«

»

nov 17

Arte cósmica: O amanhecer no planeta alienígena antes da Nova cataclísmica

O que é uma Nova? Como as Novas afetam os planetas que a orbitam?

Trará este amanhecer em um planeta alienígena uma explosão estelar provocada por uma ‘nova’?

O amanhecer em um sistema binário alienígena

O amanhecer em um sistema binário alienígena. Crédito©: Mark A. Garlick (Space-art.co.uk)

Estes dilemas poderão um dia fazer parte dos pensamentos de futuros humanos ou de alienígenas inteligentes vivendo em um exoplaneta que orbita uma cataclísmica estrela variável em um sistema binário. As estrelas cataclísmicas e variáveis seqüestram o gás de uma estrela gigante próxima através de um disco de acresção nas circunvizinhanças de um massivo porém compacto objeto estelar (com tamanho similar ao nossa Terra e massa da ordem de grandeza do nosso Sol!), uma anã branca faminta.

Supernova Ia por Hardy

Uma explosão provocada por Nova Recorrente - Crédito: Hardy

Os eventos explosivos cataclísmicos como uma ‘nova’ provocada por uma anã branca podem ocorrer quando um aglomerado de gás no interior do disco de acresção se sobre aquece, ou seja, atinge certa temperatura critica. Neste ponto o aglomerado irá cair mais rapidamente para dentro da ‘raivosa’ anã branca gerar um violento flash luminoso brilhante. Tais novas de anãs brancas não irão destruir nenhumas das estrelas do par binário neste sistema. Estas explosões podem ocorrer de forma irregular em escalas de tempo que variam de alguns dias até dezenas de anos. A esse fenômeno repetitivo damos o nome de ‘nova recorrente’ Embora uma nova seja bem menos energética que uma supernova, se as novas recorrentes não são tão poderosas para expelir mais gás que o que é absorvido pela anã branca a massa da anã branca irá crescer até chegar a um ponto crítico denominado limite de Chandrasekhar.

A partir daí, pobres alienígenas, seu destino estará selado para sempre, o fim do mundo chegou para os habitantes deste exoplaneta… Nem uma caverna profunda irá fornecer a proteção necessária uma vez que a anã branca irá explodir como uma formidável supernova Ia, simulada abaixo:

Fontes referências

APOD: “Dawn Before Nova” (O amanhecer antes da Nova) – Crédito©: Mark A. Garlick (Space-art.co.uk)

Imagens fantásticas mostram uma supernova recriada em simulação computacional

5 comentários

7 menções

Pular para o formulário de comentário

  1. André

    Muito Massa

  2. Felipe Leonardo

    Simplesmente Fantástico!!!

  3. Mirian Martin

    Uau! Parece mais a descrição de alguma deusa – carregada de ambiguidade, ao mesmo tempo que, se ela não existisse (a ambiguidade) todo o resto também não existiria. 🙂

    Perguntinha: à partir de um extermínio desses, é possível surgir um novo sistema solar? Quantos milhões de anos são necessários para se ter um sistema desses, com suas órbitas regulares e estáveis?

  4. Mirian Martin

    Ou seja, uma anã branca sequestradora, não é só potencialmente, mas uma certeza de destruição do que quer que esteja por perto.

    1. ROCA

      1.Sequestradora, 2.assassina e 3.mãe?
      .
      1.Sequestra a matéria da estrela companheira;
      2.Explode como uma terrível supernova exterminadora;
      3.Gera os elementos metálicos, toda a tabela periódica (até o Urânio), fonte de matéria de uma nova geração de estrelas e planetas.

  1. ESO: primeira detecção de lítio em uma estrela em explosão » O Universo - Eternos Aprendizes

    […] lítio foi encontrado pela primeira vez em material ejetado por uma explosão estelar chamada de NOVA [5]. Observações da Nova Centauri 2013 obtidas com o auxílio de telescópios no Observatório de […]

  2. Cientistas da colaboração FERMI-LAT descobrem as inéditas NOVAS de raios-gama « Eternos Aprendizes

    […] Uma nova é uma explosão termonuclear violenta causada por uma anã branca que rouba massa de sua companheira binária. Diferentemente das supernovas, as novas não provocam a destruição das suas estrelas. Os pesquisadores já tinham observado raios-X causados pelo gás em expansão em novas anteriores. Mas ao contrário das supernovas, eles não tinham visto até agora raios-gama emitidos por novas. […]

  3. Blog de Astronomia do astroPT » Estrelas desgarradas supervelozes podem contar a história da Via Láctea

    […] gigantes vermelhas e explosões de ‘novas’ já fora detectadas fora da Via Láctea, mas apenas dentro de aglomerados. Achar estrelas […]

  4. Estrelas desgarradas supervelozes podem contar a história da Via Láctea « Eternos Aprendizes

    […] gigantes vermelhas e explosões de ‘novas’ já fora detectadas fora da Via Láctea, mas apenas dentro de aglomerados. Achar estrelas […]

  5. Blog de Astronomia do astroPT » Astrônomos descobrem uma nova classe de supernova já prevista por físicos teóricos

    […] detonação da capa de Hélio. De feito, esta explosão tem elementos em comum tanto com as ‘novas‘ como com as supernovas. As novas nascem quanto sobre uma estrela cai matéria, […]

  6. Identificada uma supernova em contagem regressiva para explodir « Eternos Aprendizes

    […] anã branca gerou, em novembro de 2000, uma violenta explosão (que os astrônomos chamam de ‘nova’) depois de ter sugado parte da matéria da sua estrela companheira. Os astrônomos conseguiram […]

  7. Astrônomos descobrem uma nova classe de supernovas já prevista por físicos teóricos « Eternos Aprendizes

    […] sobrevive a detonação da capa de Hélio. De feito, têm elementos em comum tanto com as ‘novas‘ como com as supernovas. As novas nascem quanto sobre uma estrela cai matéria, […]

Deixe uma resposta