«

»

A Terra vista do espaço: o delta do Ganges e o santuário ecológico Sundarbans

Imagem composta capturada por rádio pelo satélite EnviSat da ESA: o delta do Ganges

Imagem composta em três tomadas em 20 de janeiro, 24 de fevereiro e 31 de março de 2009 através do radar do satélite EnviSat da ESA: o delta do Ganges

Essa impressionante imagem mostra a foz do rio Ganges, o maior delta do mundo, na área de Bangladesh. O plano que forma o delta fica na baía de Bengala é formado pela confluência dos rios Ganges, Brahmaputra e Meghna, com cerca de 350 km de largura.

O maior manguezal do mundo, Sundarbans, com 16.902 km² (incluindo a água), está localizado onde a terra se encontra com a água. A floresta de Sundarbans se espalha pela Índia e Bangladesh é considerada (separadamente, por cada país) como patrimônio da humanidade pela UNESCO. “Sundarbans” significa “floresta belíssima” na língua Bengali. Este santuário ecológico provê um habitat critico para numerosas espécies como o tigre de Bengala, duas espécies de crocodilos (Crocodylus porosus e Crocodylus palustris), entre outras específicas da região.

Sundarbans aparece aqui em verde escuro. Crédito: NASA

Sundarbans aparece aqui em verde escuro. Crédito: NASA

Infelizmente, a poluição, as invasões ilegais, a erosão do solo e o aumento no nível do mar ameaçam submergir grandes partes da floresta. Nas últimas duas décadas, quatro ilhas do manguezal submergiram e outras mais estão ameaçadas.

O tigre de bengala vive em Sundarbans

O tigre de bengala vive em Sundarbans

O sul de Bangladesh sofre todos os anos ciclones e inundações. Em maio de 2009, o ciclone Aila formou-se na baía de Bengala e torturou a costa sudoeste, onde os Sundarbans enfrentaram a pior parte. Em novembro de 2007 o ciclone Sidr também passou por essa área deixando mais de 4.000 vítimas entre mortos e desaparecidos.

A inundação anual no delta deixa no solo ricos depósitos aluviais, que são usados para plantar a juta, a principal fonte de renda deste país.

As imagens de radar apresentam a superfície de forma mais aguda que a luz refletida. Contudo, não há cores em uma imagem padrão de radar. Essa foto é na verdade uma composição de três tomadas distintas da mesma área feitas pelo Envisat Advanced Synthetic Aperture Radar (20 de janeiro, 24 de fevereiro e 31 de março de 2009). As cores exibidas aqui representam as variações na superfície que ocorreram entre as fotos de radar.

Mapa do delta do Ganges, destacando o santuário ecológico de Sundarbans em verde escuro. A parte indiana está marcada. A parte de Bangladesh fica à direita do mapa.

Mapa do delta do Ganges, destacando o santuário ecológico de Sundarbans em verde escuro. A parte indiana está marcada. A parte de Bangladesh fica à direita do mapa.

Fonte:

ESA: Earth from Space: Ganges’ dazzling delta

Veja também:

A Terra vista do espaço: plâncton em abundância pinta de azul o mar de Barents

A Terra vista do espaço: o desaparecimento do mar do Aral

A Terra Vista do Espaço à Noite

2 menções

  1. A Terra vista do espaço: plâncton em abundância pinta de azul o mar de Barents « O Universo – Eternos Aprendizes

    […] A Terra vista do espaço: o delta do Ganges e o santuário ecológico Sundarbans […]

  2. A Terra vista do espaço: o desaparecimento do mar do Aral « Eternos Aprendizes

    […] A Terra vista do espaço: o delta do Ganges e o santuário ecológico Sundarbans […]

Deixe uma resposta