizado na direção da constelação de Escorpião. A Via Láctea tem cerca de 160 aglomerados globulares dos quais 25% têm origem alienígena. Crédito: NASA / The Hubble Heritage Team / STScI / AURA

Surpreendentemente, muitos dos aglomerados estelares encontrados em nossa galáxia podem realmente ser alienígenas. Estes aglomerados globulares extragalácticos consistem de coleções de estrelas que se formaram em outros lugares fora da galáxia e depois migraram dentro da nossa Via Láctea.

Estrelas alienígenas?

De acordo com estudos recentes os aglomerados de ‘estrelas estrangeiras’ constituem cerca de um quarto do conjunto dos aglomerados globulares dentro da Via Láctea.

“Ao que nos parece algumas das estrelas e aglomerados globulares de estrelas que vemos quando olhamos para o céu à noite, não são nativos, mas sim alienígenas oriundos de outras galáxias,” disse o co-autor do estudo Duncan Forbes, astrônomo da Universidade Tecnológica de Swinburne, na Austrália. “Elas vieram até aqui na Via Láctea nos últimos bilhões de anos.”

Há algum tempo os astrônomos já suspeitavam que alguns aglomerados globulares, contendo cada um de 10.000 a vários milhões de estrelas eram de oriundos fora de nossa galáxia, mas tem sido difícil identificar positivamente quais eram os candidatos.

Novo levantamento apontou as assinaturas extragalácticas

Para encontrá-los, Forbes, juntamente com seu colega Terry Pontes da Queens University, em Ontário, Canadá, se valeram dos dados do Telescópio Espacial Hubble para examinar em detalhe os aglomerados globulares na Via Láctea.
Em seguida, eles compilaram o maior banco de dados de alta qualidade para registrar a idade e as propriedades químicas dos aglomerados globulares individuais.

“Usando este banco de dados, fomos capazes de identificar as principais assinaturas em dos aglomerados globulares de estrelas que nos deu indícios reveladores sobre a sua origem extragaláctica”, disse Forbes.

Via Láctea Canibal

O trabalho também sugere que a Via Láctea pode ter engolido mais galáxias anãs de até 100 bilhões de estrelas do que se pensava anteriormente.

Uma pesquisa anterior havia mostrado que apenas duas galáxias anãs absorvidas pela Via Láctea nasceram em outros lugares, mas o trabalho atual sugere que podem existir da ordem de seis ou sete.

“Embora as galáxias anãs [que foram canibalizadas] estejam desmanteladas e suas estrelas tenham sido assimiladas pela Via Láctea, os aglomerados globulares de estrelas provenientes das galáxias anãs permanecem relativamente intactos e sobreviveram ao processo de acresção”, acrescentou Forbes.

No entanto, futuros estudos são necessários para confirmar nossas conclusões, alegaram os pesquisadores.

Esta pesquisa será detalhada na revista Monthly Notices of Royal Astronomical Society.

Fontes

Space.com: Alien Star Clusters Fill Our Galaxy

Universe Today: Alien Star Clusters Are Invading the Milky Way

ArXiv.org: Accreted versus In Situ Milky Way Globular Clusters por Duncan A. Forbes e Terry Bridges

._._.

1 comentário

2 menções

  1. raph

    E, se realmente o surgimento da vida dependeu de moléculas que chegaram a Terra a bordo de meteoritos que vagaram pelo espaço profundo, mesmo nós somos de certa forma alienígenas. Senão da Via Lactéa, pelo menos do Sistema Solar…

  1. HIP 13044 b: Astrônomos do ESO descobriram o primeiro exoplaneta de origem extragaláctica « Eternos Aprendizes

    […] equipe europeia de astrônomos do ESO descobriu um exoplaneta em órbita de uma estrela alienígena que entrou na nossa Via Láctea vinda de outra galáxia. A detecção foi realizada através do […]

  2. 10 milhões de estrelas no aglomerado de Omega Centauri « Eternos Aprendizes

    […] de Omega Centauri e o movimento relativo em relação a Via Láctea são considerados consistentes com este cenário, ou seja, ω Cen seria possivelmente um aglomerado estelar alienígena. De forma similar ao aglomerado globular Mayall II, Omega Centauri tem uma gama de metalicidades e […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

error: Esse blog é protegido!