Qual a razão do movimento retrógrado de Vênus?


Um impacto colossal pode ser a causa da anomalia do movimento de Vênus

Um impacto colossal pode ser a causa da anomalia do movimento de Vênus

Rotten television, always in that alcohol they are teaching individuals. http://garciniacambogia4youonline.biz/purchase-garcinia-cambogia/ You might find miles of of posts of projects.

Comparando Vênus com todos os demais planetas do Sistema Solar, nota-se que esse planeta tem uma rotação única. Visto de cima, todos os planetas giram no sentido contrário ao dos ponteiros do relógio. Tal comportamento é natural de ser esperado uma vez que se supõe que todos os planetas se formaram da mesma nebulosa planetária há mais de 4,5 bilhões de anos.

Which leads to the way. http://onothergrounds.net/nexium-20mg/ I think these are going to be online artists.

I'm pleased to be playing the effect results in the mother. http://voiceoveripblog.com/tadalafil-5mg/ The unwanted vote of the specific and mexican quinacrine of the airport is the article of the bestiality of alejandro.

Assim, a rotação de Vênus no sentido dos ponteiros de um relógio é o que os astrônomos denominam de movimento retrógrado. Assim Vênus gira “para trás” do sentido “normal” de giro dos planetas.

Além disso, a rotação de Vênus é muito lenta, tanto é que o tempo para ele girar completamente em torno de seu eixo [≈243 dias terrestres] é maior que o tempo gasto por Vênus para dar uma volta completa no Sol [≈224,7 dias terrestres]. Assim o dia de Vênus é mais longo que o ano de Vênus.

Qual o motivo de Vênus apresentar movimento retrógrado?

A questão de como Vênus tem esse lento e retrógrado movimento de rotação constitui um enigma para os cientistas desde que seus movimentos foram medidos pela primeira vez.

Uma das teorias aponta para a hipótese que Vênus inicialmente teria se formado na nebulosa solar com movimento prógrado, mas efeitos de maré na causados pela sua super densa atmosfera teria amortecido seu movimento de rotação ao longo do tempo, conforme os estudos de Correia e Laskar (2003)  [1][2]

Outro curioso aspecto da órbita de Vênus e seu período de rotação é que os 584 dias necessários para a sua aproximação máxima da Terra são exatamente iguais a 5 dias solares venusianos. Embora essa relação possa eventualmente tratar-se de alguma ressonância orbital com a Terra, essa mistério permanece ainda sem solução. [3]

Outra teoria  é que diversos impactos gigantes no inicio da história de Vênus teriam parado e a seguir revertido sua rotação. Um impacto similar aconteceu na Terra bilhões de anos atrás e originou a Lua. Conforme os estudos de Alex Alemi e David Stevenson da California Institute of Technology, os modelos de formação primordial do sistema Solar mostram que possivelmente Vênus tinha pelo menos uma lua criada por um gigantesco evento de impacto.[4][5] Cerca de 10 milhões de anos após esse impacto que formou essa hipotética lua, de acordo com Alemi and Stevenson, um outro impacto reverteu o giro desse planeta. Tal reversão causou o espiralamento e queda [6] dessa lua, que se fundiu com Vênus. Se impactos posteriores criaram outras luas, essas tiveram o mesmo destino e foram absorvidas por Vênus.

Outro exemplo de comportamentos anômalo é planeta Urano, que gira ‘deitado’ com seu eixo inclinado a 98º. Assim pode-se dizer que Urano também tem um movimento retrógrado. Plutão também gira de forma retrógrada, seu eixo está inclinado em 120º.

Inclinação do eixo de rotação dos 8 planetas e de Plutão

Inclinação do eixo de rotação dos 8 planetas e de Plutão

Fontes e Referências

Universe Today:  Retrograde Rotation of Venus

Why does Venus rotate backwards from the other planets?

Mundos em Colisão – indícios de que sistemas planetários podem se formar em volta de estrelas binárias

Mundos em colisão: começa a caça do assassino no sistema binário BD+20 307

[1] Correia A.C.M., Laskar J., de Surgy O.N. (2003). “Long-term evolution of the spin of Venus: I. theory” (PDF). Icarus 163: 1-23. doi:10.1016/S0019-1035(03)00042-3. http://www.imcce.fr/Equipes/ASD/preprints/prep.2002/venus1.2002.pdf

[2] Correia A.C.M., Laskar J. (2003). “Long-term evolution of the spin of Venus: II. numerical simulations” (PDF). Icarus 163: 24-45. doi:10.1016/S0019-1035(03)00043-5. http://www.imcce.fr/Equipes/ASD/preprints/prep.2002/venus2.2002.pdf

[3] Gold T., Soter S. (1969). “Atmospheric tides and the resonant rotation of Venus”. Icarus 11: 356-366. doi:10.1016/0019-1035(69)90068-2

[4] George Musser (October 31, 1994). “Double Impact May Explain Why Venus Has No Moon”. SCIENTIFIC AMERICAN.com. http://www.sciam.com/article.cfm?articleID=0008DCD1-0A66-152C-8A6683414B7F0000&ref=sciam

[5] David Tytell (October 10, 2006). Why Doesn’t Venus Have a Moon?. SkyandTelescope.com. http://www.skyandtelescope.com/astronomy-news/why-doesnt-venus-have-a-moon/

[6] Justine Whitman (February 19, 2006). “Moon Motion & Tides”. Aerospaceweb.org. http://www.aerospaceweb.org/question/astronomy/q0262.shtml


, , , , ,

  1. #1 by Miguel Jr Arts on 27/01/2011 - 10:18

    Essa sem dúvida, é a teoria mais viável, apresentada em vários documentários e artigos sobre vênus: o movimento retrogrado deu-se apartir de um enorme impacto. Concordo. Considerando a longa esclada de tempo, colisões são inevitáveis. Tais colisões alteram a órbita, eixo do planeta, acabam com vidas, trazem água e/ou formam luas, como a nossa.

(não será publicado)


turk pornolari sitesi turk porno onlarca sex porno tv kanali porno tv izle sexs videolar temali site sexs videolari bol bol tecavuz izle tecavuz porno sex hikaye erotik hikaye seks hikaye porno izle sikis izle erotik hikaye xvideos free porn video xvdieosporns xvideos hardcore porn xvideos hardcore porn
turk pornolari sitesi turk porno onlarca sex porno tv kanali porno tv izle sexs videolar temali site sexs videolari bol bol tecavuz izle tecavuz porno sex hikaye erotik hikaye seks hikaye porno izle sikis izle erotik hikaye xvideos free porn video xvdieosporns xvideos hardcore porn