«

»

out 29

Sonda da NASA encontra mina de opala no complexo de cânions de Valles Marineris em Marte

A sonda da NASA Mars Reconnaissance Orbiter que está atualmente orbitando Marte descobriu depósitos da gema opala no gigantesco complexo de cânions de Valles Marineris (considerado a maior fissura do Sistema Solar, aparentemente), a leste de Tharsis. É claro que, como pedra preciosa, a opala não é tão valiosa a ponto de estabelecermos uma exploração interplanetária. O mineralóide opala é formado por sílica amorfa hidratada e seu percentual de água pode chegar a 20%. A relevância dessa descoberta é a evidência que a água no estado líquido sobre existiu em Marte por mais 1 bilhão de anos além do que as teorias anteriores previamente estabeleciam. Com isso os cientistas suspeitam agora que a água em Marte teve um papel importante na modelagem de sua superfície e possivelmente suportou a existência da vida no passado no planeta vermelho.

Opala no Valles Marineris em Marte - HIRISE - NASA {1}

Opala no Valles Marineris em Marte - HIRISE - NASA {1}

Scott Murchie da Johns Hopkins University, que é o responsável pela operação do expectômetro da Mars Reconnaissance Orbiter afirma que “Essa é uma descoberta surpreendente uma vez que ela alonga o intervalo de tempo útil em que a água líquida existiu em Marte e aumenta a gama de lugares em que a vida poder ser existido” e acrescenta “a identificação do silicato de opalina nos diz que a água líquida em Marte pode ter existido até cerca de 2 bilhões de anos atrás”.

Até recentemente os estudos apontavam que a água líquida desapareceu da superfície do planeta vermelho há 3 bilhões de anos atrás. Essa teoria estava baseada nas descobertas de filossilicatos e sulfatos hidradatos similares ao barro. Agora essa descoberta de veios da gema opala permitiu a NASA reestimar a data da “Grande Seca” de Marte, deslocando-a para frente por mais 1 bilhão de anos.

“Vemos numerosos afloramentos de minerais opalinos, nas camadas finas entendendo por grandes distâncias ao redor das bordas do Valles Marineris e algumas vezes dentro do sistema de cânions também”, afirmou Ralph Milliken do Jet Propulsion Laboratory (JPL) da NASA. Milliken é um dos cérebros da NASA e especialista no estudo das pedras preciosas que se formam com ajuda de água. Essa nova descoberta é coerente com a nossa experiência aqui na Terra. Uma fração grande da opala do mundo vem de Austrália. A cidade de Coober Pedy, em particular, é uma das principais fontes dessa gema. A Austrália é um lugar parecido com Marte: seco e predominantemente vermelho. De fato, a opala é aclamada como a gema ‘oficial’ da Austrália. Milliken é o autor principal do artigo da revista “Geology” de novembro que descreve a idenficação do silicato opalino. O estudo revela que esses minerais, que recentemente também foram encontrados na cratera Gusav pelo robô Spirit da NASA, ocorrem em terrenos relavitamente jovens.
Fontes:

The Register: NASA probe finds opals in Martian crevices – Mars became uninhabitable later than thought por Lewis Page

NASA JPL: NASA Orbiter Reveals Details of a Wetter Mars

{1} HiRise – High Resolution Imaging Science Experiment

1 comentário

8 menções

Pular para o formulário de comentário

  1. WASHINGTON

    Fantástico, com certeza outros minerais existem em Marte o que tornará a exploração do Planeta Vermelho economicamente viável.
    Um dos grandes problemas a serem vencidos, alem dos já conhecidos será o de transportar para lá todo o “maquinário” e a infra-estrutura necessária para a retirada e o transporte até ao Planeta Terra.
    Essas descobertas geológicas e no futuro até biológicas tornam a exploração espacial vital para a sobrevivência da humanidade.
    Gostaria de ressaltar que não vi essa noticia em nenhum outro lugar, parabéns pelo trabalho.

  1. A LRO fotografou o local de pouso da Apollo 14 e mostra o módulo lunar » O Universo - Eternos Aprendizes

    […] Sonda da NASA encontra mina de opala no complexo de cânions de Valles Marineris em Marte […]

  2. HiRISE guia o robô explorador Opportunity em sua incrível jornada pelas dunas de Marte rumo à cratera Endeavour » O Universo - Eternos Aprendizes

    […] Sonda da NASA encontra mina de opala no complexo de cânions de Valles Marineris em Marte […]

  3. Imagens de Marte da HiRISE impressionam os cientistas na conferência de Geomorfologia » O Universo - Eternos Aprendizes

    […] Sonda da NASA encontra mina de opala no complexo de cânions de Valles Marineris em Marte […]

  4. HiRISE liberou milhares de novas imagens que mostram Marte em alta resolução » O Universo - Eternos Aprendizes

    […] Sonda da NASA encontra mina de opala no complexo de cânions de Valles Marineris em Marte […]

  5. 10 de março de 2006 – Mars Reconnaissance Orbiter em Órbita de Marte « O Universo – Eternos Aprendizes

    […] Sonda da NASA encontra mina de opala no complexo de cânions de Valles Marineris […]

  6. HiRISE apresenta Noctis Labyrinthus em Marte « O Universo – Eternos Aprendizes

    […] tese Marte já teve mares, mas perdeu-os ao longo do […]

  7. Blog de Astronomia do astroPT » Poderiam as bactérias extremófilas do Rio Tinto sobreviver no clima hostil marciano?

    […] comunidade científica já confirmou que Marte teve água em abundância no passado remoto e agora está focada na análise das suas condições de habitabilidade. Neste contexto, um grupo […]

  8. Poderiam as bactérias extremófilas do Rio Tinto sobreviver no clima hostil marciano? « Eternos Aprendizes

    […] comunidade científica já confirmou que Marte teve água em abundância no passado remoto e agora está focada na análise das suas condições de habitabilidade. Neste contexto, um grupo […]

Deixe uma resposta

error: Esse blog é protegido!