«

»

out 19

ESO: Michel Mayor e o programa HARPS anunciam 32 novos exoplanetas

Impressão artítica do exoplaneta Gliese 667c do sistema triplo Gliese 667. Aqui vemos o exoplaneta e as duas estrelas distantes do sistema. Crédito: ESO

Impressão artística do exoplaneta Gliese 667 Cb do sistema triplo Gliese 667. Aqui vemos o exoplaneta Gliese 667 Cb (que orbita a estrela Gliese 667 C, que não aparece aqui) e as duas estrelas distantes do sistema, Gliese 667 A e Gliese 667 B. Crédito: ESO

Em 19 de outubro de 2009, na conferência internacional ESO/CAUP sobre exoplanetas, em Porto, Portugal, a equipe que construiu o High Accuracy Radial Velocity Planet Searcher (HARPS), o espectrógrafo montado no telescópio de 3,6 metros do ESO (European Southern Observatory), relatou a incrível descoberta de 32 novos exoplanetas, confirmando-se assim o HARPS como o maior caçador de exoplanetas do mundo. Este resultado aumenta em cerca de 30% o número de planetas de pequena massa conhecidos até agora. Nos últimos cinco anos o HARPS já catalogou mais de 75 dos 400 exoplanetas descobertos até agora esta data.

Vídeos do ESO sobre a descoberta

HARPS é um instrumento de alta precisão ímpar, ideal para se detectar mundos alienígenas”, disse Stéphane Udry, que fez o anúncio das descobertas. “Completamos agora o nosso programa inicial de cinco anos, o qual teve um sucesso acima de todas as nossas expectativas.

Os novos exoplanetas, apresentado pelo time da ESO, pertencem a um conjunto expressivo de 32 novas descobertas. Com a inclusão destes novos resultados, o projeto do HARPS tornou-se responsável pela catalogação de 75 exoplanetas, em 30 sistemas planetários diferentes. Especificamente, graças à excelente precisão do HARPS, a procura de exoplanetas com massa igual a algumas vezes a massa da Terra (conhecidos como super-Terras ou planetas do tipo de Netuno) deu um grande salto. O HARPS permitiu encontrar 24 dos 28 exoplanetas conhecidos com massas inferiores a 20 massas terrestres. Outro fato notório é que a maioria destes novos exoplanetas de pequena massa encontra-se em sistemas de multi-planetários, chegando a cinco planetas por sistema.

Foi em 1999 que o ESO lançou o anúncio para a construção de um espectrógrafo de alta resolução extremamente preciso, a ser montado no telescópio de 3,6 metros, em La Silla, Chile. O astrônomo Michel Mayor, do Observatório de Genebra, liderou o consórcio que construiu o HARPS. O equipamento foi instalado em 2003 e rapidamente conseguiu medir os movimentos oscilatórios de estrelas, ao detectar muito pequenas variações na velocidade radial da estrela, na faixa de 3,5 km/h, que corresponde à velocidade de marcha humana comum. Tal precisão é decisiva quando se trata de descobrir exoplanetas. O método de velocidade radial, que detecta pequenas variações na velocidade radial de uma estrela à medida que ela se movimenta ligeiramente devido à fraca atração gravitacional do exoplaneta (que está invisível para observação direta pelos telescópios), tem sido um método bastante eficaz na procura de exoplanetas.

Em troca da construção do instrumento, o consórcio HARPS teve direito a 100 noites de observação por ano durante um período de cinco anos, de modo a desenvolver uma das mais ambiciosas pesquisas sistemáticas de exoplanetas implementada até agora no mundo inteiro, medindo de maneira repetitiva as velocidades radiais de centenas de estrelas passíveis de hospedar sistemas planetários.

Resultados excepcionais

O programa teve um sucesso excepcional. Utilizando o HARPS, a equipe de Michel Mayor descobriu, por exemplo, em 2004 a primeira super-Terra em torno de µ Ara; em 2006 um trio de ‘Netunos’ em torno de HD 69830; em 2007 Gliese 581d, a primeira super-Terra na zona de habitabilidade de uma pequena estrela; e em 2009 o exoplaneta mais leve detectado até agora em torno de uma estrela normal, Gliese 581e. Mais recentemente a equipe encontrou um mundo potencialmente coberto de lava, com uma densidade semelhante à da Terra.

Estas observações deram aos astrônomos uma visão estendida da diversidade de sistemas planetários existentes e ajudam-nos a compreender melhor como se formam estes sistemas”, falou Nuno Santos, um dos membros do time de Michael Mayor.

O programa HARPS escolheu criteriosamente seus alvos, com vários subprogramas que procuravam exoplanetas em torno de estrelas similares ao Sol, estrelas anãs de menor massa ou estrelas com uma metalicidade menor que a do Sol. O número de exoplanetas conhecidos que orbitam estrelas de pequena massa (as conhecidas estrelas anãs vermelhas, tipo M) também aumentou drasticamente, incluindo algumas ‘super-Terras’ e planetas jovianos. Alguns destes objetos desafiam as teorias de formação planetária.

“Ao observarmos estrelas anãs de tipo M e utilizando a precisão do HARPS fomos capazes de procurar exoplanetas com regimes de massa e temperatura de super-Terras, alguns bastante próximos ou mesmo no interior da zona de habitabilidade da estrela” disse o co-autor do estudo Xavier Bonfils.

A equipe encontrou três candidatos a exoplanetas em torno de estrelas de baixa metalicidade. Os astrônomos julgam que estas estrelas sejam menos favoráveis à formação de planetas, que se formam no disco de matéria rico em metais que rodeia a estrela na sua fase jovem. No entanto, planetas de massa até várias vezes a massa de Júpiter foram encontrados em órbita de estrelas deficientes em metais, impondo novas condições importantes para os modelos de formação planetária.

Próximos Passos

Embora a primeira fase do programa de observação esteja agora oficialmente terminada, o time irá continuar os seus esforços em dois grandes programas do ESO a procura de super-Terras em torno de estrelas similares ao Sol e de anãs vermelhas tipo M. Alguns anúncios estão já previstos para os próximos meses, baseados nos últimos cinco anos de medições. Não restam dúvidas de que o HARPS continuará a liderar as descobertas no campo dos exoplanetas, principalmente no que diz respeito à detecção de planetas do tipo ‘Terra’.

Os anúncios simultâneos da descoberta

Esta descoberta foi anunciada hoje, 19 de outubro de 2009, na conferência ESO/CAUP “Towards Other Earths: perspectives and limitations in the ELT era”, em Porto, Portugal, de 19 a 23 de Outubro de 2009. A conferência abordará a nova geração de instrumentos e telescópios que está sendo concebida e construída por diversas equipes de todo o mundo, com o objetivo de permitir a descoberta de outras Terras. Destaca-se nesta iniciativa o European Extremely Large Telescope (E-ELT). Os novos planetas estão sendo simultaneamente apresentados por Michel Mayor no simpósio internacional Heirs of Galileo: Frontiers of Astronomy que também está em andamento em Madrid, Espanha.

Catálogo de Exoplanetas

Se você for tentar encontrá-los na enciclopédia dos exoplanetas vai achar por lá apenas 30 dos 32 objetos anunciados. A razão disso é que 2 deles superam a massa de 13 vezes a massa de Júpiter e portanto, em tese, são anãs-marrons. Veja abaixo a relação dos 30 exoplanetas ordenados por massa (do menor para o maior). Na terceira coluna temos a estimativa do seu período orbital, em dias terrestres:

Exoplaneta

Massa (x Júpiter)

Período Orbital (dias)

HD 215497 b

0,017

3,93

Gliese 667C b

0,018

~ 7

Gliese 433 b

0,019

~ 7

BD-082823 b

0,045

5,6

HD 125595 b

0,045

9,67

HD 90156 b

0,055

49,8

HD 125612 c

0,067

41.547

HD 103197 b

0,10

47,8

HD 85390 b

0,14

781

HD 104067 b

0,16

55,8

BD-082823 c

0,33

237,6

HD 215497 c

0,33

567

HD 181720 b

0,37

956

HIP 12961 b

0,47

~ 57

HD 44219 b

0,58

472

HD 43197 b

0,60

327,8

HD 9578 b

0,62

494

HD 8535 b

0,63

1.313

HD 63765 b

0,69

356

HD 156411 b

0,75

842

HD 148156 b

0,91

1.010

HD 28254 b

1,16

1.117

HIP 5158 b

1,30

344

HD 6718 b

1,65

2.496

HD 5388 b

1,96

777

HD 290327 b

2,54

2.443

HD 190984 b

3,1

4.885

Gliese 676A b

4,0

~ 1.000

HD 125612 d

7,1

4.613

HIP 70849 b

> 5

> 3.000

Fontes e referências

Catálogo Interativo de Planetas Extra-solares

ESO: 32 New Exoplanets Found

Centauri Dreams: HARPS Bags 32 New Exoplanets

Astronomy.com: 32 new exoplanets found – The High Accuracy Radial velocity Planet Searcher is the world’s foremost exoplanet hunter

Universe Today: HARPS Discovers 32 New Exoplanets por Nancy Atkinson

Space.com: Nearly 3 Dozen Planets Found por Andrea Thompson

._._.


1 comentário

3 menções

  1. Mirian Martin

    Ou seja, estamos procurando “casa” nova para mudar. 🙂

  1. Anglada-Escudé e time de cientistas confirmam a existência do exoplaneta Gliese 581d » O Universo - Eternos Aprendizes

    […] agora estão confiantes de que o exoplaneta chamado GJ 581d (Gliese 581d), identificado há alguns anos no programa HARPS e que orbita a estrela Gliese 581, de fato existe. Recentemente, os pesquisadores concluíram que […]

  2. ESO: Três exoplanetas habitáveis em Gliese 667C ! « O Universo – Eternos Aprendizes

    […] anteriores de Gliese 667C descobriram que a estrela acolhe três exoplanetas (ESO: Michel Mayor e o programa HARPS anunciam 32 novos exoplanetas e eso1214), situando-se um deles na zona habitável. Agora, uma equipe de astrônomos liderados […]

  3. GJ 667 Cc: uma super-terra reside na zona habitável de um sistema com três estrelas « O Universo – Eternos Aprendizes

    […] em cima de estudos anteriores sobre a outra super-terra, GJ 667 Cb, orbitando a mesma estrela, próxima demais para abrigar água líquida em sua superfície, o time […]

Deixe uma resposta