«

»

set 27

Galáxias em Guerra: M81 contra M82 fotografadas por Rainer Zmaritsch e Alexander Gross

Guerra galáctica: M81 versus M82 - Crédito: Rainer Zmaritsch & Alexander Gross

Guerra galáctica: M81 versus M82 – Crédito: Rainer Zmaritsch & Alexander Gross

Nesta foto, à esquerda, com seus braços espirais azuis vemos a galáxia M81. À direita, marcada pelo gás avermelhado e nuvens de poeira cósmica a galáxia irregular M82 se destaca.

Esta visão apaixonante desta dança cósmica mostra as duas belas galáxias amarradas entre si em um combate gravitacional, que prossegue há bilhões de anos. A interação gravitacional entre este par de galáxias afeta dramaticamente suas estruturas nas aproximações que ocorrem a cada milhão de anos. No último round da luta titânica é provável que a gravidade da M82 tenha agitado a estrutura da M81 levantando ondas de densidade que enriqueceram seus braços espirais. Mas, em contrapartida, a M81 perturbou drasticamente a M82 criando violentas regiões de formação estelar e nuvens de gás aquecidas em colisão, tão energéticas que fazem a M82 brilhar em raios-X.

O destino final desta dupla de mamutes galácticos será a fusão em uma única galáxia possivelmente elíptica dentro de alguns bilhões de anos.

O grupo M81

Grupo M81 é parte do expansivo Super-Aglomerado de Virgem. Aqui vemos este ponto de encontro galáctico é visto através do tênue brilho da Nebulosa do Fluxo Integrado. Crédito: Jordi Gallego

Grupo M81 é parte do expansivo Super-Aglomerado de Virgem. Aqui vemos este ponto de encontro galáctico é visto através do tênue brilho da Nebulosa do Fluxo Integrado. Crédito: Jordi Gallego

A seguir, nesta imagem mais abrangente desta região, temos uma visão do grupo M81 de galáxias. Na frente desta exposição de 12 horas de duração produzida por Jordi Gallego vemos a grande galáxia espiral M81, a maior da foto.

Sabemos que a M81 está interagindo com a galáxia irregular M82 logo abaixo, uma grande galáxia com um halo incomum de gás filamentoso avermelhado. Em volta desta dupla de galáxias amarradas entre si temos algumas das demais galáxias do Grupo M81.

Junto com outros aglomerados galácticos incluindo o nosso Grupo Local de galáxias e o Conglomerado de Virgem, o Grupo M81 é parte do expansivo Super-Aglomerado de Virgem. Este ponto de encontro galáctico é visto através do tênue brilho da Nebulosa do Fluxo Integrado, um complexo pouco estudado composto de gás difuso e nuvens de poeira cósmica dentro da nossa Via Láctea.

Evidências do buraco negro central da M81

Mosaico obtido a partir da combinação de raios-X (azul) do observatório espacial Chandra; infravermelho (rosa) do telescópio espacial Spitzer; ultravioleta (roxo) do satélite GALEX; Luz visível (verde) do Hubble; mostra a M81 alimentando

Mosaico obtido a partir da combinação de diversas frequências: raios-X (azul) do observatório espacial Chandra; infravermelho (rosa) do telescópio espacial Spitzer; ultravioleta (roxo) do satélite GALEX; luz visível (verde) do Hubble.  A composição mostra a M81 alimentando seu buraco negro central supermassivo.

Este impressionante mosaico composto mostra a galáxia espiral M81 vista através das radiações invisíveis do espectro eletromagnético. Aqui estão combinadas 4 visões de alguns dos observatórios espaciais mais notáveis:

  • Raios-X (azul) do observatório espacial Chandra;
  • Infravermelho (rosa) do telescópio espacial Spitzer;
  • Ultravioleta (roxo) do satélite GALEX;
  • Luz visível (verde) do Hubble.

O quadro menor nos mostra a emissão dos raios-X originada em diversas fontes da M81, incluindo os buracos negros em sistemas binários com cerca de 10 vezes a massa do Sol, assim como o supermassivo buraco negro central com mais de 70 milhões de massas solares. Comparando modelos computacionais da energia liberada pelos buracos negros supergigantes com os  dados dos múltiplos comprimentos de onda as observações sugerem que a alimentação do monstro glutão é relativamente simples:  a energia e a  radiação são geradas quando a matéria da região central galáctica espirala em queda e se aquece, formando um disco de acresção energizado.

A M81 tem cerca de 70.000 anos-luz de diâmetro e fica a 12 milhões de anos-luz da Terra, na constelação Ursa Maior, visível no hemisfério norte.

Fontes e referências

APOD:

Universe Today: In Depth Observing – M81 and M82 por Tammy Plotner

3 menções

  1. M81 versus M82: a guerra das galáxias retratada por André van der Hoeven, Neil Fleming e Michael Van Doorn » O Universo - Eternos Aprendizes

    […] ‘arena de combate cósmico’ temos canto inferior esquerdo a galáxia de braços espirais azuis M81. No canto superior […]

  2. O misterioso Loop de Arp e a M81 « O Universo – Eternos Aprendizes

    […] formada de material extraído da galáxia M81 pela interação gravitacional com o seu gigante vizinho galáctico M82 (NGC […]

  3. M82: Galáxia explosiva ajuda VERITAS a elucidar a origem dos misteriosos raios cósmicos « Eternos Aprendizes

    […] A M82 é um objeto exótico, classificado como uma galáxia irregular que está em ‘guerra gravitacional’ com galáxia M81, conforme já mostramos aqui no artigo: “Galáxias em Guerra: M81 contra M82 fotografadas por Rainer Zmaritsch e Alexander Gross“ […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

error: Esse blog é protegido!