«

»

nov 29

Rosetta deu adeus à Terra mostrando imagens fantásticas do planeta azul

Imagem da Terra capturada pela camera OSIRIS da sonda Rosetta, a partir de uma distância de 633.000 km, 12 de novembro de 2009 em 13:28 CET.

Imagem da Terra capturada pela camera OSIRIS da sonda Rosetta, a partir de uma distância de 633.000 km, 12 de novembro de 2009 em 13:28 CET. Créditos: ESA ©2009 MPS for OSIRIS Team MPS/UPD/LAM/IAA/RSSD/INTA/UPM/DASP/IDA

Adeus Terra! Em 13 de novembro de 2009 a espaçonave interplanetária Rosetta da ESA(Agência Espacial Européia) executou uma manobra de passagem (fly-by) pela Terra, antes de prosseguir em sua longa jornada através do Sistema Solar.

Na imagem acima, capturada pela sua câmera OSIRIS um dia antes da manobra, em 12 de novembro de 2009, a Terra se apresenta em uma brilhante fase crescente mostrando o Pólo Sul, a uma distância de 633.000 km. A resolução desta imagem é 12 km/pixel.

Esta uma composição criada a partir de três imagens que usaram filtros em laranja, verde e azul. O crescente iluminado está centrado ao redor do Pólo Sul (o sul está na parte inferior da imagem). O perfil da Antártica está visível sob as nuvens que formam um violento vórtex no sul polar. O gelo compactado na frente da linha costeira, que nos mostra sua espetacular reflexão, é a origem dos pontos brilhantes desta imagem.

A Terra crescente iluminada mostra parte da América do Sul e da Antártida. A câmera OSIRIS capturou esta imagem a partir de uma distância de 350.000 km. A resolução é de 6,5 km/pixel. Créditos: ESA ©2009 MPS for OSIRIS Team MPS/UPD/LAM/IAA/RSSD/INTA/UPM/DASP/IDA

A Terra crescente iluminada mostra parte da América do Sul e da Antártida. A câmera OSIRIS capturou esta imagem a partir de uma distância de 350.000 km. A resolução é de 6,5 km/pixel. Créditos: ESA ©2009 MPS for OSIRIS Team MPS/UPD/LAM/IAA/RSSD/INTA/UPM/DASP/IDA

O sistema OSIRIS (Optical, Spectroscopic, and Infrared Remote Imaging System) é um conjunto de duas câmeras (uma grande angular + uma de pequeno ângulo) para obter imagens em alta resolução dos alvos a serem visitados, os núcleos cometários e asteróides que a Rosetta investigará antes de chegar ao Cometa 67/P Churyumov-Gerasimenko.

Animação a partir de fotos tiradas de hora em horas pela Rossetta na sua aproximação de 1,1 milhões de km até 320.000 km. Créditos: ESA ©2009 MPS for OSIRIS Team MPS/UPD/LAM/IAA/RSSD/INTA/UPM/DASP/IDA

Animação a partir de fotos tiradas de hora em horas pela Rossetta na sua aproximação de 1,1 milhões de km até 320.000 km. Créditos: ESA ©2009 MPS for OSIRIS Team MPS/UPD/LAM/IAA/RSSD/INTA/UPM/DASP/IDA

Lançada em 2004, a espaçonave Rosetta usou a gravidade terrestre para ganhar um empurrão acelerando-a na direção de Marte em sua longa jornada até encontrar-se com o Cometa Churyumov-Gerasimenko em 2014. Em 2008 esta espaçonave robótica visitou o asteróide 2867 Steins, e em 2010 está programada para examinar de perto o enigmático asteróide 21 Lutetia.

Se tudo correr bem em sua missão, a Rosetta irá liberar uma sub-sonda que irá pousar no Cometa de 15 km de diâmetro Churyumov-Gerasimenko em 2014.

Fontes e referências

ESA: First view of Earth as Rosetta approaches home

APOD: Crescent Earth from the Departing Rosetta Spacecraft – Crédito©: ESA (MPS for OSIRIS Team), MPS/UPD/LAM/IAA/RSSD/INTA/UPM/DASP/IDA

1 comentário

  1. Mirian Martin

    Apaixonante… 🙂

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

error: Esse blog é protegido!