«

»

mar 31

E a pedra rolou ladeira abaixo… em Marte!

Marte não é um mundo morto como se pensava e diversas imagens retratam esse fato. Stuart Atkinson (Stu) é membro da UnmannedSpaceflight.com e tem um blog, Cumbrian Sky.

Imagem da pedra que rolou ladeira abaixo em uma avalanche em Marte. Crédito: HiRISE e colorização feita por Stuart Atkinson (http://cumbriansky.wordpress.com/)

Imagem da pedra que rolou ladeira abaixo em uma avalanche em Marte. Crédito: HiRISE e colorização feita por Stuart Atkinson (http://cumbriansky.wordpress.com/)

Em 30 de março de 2009, Stu colocou algumas fotos de Marte em seu website, contando sua história de como ele criou essa imagem fantástica da “pedra que rolou a ladeira” a partir de uma foto comum da câmera HiRISE na sonda robô Mars Reconnaisaince Orbiter.

Marte: Aram Chaos (crédito: HiRISE)

Marte: Aram Chaos (crédito: HiRISE)

Stu disse que achou a imagem acima no “perigosamente viciante” Mars Global Data website. Essa foto da região de Aram Chaos, pode até não parecer interessante a primeira vista. Mas se você acionar o zoom e tentar visualizar essa anomalia no centro da imagem verá ‘algo mais’. Segundo Stu: “Aqui parece que uma seção do morro marciano ficou frouxa e deslizou rampa abaixo”…. Interessante, exclama Stu: “várias pedras e pedregulhos desceram a ladeira em uma avalanche de escombros”.

Zoom da avalachance marciana

Zoom da avalachance marciana (http://cumbriansky.wordpress.com/)

Olhando com maior nível em detalhes Stu investigou e descobriu a trilha gravada no solo por uma grande pedra que rolou ladeira abaixo, na foto a seguir:

A pedra rolou e deixou uma trilha... (http://cumbriansky.wordpress.com/)

A pedra rolou e deixou uma trilha… ( http://cumbriansky.wordpress.com )

Stu colorizou a foto para realçar o cenário e nos presenteou com essa visão (a primeira imagem dessa página), mostrando-nos que o mundo marciano não está parado, morto, estático.

Marte tem seu movimento próprio…

Isso nos lembra as famosas imagens da avalanche que a HiRISE flagrou nas fotos abaixo, amplamente noticiada em março de 2008:

Avalanche!

Avalanche!

Avalanche em Marte

Avalanche em Marte

O que causa avalanches em Marte?

A paisagem marciana não muda com freqüência há milhões de anos. Diferentemente do que acontece aqui na Terra, o planeta vermelho não tem uma atmosfera espessa que atua erodindo e remodelando sua superfície. A falta de água líquida também reduz fortemente a erosão. Além disso, Marte tem uma atividade geológica mínima, ausência da movimentação tectônica de placas e nenhuma evidência de algum vulcão em atividade atual.

O que causa então as avalanches em Marte? Os cientistas que trabalham no projeto HiRISE tem algumas pistas:

  • Evaporação do gelo seco (CO²), movendo as rochas e sedimentos
  • Expansão e contração do gelo causadas pelas mudanças de temperatura em função das estações do ano
  • Pequenos tremores marcianos
  • Algum impacto próximo de meteorito
  • Vibrações propagadas por outras avalanches anteriores

Qualquer que seja a causa, capturar um evento como esse em Marte é uma rara oportunidade e o time do HiRISE tem feito um excelente trabalho permitindo-nos conhecer esses detalhes do planeta vermelho.

Mais pedras que rolaram…

Na imagem abaixo vemos vários pedregulhos que rolaram recentemente pela cratera abaixo em Marte. A cratera da imagem tem 1 km de diâmetro que fica dentro uma cratera bem maior, com 30 km de extensão:

Há pelo menos 3 pedras que rolaram nesta imagem. Você consegue localizá-las? Amplie e verá...

Há pelo menos 3 pedras facilmente identificáveis que rolaram cratera abaixo nesta imagem. Acompanhe pelas trilhas tracejadas marcadas no solo. Você consegue localizá-las? Amplie e verá…

Fontes e Referências

Cumbrian Sky: Boulders a’bouncing on Mars…

Universe Today:

HiRISE:

Astroengine.com: Return of the Bouncing Boulder: Debris After a Martian Landslide

NASA,APOD: An Avalanche on Mars – Crédito: HiRISE, MRO, LPL (U. Arizona), NASA (11 de março de 2008)

._._.

8 comentários

6 menções

Pular para o formulário de comentário

  1. Jairo Grossi

    ROCA, valeu pelos links de “O Universo – Colonizando o Espaço”. Assisti a todos e também entendi um pouco mais o porque da necessidade de montarmos primeiramente uma base na Lua, antes de nos direcionarmos para Marte. Pena que em 2050 provavelmente não estarei vivo pra presenciar estas viagens, mas de qualquer forma, está evidente que não podemos deixar de apoiá-las. Bela citação de Sagan, um ícone na história da ciência interplanetária.

  2. Mirian Martin

    Fotos fantásticas!
    Acho que você já falou aqui uma vez, mas vou perguntar: a atmosfera terrestre é formada de “dentro para fora” ou de “fora para dentro”, ou seja, é algo que dependa da própria Terra ou é formada por agentes externos a ela?

    1. ROCA

      Eu diria que é uma mistura bem complexa de tudo isso…
      Parte veio de fora pelos cometas e asteróides:
      http://eternosaprendizes.com/2009/12/17/veio-a-atmosfera-terrestre-do-espaco-exterior/
      Parte vem de dentro da Terra com os vulcões, geisers, interações químicas, vapores, evaporação, etc…
      Parte (importantíssima) é contribuição dos seres vivos, tanto as plantas que produzem o oxigênio a partir do CO², quanto da respiração dos animais, além da decomposição orgânica, etc…

  3. Jairo Grossi

    Sempre fico impressionado quando aparecem estas belíssimas imagens de Marte, único planeta do Sistema Solar que oferece alguma chance de receber a visita de seres humanos, mesmo que daqui a muito tempo. No entanto, a possibilidade de transformá-lo em um lugar onde o homem se estabeleça por longos períodos ainda é remota. Li aqui, no Eternos Aprendizes, algumas opiniões dizendo que o melhor seria continuarmos mandando apenas robôs até lá. De certo modo concordo que inicialmente a exploração seja feita desta forma, mas também acho que não deveríamos desistir de tentar desenvolver novas tecnologias, como a propulsão iônica (plasma), por exemplo, que foi mostrada também aqui neste site, e que fariam com que no futuro a humanidade talvez pudesse criar um segundo lugar habitável, sem é claro, descuidar deste que temos, prontinho e aconchegante, chamado Terra. Se é certo que daqui a bilhões de anos, o Sol vai se expandir e “engolir” o nosso planeta, ou antes disso, percebermos repentinamente que seremos atingidos por um grande asteróide ou cometa, porque ficarmos esperando pelo pior, se podemos pensar em tecnologias que permitam a nossa expansão e fuga através do espaço, quando, por ventura, e se ainda existirmos como espécie, estes dias fatídicos se aproximarem?

    1. ROCA

      Como dizia Carl Sagan nossa sobrevivência como espécie (em longo prazo, é claro) depende do desenvolvimento da capacidade de desenvolver colônias em pelo menos outro planeta. Não sabemos o que nos espera no futuro, se um cometa assassino será desviado para atingir a Terra (extinção K/T) ou algum outro desastre ecológico como a extinção do Permiano (evento ainda repleto de mistérios) nos aguarda. A exploração inicial deve ser feita por robôs, isto é inegável. Mas já temos tecnologia para dentro de algumas décadas estabelecer uma colônia em Marte. No planeta vermelho há água, CO², um clima razoavelmente ameno e uma gravidade de 40% da terrestre (será prejudicial a saúde?). Não é um lugar tão ruim como a Lua. Penso também que antes de se estabelecer em Marte ainda precisamos aprender um pouco mais sobre a ciência de viver no espaço. Assim, tendo em vista a menor distância, devemos antes estabelecer um posto na Lua para ganharmos a experiência necessária para atingir Marte.

      O tema ‘colonizar Marte’ está bem ilustrado em O Universo – Colonizando o Espaço

  4. Paulo

    Atualmente é imprópio mais acredito que daqui a 100 anos da maneira que estamos evoluindo logo vai ter uma base em Marte.

  5. ....

    Marte tem muita terra e deve ser boa para plantação

  1. HiRISE apresenta Noctis Labyrinthus em Marte » O Universo - Eternos Aprendizes

    […] E a pedra rolou ladeira abaixo… em Marte! […]

  2. HiRISE revela contornos pseudo-geométricos em alto-relevo na paisagem marciana « Eternos Aprendizes

    […] campos de dunas em Marte são similares aos que se vê em Titã, embora não sejam tão grandes. Grandes pedregulhos angulosos marcam o chão entre as dunas, nesta belíssima […]

Deixe uma resposta

error: Esse blog é protegido!