«

»

nov 09

Histeria em massa!

Abdução por alienígenas?

Abdução por alienígenas?

Desde as especulações selvagens nos mercados financeiros até a crença que os alienígenas estão nos visitando, nós humanos somos propensos a todo tipo de ilusões tanto pessoais quanto em massa, assim tem acontecido durante séculos…

Por que há gente que acredita em fenômenos tais como os ÓVNIS, abduções alienígenas, cirurgia psíquica e fantasmas, quando as provas são tão escassas e pouco convincentes?

Cidônia, a face em Marte, mostrada pela Viking à esquerda e pela Mars Express, à direita

Cidônia, a face em Marte, mostrada pela Viking à esquerda e pela Mars Express, à direita

Por que algumas pessoas insistem, por exemplo, que existe uma “face” em Marte quando já foi demonstrado que trata-se apenas um truque de luz e sombras. Por que há gente que acredita que os círculos nos campos de cereais são artefatos alienígenas quando os embusteiros que criaram estes engenhosos enganos já nos demonstraram como os construíram?

Círculos criados nos campos de cereais

Círculos criados nos campos de cereais

Por que há gente que segue insistindo que existiu no passado uma civilização avançada, uma nação perdida, conhecida como Atlântida, quando há legiões de arqueólogos que afirmam categoricamente que não existe nenhuma pista ou prova da sua existência? E aqueles que acham a acupuntura ou a homeopatia conseguem tratar os grandes males da humanidadee, quando um grande número de estudos confiáveis demonstra o contrário?

Sabemos que as percepções humanas tendem a ser pouco confiáveis: simplesmente escute os testemunhos de diferentes testemunhas de um incêndio ou um acidente no trânsito e você se questionará se estão descrevendo efetivamente o mesmo evento. Mas, por que tanta gente se vê atraída pelas teorias da conspiração ou mesmo as supostas profecias do boticário francês do século XVI Michel de Nostredame (mais conhecido por todos como ‘Nostradamus’)?

Sabemos, ao longo da história, que as ilusões coletivas de fato ocorrem: os sociólogos Robert Bartholomew e Erich Goode detalharam como as crenças falsas ou exageradas em geral podem surgir de forma espontânea, espalhar-se rapidamente por uma população e temporariamente afetar uma região, cultura ou até mesmo uma nação inteira.

Crises econômicas

Em geral a conhecemos (imprecisamente) como ‘histeria coletiva’ e existem muitos fatores que contribuem para o nascimento e expansão de tais ilusões coletivas. Estas incluem os rumores, extraordinária ansiedade pública ou excitação coletiva, as crenças culturais ou os estereótipos compartilhados e a amplificação destes pelos meios de comunicação em massa, assim como algumas ações de reforço eventualmente realizadas por autoridades e formadores de opinião, tais como os ditadores, os políticos, a polícia ou até mesmo os militares.

Charles Mackay, o jornalista escocês e editor do jornal Illustrated London News, escreveu como o povo é sugestionável em seu livro de 1841, Extraordinary Popular Delusions and the Madness of Crowds (Memorando de extraordinários engodos populares e a loucura das multidões).

Pamfleto de 1637 - "Mania das Tulipas"

Panfleto de 1637 – “Mania das Tulipas”

O assunto que Charles Mackay descreve está claro que não consiste apenas de um tema acadêmico ou de sugestão para uma conversa interessante em alguma festa: há casos modernos de destruição de empregos, companhias e até economias. A crise financeira global, que agora reverbera em toda a economia mundial, começou com uma selvagem e irrestrita dívida que todo mundo sabia que era insustentável, uma vez que dependia dos endividados quitarem dívidas relativas a quantias que claramente estavam além das suas posses. Não seria isto uma massiva ilusão coletiva?

Tulipas muito, muito caras…

Entre tempos de bonança e crises econômicas, em ciclos que temos entrado e saído tantas vezes, podemos ver que este mesmo comportamento ilusório entra em jogo repetidas vezes. Mackay nos recorda no capítulo 3 algo que é perturbadoramente familiar: no pico da “mania das tulipas”, nos Países Baixos, em fevereiro de 1637 os contratos de vendas futuras destas flores eram vendidos por mais de 10 vezes o salário anual de um hábil artesão e em algum ponto da crise ofereceram cinco hectares de terra em troca de um único bulbo da tulipa Semper Augustus. Vejamos mais detalhes a seguir:

O termo mania das tulipas ou ‘tulipamania’ é aplicado metaforicamente a qualquer bolha especulativa de grande escala, que passa da euforia ao pânico, até culminar em uma crise econômica. A expressão está ligada a um episódio da História dos Países Baixos: a crise das tulipas, gerada na República das Sete Províncias Unidas dos Países Baixos, durante o século XVII, quando um bulbo de tulipa passou a ser vendido pelo preço equivalente a 24 toneladas de trigo. O ápice dessa crise ocorreu entre 1636 e 1637. Charles Mackay conta uma história da época:

Um rico mercador havia comprado por 3.000 florins (~280 libras esterlinas) uma rara tulipa Semper Augustus que em algum momento desapareceu de seu depósito. Depois de vasculhar todo o depósito, ele viu um marinheiro, que havia confundido o bulbo da tulipa por uma cebola, comendo a tal tulipa. O marinheiro foi prontamente preso e passou seis meses na prisão.

Tomada de Jerusalém em 1099 durante a Primeira Cruzada

Tomada de Jerusalém em 1099 na Primeira Cruzada

Cruzadas!

Dos infrutíferos séculos de estudo sobre a transmutação de elementos em ouro até a queima de bruxas em Salem; Da loucura do século XVII em usar imãs para curar os males até as sangrentas campanhas militares de 200 anos das Cruzadas e seu impacto social, econômico e político de grande alcance – as ilusões coletivas tem sido uma constante ao longo da história humana.

Abduções Alienígenas?

Mas estes fenômenos também entram em jogo de forma individual, desde os contos de abduções alienígenas (que são notavelmente similares as histórias de abduções por demônios em séculos passados) a relatos de cirurgias psíquicas e a ilusão pessoal de que a homeopatia cura os males. Em alguns casos, a ‘abduções’ poderiam ser explicadas através de uma enfermidade que apenas recentemente começamos a compreender: a paralisia do sono.

Somos “caçadores-coletores”?

Talvez não devêssemos nos surpreender com as nossas limitações. “Em nosso interior nós somos caçadores-coletores”, disse o físico Robert Park, autor do livro Superstition: Belief in the Age of Science (Superstição: as Crenças na Era da Ciência). “O cérebro que nos permite escrever sonetos e resolver equações diferenciais tem mudado pouco em 160.000 anos. A ciência nos tem transportado para um mundo repleto de viagens em jatos e com comunicação eletrônica, mas nosso cérebro permanece ainda conectado com os instintos dos nossos ancestrais selvagens que lucraram em sobreviver na selva do Pleistoceno”.

Para a alquimia, transmutação é a conversão de um elemento químico em outro. Este conceito é também aplicado com características próprias na genética e na física nuclear. Desde os primórdios da alquimia ocidental, acreditava-se que era possível a transmutação de metais vis - como o chumbo, antimônio e bismuto (apesar de não os distinguir como elementos distintos) - em metais nobres - como a prata e principalmente o ouro. Em geral, especialmente ao longo de sua evolução, isso era tomado tanto em um sentido material como espiritual. Com o florescimento do conhecimento científico, constatou-se que a transmutação alquímica, conforme defendida pelos alquimistas, é improvada. Por outro lado, este fenômeno ocorre na natureza espontaneamente quando certos elementos químicos e isótopos possuem núcleos instáveis. Em tais elementos, se produzem fenômenos de fissão nuclear , que se transformam em novos elementos de números atômicos inferiores, até que os seus núcleos se tornem estáveis ( geralmente adquirindo a estabilidade do chumbo ). O fenômeno contrário, a transmutação em elementos de números atômicos maiores, dá-se em temperaturas elevadas, como as que são registradas no sol. Este processo é denominado de fusão nuclear. Estes processos naturais podem ser produzidos pelo homem. Já foi realizada a transmutação de chumbo à ouro, retirando 3 prótons e 8 neutrons por meio de bombeamento em aceleradores de partículas.

Para a alquimia, transmutação é a conversão de um elemento químico em outro. Este conceito pode também ser aplicado com características próprias na física nuclear. Desde os primórdios da alquimia ocidental, acreditava-se que era possível a transmutação de metais vis, como o chumbo, antimônio e bismuto em metais nobres, como a prata e o ouro. Com o florescimento do conhecimento científico, constatou-se que a transmutação alquímica, defendida pelos alquimistas, é impossível. Por outro lado, este fenômeno ocorre na natureza espontaneamente quando certos elementos químicos e isótopos possuem núcleos instáveis. Em tais elementos são produzidos fenômenos de fissão nuclear que se transformam em novos elementos de números atômicos inferiores, até que os seus núcleos se tornem estáveis. O fenômeno contrário, a transmutação em elementos de números atômicos maiores, dá-se em temperaturas e pressões muito elevadas, como as existentes  no núcleo do Sol, onde o Hidrogênio se funde gerando o Hélio. O processo que ocorre no interior das estrelas é denominado de nucleossíntese estelar.

O Mundo Assombrado pelos Demônios…

Mas existe uma esperança: e pode encontrá-la na ciência. No excelente livro The Demon Haunted World (O mundo assombrado pelos demônios – A ciência vista como uma vela no escuro) de 1995 sobre pensamento crítico e as ilusões que assolam a humanidade, Carl Sagan defende que o método científico e a clareza das idéias podem ajudar-nos a superar os pensamentos obscuros.

“Nós somos uma maneira do Cosmos conhecer a si mesmo” — Carl Sagan

“Nós somos uma maneira do Cosmos conhecer a si mesmo” — Carl Sagan

Sagan afirmou:

Pensar de forma crítica e clara é o meio mediante o qual uma idéia profunda pode ser separada da profunda insensatez. É muito melhor aferrar-se ao Universo como este realmente é, que persistir em uma ilusão, não importa quão satisfatória e reafirmada esta seja.

Além do método científico, Sagan oferece um conjunto de ferramentas para o pensamento crítico, que chamou ironicamente de “o Kit de detecção de camelos”: constrói um argumento racional baseado nas evidências e mantém-se aberto a reconhecer uma falácia ou um argumento fraudulento que contradiga as evidências existentes.

Navalha de Ockham

Busca uma confirmação independente de qualquer fato e quando as teorias tentam explicar exatamente as mesmas coisas, aplica-se a “Navalha de Ockham”: o princípio que disse que, ao tratar de se explicar um fenômeno, deve-se fazer as mínimas suposições possíveis, uma vez que em geral a explicação mais simples é a correta.

Sagan sugere formas de detectar “as falácias mais comuns da lógica e retórica” tais como aceitar um argumento simplesmente se baseando em que procede de alguém com autoridade ou acreditar em alguém que se baseia em estatísticas de uma amostra com poucos argumentos. Finalmente, a ciência não é uma resposta em si mesma, a ciência é uma ferramenta que ajuda a encontrar as respostas que nós buscamos.

Fontes

Cosmos Magazine:

David Morrison: Carl Sagan’s Life and Legacy as Scientist, Teacher, and Skeptic

26 comentários

2 menções

Pular para o formulário de comentário

  1. ROCA

    Lembramos aos nossos leitores que os comentários que desrespeitarem os Termos de Uso do Blog não serão publicados.

    Para saber as regras: http://eternosaprendizes.com/termos-de-uso/

    Façam bom uso do blog, afinal este é um espaço para troca de conhecimento.

  2. Ignorante

    A Navalha de Occam é uma farsa filosófica, pois, no mundo real, nem sempre a explicação mais simples é a correta. É só observar a realidade.

    1. ROCA

      Caro “Ignorante” (como você mesmo se chamou), você pode achar uma ‘farsa filosófica’. Nós, por outro lado, discordamos frontalmente de você e consideramos a ‘navalha de Occam’ uma regra bem aplicável na maioria dos fenômenos científicos. Obviamente há exceções, poucas, mas há…

  3. Leonardo Alan

    Ok obrigado pela resposta, irei continuar enviando perguntas para vocês, o cite de voces muito bom, vou da uma olhada no link que você me deixou, depois iremos continuar conversando sobre esses asuntos tão complicados, obrigado pela atenção!

  4. Leonardo Alan

    Sobre OVINIS, tenho pesquizado varios cites tem um cite que se chama http://www.realidadeoculta.com, esse cite tem varias afirmações de que existe ovinis, eles dizem que o rosto de marte realmente existe, eles tem varias imagens e videos de ovinis no espaço e ao redor do sol, eles dizem que a nasa nos engana, dizendo varias mentiras e manipulando fotos e imagens, isso porque não querem alarmar a população. Se e verdade eu não sei, so sei que quero saber mais, se alguem realmente tem algo de concreto esse alguem e a nasa, estou cansado de mitos, uns cites dizem que existe ovinis e outros dizem que não existem, onde vamos parar com isso!! Eu so critico algo quando tem certeza, se a nasa esconde algo da humanidade eu não sei, mais se esconde sera descoberto, pois a verdade não se esconde!

  5. Leonardo Alan

    Ainda não se si prova nada sobre esse assunto tudo o que temos e teoria, se realmente alguem tem algo de concreto esse alguem e a nasa.

    1. ROCA

      Leia aqui para entender o raciocínio lógico da ausência de ETs espionando a Terra:

      http://eternosaprendizes.com/2009/08/20/estarao-as-civilizacoes-galacticas-em-ilhas-isoladas-de-um-vasto-oceano-interestelar/

    2. ROCA

      Se a NASA (agência espacial do governo americano) tivesse ‘algo de concreto’ já teria divulgado. Lembre-se que a NASA NÃO pode esconder informações pois é um órgão controlado pelo congresso americano e como tal tem que ser ‘transparente’, senão, a legislação severa através das auditorias controladoras puniriam a agência e o congresso cortaria suas parcas verbas.

      Além disso, se ‘algo’ existe, a sua divulgação representaria imediatamente em um aumento do orçamento da NASA. Então, qual a razão para esconder??????

      Pare de acreditar em falsas ‘teorias de conspiração’ que alegam tramas inexistentes e o objetivo é ‘vender o medo’ aos incautos que acreditam em tudo o que lêem.

  6. leonardo

    Sobre os ovinis tem pesquisado varios cites, tem um cite que se chama http://www.realidadeoculta.com, este cite tem muitas afirmações de ovinis, eles dizem que a naza nos engana, porque não querem alarmar a população, diz que o rosto de marte realmente existe, eles tem diversos imagens e videos de ovinis no espaço e proximo ao sol. Se verdade eu não sei, so quero saber mais, estou cansado de mitos, uns cites dizem que existe ovinis e outros dizem que não existe, so critico algo quando tenho total certeza do que estou falando, vou continuar pesquizando diversos cites, pois so quero saber a verdade, se a naza esconde algo da humanidade eu não sei, mais se esconde sera descoberto, a verdade não se esconde!

    1. ROCA

      Leonardo,
      Você pode pesquisar o quanto desejar, mas você não vai encontrar nenhum alienígena assombrando nosso planeta!!!

      OVNIs há aos montes, são ‘objetos voadores não identificados’, quando identificados os OVNIs se transformam em objetos comuns, tais como balões, aviões, ultraleves, paraquedistas, foguetes em teste, a Lua, Vênus, Marte, Júpiter, etc…

    2. Leonardo Alan

      Eu não disse que acredito em ovnis! apenas disse o que eu tenho pesquizado, so quero saber das minhas duvidas, tantos cites dizendo tantas coisas sem explicação, de qualquer maneira obrigado pela resposta peço a vocé que de uma olhada no cite http://www.realidadeoculta.com, e me fale o que achou do assunto, apenas quero que me diga o que você acha.

  7. Douglas

    Muito legal a matéria tendo como referência seres questionadores e inteligentes que julgamos ser.
    Mas somos fisicamente bem limitados.
    Não conseguimos nem ver 10% de estímulos energéticos que nossa ciência sabe que existe.
    Para que envaremos algo como verdade, precisamos de provas concretas (visiveis), um sentimento não basta.
    Sempre geramos uma teoria e uma classificação para tudo o que vemos, mas e se a natureza ainda tivesse algo a nos revelar? Isso hoje seria rotulado como loucura ou alucinação até que alguma câmera da nasa, Globo ou o Times postasse algo a respeito com uma explicação cientificamente aceitavel. Concordo com a histeria em massa, mas acho que uma postura “debunker” atrapalha o desenvolvimento espiritual.
    Ou vocês também não acreditam em espírito?

    1. ROCA

      1. Globo ou Times não são jornais científicos, ou seja, não são fontes 100% confiáveis, é recomendável, sempre, checar as fontes originais;
      2. Este é um blog de ciências. O que os autores acreditam ou deixam de acreditar não está sendo e nem será discutido aqui;
      3. Somos ‘fisicamente limitados’, mas os instrumentos e os equipamentos que os cientistas usam não são. Assim nós conseguimos ‘ver’ raios-X, raios-gama, infravermelho, etc… Conseguimos enxergar e medir objetos que emitiram luz há bilhões de anos, etc…

    2. Douglas

      ok. Serei impessoal na próxima. rs. Mesmo me sentindo meio Mulder com a resposta, preciso deixar claro que é um excelente blog.

    3. ROCA

      Excelente, Douglas! Aguardamos, então, sua próxima participação.
      ROCA

  8. Franci

    Agora, cientistas búlgaros afirmam que os alienígenas estão entre nós e tem até uma mulher (vidente, parece), entre os cientistas, que afirma que obtém respostas através dos circulos espalhados pelo mundo. Vez ou outra, sempre aparece alguém para alimentar a “histeria”.

    1. ROCA

      Eu também li e fiquei abismado com essa patética história. Coloquei o link abaixo para quem quiser ler sobre os falsos-cientistas:
      .
      “Cientistas” búlgaros dizem que aliens estão na Terra”

  9. frederico gama abreu

    abduçoes , como explicar ? estou com 59 anos, minha formaçao escolar nao passa do primeiro grau, e aos 05 anos fui abduzido e com 18/aos 20 ja tinha conhecimento , de clonagens engenharia genetica , nun tempo que nao se sabia nada do assunto ? universos, buracos negros , que prar min era simplismente loucuras da cabeça de um jovem. que nen era e aida nao sou usuario de drogas? como explicar ? fredy .obs minha profisao e caminhoneiro.

    1. Leonardo

      Pois é Fredy, também acredito q existem muitas coisas que a ciência ainda não desvendou. Existem alguns fenômenos inexplicáveis, e negá-los por que não foram comprovados ainda cientificamente não quer dizer que todos são falsos ou inexistentes. Alegar que supostas abduções são apenas sonhos ou algo parecido, tb para ciência é difícil comprovar esta afirmação. E agora doutores?

    2. ROCA

      Leonardo,
      Como Carl Sagan nos ensinou: explicações extraordinárias exigem provas ou evidências extraordinárias.
      Os doutores perguntam: onde estão as evidências? Onde estão os responsáveis pelas abduções?
      NINGUÉM responde. Não há provas.
      .
      Por que contestar os sonhos então, se é a explicação mais simples e não tem contra-indicações? Navalha de Ockham!
      .
      Que apresentem uma prova melhor, com comprovações concretas e resolvam o problema!
      Por enquanto, ‘os sonhos’ são o temos para explicar abduções…

  10. eternosaprendizes.com

    Grande Sagan!

  11. Felipe Leonardo

    Muito boa materia! Parabens!
    adoro esse site… e sempre fui fã da serie “Cosmos”, é uma pena nao ter novas temporadas… =/

  12. Mirian Martin

    Mas mesmo as histerias coletivas, como avistar OVNIs, ver rostos em Marte ou seja lá o que for, tem o seu ponto positivo ao instigar um processo científico para investigar sua veracidade, que pode ser o berço de uma nova teoria ou de novas tecnologias – mesmo provando ser uma bela balela o caso investigado.

    1. ROCA

      De fato, em diversos casos, nós devemos olhar o lado positivo. O caso das Tulipas é um interessante caso que se repete consistentemente no mundo econômico global. O rosto em Marte foi considerado um exemplo clássico de pareidolia. As ‘abduções’ podem se relacionar com distúrbios do sono, e assim por diante. Infelizmente as Cruzadas foi um exemplo sangrento que não se deveria repetir, mas acontece ainda hoje com os fanatismos exacerbados e guerras santas.

    2. Mori

      Parabéns pela tradução (e por todo o EA, com conteúdo original fabuloso também), mas pelo amor de Sagan, mudem o título para “histeria coletiva”, “histeria em massa”, mesmo “histeria maciça”… 🙂

    3. ROCA

      Feito!

  1. A Histeria da Vacina | CeticismoAberto

    […] essa onda de histeria em massa tem levado a um agudo declínio nas vacinações de poliomielite e um quase idêntico aumento nos […]

  2. 2012: a Don Yeomans cientista da NASA e coordenador do programa NEO explica o que não vai acontecer « Eternos Aprendizes

    […] as evidências comprobatórias? Não existem explicações plausíveis. Tratam-se de anúncios histéricos, irracionais , persistentes e até lucrativos, pois acarretam a venda de livros, filmes, […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

error: Esse blog é protegido!